17 março 2011

Instabilidade política...

Um artigo, da autoria de José Luis Seixas
que foi publicado no jornal Destak de
15 03 2011

José Luís Seixas

Ouvir falar da ameaça da instabilidade politica, merece uma sonora gargalhada.
O País está de rastos. Prostrado. Em coma, sem norte, nem estratégia, nem destino. As empresas não dispõem nem de liquidez nem de crédito.
Os bancos não têm dinheiro. Os trabalhadores não têm trabalho. as finanças públicas estão penhoradas, à mercê de credores que exigem juros usurários para pagamento de outros juros igualmente usurários. Cortam-se salários, congelam-se pensões, aumentam-se os impostos, impõe-se administrativamente a redução do consumo, fataliza-se a economia real. As famílias vivem um estado de inquietação e ansiedade sem precedentes.
Todos ignoramos o que nos espera. Todos tememos o que nos espera.. Soubemos que andaram por aí uns senhores do Banco Central Europeu e da Comissão Europeia. Terão descoberto um “buraco orçamental” que carecia de remendo. Ou seja, o Governo enganara-se nos pressupostos (ou, a bem dizer, martelara as contas).Eis a origem do PEC IV. Omitido ao PR, ao Parlamento, aos portugueses e, coisa nunca vista, ao próprio Governo que o aprovou à posteriori. No meio de tudo isto haverá algum português que considere importante assegurar esta estabilidade politica? Ignorará o Primeiro-Ministro, na sua ilusão quase paranóica de que é um predestinado, que o País o quer ver partir para lugar longínquo, na companhia da sua corte? Espera o quê para se demitir? O despacho de Belém? A censura parlamentar? Ou a violência na rua?

.
José Luis Seixas nasceu em Coimbra, em 1959.
É licenciado em Direito em 1983, pela Faculdade de Direito de Lisboa da Universidade Católica Portuguesa .
É pós-graduado em Direito do Trabalho pela Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa de Lisboa
Está inscrito na Ordem dos Advogados desde 1985
Orientou vários cursos de formação na área do Direito Bancário, Contratos e Garantias e Recuperação de Crédito destinados a quadros e gerentes bancários
Leccionou a disciplina de Direito Administrativo e Ciência da Administração no Curso de Formação Profissional da Câmara de Solicitadores
Tem artigos publicados sobre temas de direito bancário, administrativo, do trabalho e do desporto em revistas de especialidade e no Boletim da Ordem dos Advogados
Foi deputado à Assembleia da República, Presidente da Assembleia Municipal de Bragança e Vereador da Câmara Municipal de Lisboa e Vice-Presidente do Comité de Bem Estar Social do movimento Eurocidades
Foi consultor da Casa Civil do Presidente da República
Foi condecorado como Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique
.
...não é um "tipo" qualquer quem escreveu este artigo!...

Sem comentários: