31 outubro 2007

Escrito na pedra...

No "Público"
30.Out.2007

"Todas as mulheres sabem tudo sobre tudo."

Rudyard Kipling,
escritor britânico
1865-1936

As "Bonecas" de Jean Bellus

Eram muito "soft" as piadas
em Março de 1962
in. "Anedota Ilustrada"

- Ó Zé, diz-me uma coisa: se fosses inglês,
eras trabalhista ou conservador?!...

30 outubro 2007

Quem morava em Castelo Branco...

Na década de 40, quem morava na Praça Velha?...
.
No nº1 - r/c , era a loja de solas do Sr.Cândido Costa, no cunhal da rua de Santa Maria com a rua dos Cavaleiros.

No nº2 - r/c, era a oficina do Sr.Selé marceneiro, situado já no edifício do Solar do Dr. Mota

No nº4 - era a residência da Família Mota que ocupava todo o 1ºandar e o resto do primeiro
piso não ocupado pela oficina de marceneiro.

O palacete dos Motas vendo-se a seguir a porta que foi da loja das solas


No nº 6 - morava a Sr. Salavessa que era funcionário dos CTT e pai da Maria José e da Maria Emília Salavessa. Ocupavam o 1º e o 2º andares. É uma casa que faz esquina com a rua Nova e está actualmente num estado de degradação muito acentuado.

À esquerda a casa das "Salavessas" e, em frente, a casa do Dr.Roque

No nº9 - por cima do Arco do Bispo, viveu em 1940, a Família Nunes Roque que ocupava todos os pisos do edifício. O Dr. Roque foi durante algum tempo (anos?) professor no Instituto de Santo António, numa altura em que aquele Colégio era dirigido pelo o Dr. Vitor Santos Pinto, antes da sua ida para Coimbra.
O Dr. (Manfredo?) Nunes Roque vivia com a esposa, D. Maria Luisa e com os três
filhos, o mais velho Júlio, a Maria Luisa e a Mariazinha que era a mais nova. Saíram de Castelo Branco para regressar à região de Aveiro de onde eram originários. Se bem me lembro eram da aldeia de Barrô.

No nº12 – Vivia a Família Tavares e creio que ainda lá vive um dos descendentes, o Henrique Tavares. Ocupavam os dois pisos, r/c e
1º andar

A rua dos Ferreiros com a casa dos Tavares, à esquerda e a Loja do Sr. João Rosa à direita. A 1ªporta à direita é já do Sr. Monteiro.

No nº 13 - r/c, já no enfiamento da rua dos Ferreiros, havia a loja do Sr.João Rosa, uma mercearia “abastada” ( Não devemos esquecer que estávamos em plena 2ªGuerra, na Europa e uns anos antes, terminara a Guerra de Espanha; em toda esta zona da cidade de Castelo Branco havia muitos refugiados espanhóis a viverem abaixo da "linha de água"...) onde o azeite e o petróleo eram medidos numa máquina de manivela e embolo em que, prèviamente se marcava a quantidade desejada… Lembro muito bem dos grandes sacos de grão, de milho e das muitas qualidades de feijão que o Sr. João Rosa ali conseguia ter. Havia ainda uns recipientes-armários próprios para conter as farinhas, alvas de trigo e amarelas de milho: eram retiradas as quantidades desejadas com uma espécie de pá abaulada, para dentro dos cartuchos que o Sr.João Rosa fornecia ou dos taleigos que muitas clientes traziam já de casa...

Lembro-me também das várias medidas em madeira que se mergulhavam nos sacos para retirar os cereais e do rolo de madeira com o qual se rasava a medida… Vendiam-se ali, também, as barras de sabão que vinham em caixotes e eram cortadas com uma faca, à medida que se desejava, sendo depois pesada.
E, a propósito de facas… não posso agora esquecer a faca guilhotina própria para cortar o bacalhau que o Sr. João Rosa também conseguia arranjar naquela altura de crise e ali vendia. Estávamos na altura das senhas do racionamento...

No nº 13 – 1º, por cima da mercearia, viveu, durante muito tempo, o sr.Morão que tinha uma ourivesaria no Largo da Sé e trabalhava com o irmão Alberto, um homem baixote que lhe sobreviveu bastante tempo, e que eu não me lembro de ter visto alguma vez mal disposto! Jogava muito bem o bilhar...
Recordo bem a D. Carolina Morão e a filha Raquel, que era a mais velha das duas que tinham.
Uns anos mais tarde. o prédio onde viviam transformou-se num Lar Feminino da Mocidade Portuguesa onde se fizeram algumas serenatas inesquecíveis.

No nº15, na casa que já faz esquina com a rua do Relógio, morava o Sr.Monteiro que eu sempre conheci já velho... Vivia no
primeiro andar com duas senhoras que, creio, eram suas filhas. A loja da r/c de que ele era o proprietário, já não sei o que vendia… Só me lembro que era lá que nós íamos comprar os rebuçados que traziam os “bonecos da colecção” que vinham numa grande caixa de lata, cúbica, e na qual só metia o “mais custoso” (que era uma figura em papel igual a todas as outras mas que tinha um carimbo nas costas que o identificava como único…) quando a caixa estava quase no fim! Nunca me saiu como prémio, a bola de futebol tão ambicionada…

O prédio seguinte era a Cadeia que a partir de 1950 (?) serviu de Biblioteca.

Nesta altura já não era Cadeia... (17.05.2006)

Para fechar o circuito, falta referir o Celeiro da Casa Abrunhosa (?) no local onde é hoje o Restaurante “Praça Velha”

O Restaurante que já foi Celeiro (foto de 17.05.2006)

29 outubro 2007

Beira Baixa - Notícias de 1954 - Fev/Março

06.02.1954
Casamento elegante
No passado dia 30, uniram-se pelos sagrados laços do matrimónio, em Idanha-a-Nova, a Srª D. Maria Rita Folgado da Silveira com o Sr. Augusto Barbosa Marçal Grilo.

20.02.1954
Montepio de Castelo Branco

Assembleia-Geral:
Presidente: Alberto da Silva Nogueira Selé
Vice-Presidente: Lúcio Ribeiro Costa
Secretário: João José Pinto Duarte
Secretário: João dos Santos Prata

Direcção Administrativa
Presidente: António Lourenço da Cruz
Secretário: António Nunes Garrido
Tesoureiro: Nuno da Cunha Navarro
Vogal: António Martins (Carralo)
Vogal: José Luis Sequeira

Conselho Fiscal
Presidente: Hermenegildo dos Santos Taborda
Vogal: José Casimiro
Vogal: Francisco Martins


.
06.03.1954
Novo Estabelecimento
Castelo Branco conta desde sábado último, com mais um modelar estabelecimento comercial. Pertence ao Sr. Lúcio Ribeiro Costa e está instalado na rua do Rei D. Diniz (antiga Pá Queixada)
Tudo disposto com arte, com elegância, com elevado gosto.
Tal como os da firma José António Grilo, Filho, Lda. e o Sr. Adelino Semedo, este novo estabelecimento honra o seu proprietário e a cidade.

.
06.03.1954
Concerto Pró Arte
Foi um êxito a apresentação de Elsa Wlebanowsky em Castelo Branco, no 2ºConcerto desta temporada.

13.03.1954

Futebol
No passado dia 25 de Fevereiro, tomaram posse os novos Corpos Gerentes do Sport Benfica e Castelo Branco

.
Assembleia-Geral:
José Pedro Cordas (Eng.)
Direcção
Cap. Manuel de Jesus Correia
Conselho Fiscal
Severino Martinho
Conselho Técnico
Tenente Pinheiro

28 outubro 2007

Hoje, no Público...

No “Público” hoje
JMFernandes
28.10.2007
.
Respigos de um Editorial

“…já Marçal Grilo escreveria depois um livro…”Difícil é sentá-los” onde terá percebido, ao escolher para título o desabafo que captara ao falar com um professor de ensino básico, onde começam os problemas de muitas escolas.
.
(…)
A leitura desse livro talvez tivesse evitado o disparate que a maioria socialista impôs esta semana, ao aprovar alterações a um já de si muito disparatado Estatuto do Aluno.
Supostamente o objectivo desse documento é dar mais instrumentos aos professores para estes imporem uma disciplina na escola e dentro da sala de aula, mas lendo o documento fica-se aterrado
.
(…)
Quando as condições em que se envia um aluno para a rua durante uma aula passam a ser estabelecidas por lei, ninguém deverá surpreender-se que um dia destes actos tão banais como esse acabem nalgum tribunal e com o professor no banco dos réus.
.
(…)
…e incomoda pela insensatez: se há domínio em que valem muito mais as regras não escritas, a cultura de disciplina e exigência, o bom senso e a capacidade de liderança, esse domínio é o da disciplina nas escolas. Dar ao que devia decorrer do bom senso ou da autoridade natural a forma de uma lei geral para todas as escolas e todos os professores é do domínio do surrealismo.
.
(…)
Diz o ministério que se quer, desta forma, impedir que saiam muitos alunos do sistema, que as escolas percam estudantes, o que é sempre negativo. E de facto é. Mas não é menos negativo dar àqueles que faltam por sistema, que ficam a jogar à bola ou a fazer patifarias quando os colegas estão nas aulas o prémio de poderem “recuperar” através de uma prova cujos termos são muito nebulosos
.
(…)
…por mais voltas que se dê à cabeça, só se encontra uma justificação plausível para esta medida: o Governo comprometeu-se com um determinado objectivo no que respeita ao abandono escolar e, estando-se muito longe da meta, o “atalho” de permitir a passagem de alunos que, mesmo não indo às aulas, “continuam” na escola pode resultar numa excelente estatística.
Se não é essa a ideia, então cabe à equipa ministerial explicar muito melhor qual o objectivo da medida.”
.
Vamos esperar pela explicação?!... ou nem isso as “sumidades” serão capazes de fazer direito?...

Eles foram meus professores...

Ano lectivo de 1954/55

Morfologia e Fisiologia Vegetais
cadeira do 2ºano do Curso de Ciências Biológicas
.
Flávio Resende

Prof. Flávio Teixeira Pinto Resende

Foi o meu melhor Professor! E um exemplo para todos nós…
Parece-me que, assim, fica tudo dito a respeito de Flávio Resende

.
Sabedor, humano, amigo a quem respeitávamos, não com o medo que muitas vezes se interpunha entre professor e aluno, mas pelo exemplo que era, para nós, como cientista honesto, cidadão impoluto e, ele próprio, sem medo do ambiente politico que nas universidades se vivia por aqueles tempos…

.
Numa entrevista que , em 13 de Janeiro deste ano, concedeu a Clara Pinto Correia, Fernando Catarino referiu-se ao Professor Flávio Resende dizendo:
Foi excepcional. E era militantemente optimista, sempre convicto de que se podem melhorar as coisas. Conhecia o Eça de cor e era raro o dia em que não o citava, a propósito do nosso modo caricato de ser, viver e estar. Foi atingido por aquela leva de purgas dos professores universitários que Salazar fez em 47, e nunca baixou os braços. Muitos dos atingidos tinham, de facto, envolvimentos políticos. Este só tinha liberdade de pensar e dom da palavra, e nunca se levava, a si próprio, muito à sério a não ser nas questões morais”.

.
Um pouco adiante, o Prof. Catarino contava uma pequena história que diz bem da formação moral de Flávio Resende:
Quando Resende veio para o Jardim Botânico, em 1944, existiam 23 famílias a viver dentro do Jardim Botânico em casas degradadas, em condições miseráveis. Eram técnicos da faculdade que iam trazendo a família. Os jardineiros andavam de roupa remendada, praticamente descalços, de alpergatas rotas, e falavam com ele a medo, de olhos baixos e de chapéu na mão. Ele mandou logo comprar botas para toda a gente. Passados uns meses o encarregado veio queixar-se de que os jardineiros diziam que as botas estavam apertadas. E ele, logo: fantástico! Já são homens! Com melhores condições de vida já eram capazes de exigir, de refilar - isso é um homem. Quando nós vivemos no meio da chafurdice, deixamos de dar por isso…”
“(Os professores naquele tempo)…eram homens cultos. E preocupavam-se com o mal-estar físico dos pobres.”

O aluno Fernando Catarino com Flávio Resende
na AEFCL – Semana da Biologia/1958

Flávio Resende foi meu professor no 2ºsemestre de 1954/55, quando regeu a cadeira do 2ºAno, “Morfologia e Fisiologia Vegetais”. A parte de Fisiologia Vegetal esteve a cargo de Pinto Lopes durante o 1ºPeríodo. O Prof. Resende não estaria em Portugal no início do ano lectivo e as matérias de Fisiologia foram entregues ao seu Assistente.
.
Foi um professor excepcional! Sabedor, cientificamente sério e de qualidades humanas sem comparação… Era exigente e os seus alunos viam-se obrigados a estudar e a “prestar provas”…
A cadeira que com ele fiz em Lisboa deu-me as bases suficientes quando em 1956 me matriculei em “Biologia”, cadeira do último ano, na Universidade do Porto. Fui considerado um “crack” pela simples razão de, naquela Faculdade de Ciências, o Professor Cabral Resende Pinto ter escolhido um programa quase idêntico ao que se dava em “Morfologia e Fisiologia”, em Lisboa.
Naquela época, em 1956, falar em Cariocinese, falar em Metafase e Anafase, falar em Leptóteno ou Zigóteno… era complicado! Flávio Resende tinha publicado há pouco tempo um trabalho sobre Mitose que foi colocado na Secção de Folhas da Associação de Estudantes. Esse livro foi uma "bíblia"...Também não nos devemos esquecer que foi em meados de 1953 que Krick e Watson falaram pela primeira vez na estrutura do DNA…

Nas aulas práticas, tínhamos aprendido muito bem, com o Prof. Resende, a distinguir sem grandes dificuldades, no campo do microscópio, as várias fases e estádios da Mitose.
.
Para meu espanto, numa das primeiras aulas práticas com o Resende Pinto, dei comigo a falar sozinho com ele a respeito da divisão nuclear… com todo o resto da turma ouvindo em silêncio!... E o Professor espantado com a “desenvoltura” de um aluno que ele não conhecia dos anos anteriores...
Ficou tudo esclarecido quando ele perguntou com aquele ar de “fera” que sempre cultivou:

Como é que você veio parar aqui?! De onde é que você caiu?...”
Lá lhe expliquei que estudara em Lisboa nos anos anteriores e já fizera a cadeira de “Morfologia e Fisiologia Vegetais” onde se tinha de estudar toda a matéria que ali estava a ser dada, numa cadeira do último ano!
E quem foi o seu Professor?” insistiu a “Fera do Instituto Botânico”…
O meu Professor de Morfologia e Fisiologia chamava-se Flávio Resende…” respondi de seguida.
Só podia ser!!” volveu o Professor...
Só então soube que estes dois “Resendes” que se cruzaram comigo naquela época, eram “primos entre si”…
Dei-me bem com ambos e “brilhei” com o segundo… com aquilo que me havia ensinado o primeiro!

.
Numa entrevista conduzida por Nuno Campos, a Profª Maria Salomé Soares Pais proferiu as palavras que refiro em seguida, depois de lhe ter sido perguntado se houve algum professor que a tivesse marcado especialmente:
Sem dúvida. O Prof. Flávio Resende, em cujas aulas não era possível tirar um único apontamento, porque ele, tendo um raciocínio brilhante, saltava de um tema para outro com um entusiasmo fantástico. Dava as aulas como uma conversa. O Prof. Resende era um imaginador, ele levantava hipóteses, imaginando soluções para as questões.
Esta atitude é essencial em investigação
.”

.
No Verão de 1966, numa deslocação que com o meu colega António Maurício fizemos à Faculdade, encontrámos o Professor no Jardim Botânico, ali mesmo ao pé da “Ficus elastica”, nas imediações do sector da Botânica… E foi ali mesmo que conversámos com ele durante bastante tempo… Gostava de ver e de falar com os seus antigos alunos…
“Onde estão”… “O que fazem?”... “Como vos corre a vida?”...

Estas coisas que se dizem naturalmente quando se encontram antigos alunos…
“Estamos ambos em Setúbal, no Liceu…” , “Fizemos já o estágio no Pedro Nunes…”, “As coisas vão correndo… mais ou menos…”

Estas conversas que se têm e agradam a quem foi um dos “responsáveis” pelo trajecto que ambos estávamos a percorrer.
Durante a nossa conversa ele não deixou de fumar… cigarro atrás de cigarro! E não deixou de tossir…
Eu tinha deixado de fumar há um ano, em Agosto de 1965 , e sentia-me com “força moral” suficiente para lhe dizer que não devia fumar tanto… Nunca mais esqueci a resposta que nos deu sobre esse assunto!
Dizem, embora não esteja suficientemente provado, que o tabaco pode estar na origem de um cancro… Com a idade que tenho não vou ligar muito a isso! E se o cancro vier o que é que eu poderei fazer?!” Palavras ditas com aquele ar de quem é “militantemente optimista, sempre convicto de que se podem melhorar as coisas…”
.

Passados alguns meses Flávio Resende falecia, na passagem de 1966 para 1967… depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro…

A Faculdade de Ciências perdia um Mestre. Os seus alunos perdiam um bom Amigo...

(fotos retiradas de "Memórias de Professores Cientistas"
sendo a primeira da autoria do Dr.Armando Bastos, obtida em 1965)

27 outubro 2007

As "bonecas" de Oziouls

Humor antigo
com o traço de
Oziouls

- É a única maneira de evitar que ele saia à noite para os "cabarets"...

26 outubro 2007

Liceu Nacional de Nun'Álvares

1945/46 ...... 1ºAno - Turma C


Escadaria e alpendrada.
Por aqui tínhamos acesso ao "ginásio"

Nesta foto podemos ver a porta do Salão que servia de Ginásio e uma janela do mesmo salão que se abria também para alpendrada. Era aqui que o Dr.Alberto Trindade nos dava aulas, muitas das quais, no pino do Inverno, se resumiam a nos deitarmos, cada um em seu banco comprido de ginástica, com o sobretudo vestido e os cachecóis bem aconchegados, com as "botifarras" calçadas, ouvindo a voz do "mestre" durante uma hora a pronunciar, indefenidamente, as palavras... "inspirar... expirar... inspirar... expirar..."


Localização do 1ºC, na planta do piso térreo

Ainda no piso térreo, por debaixo do "Ginásio" havia quatro ou cinco espaços, num dos quais, o situado mais à esquerda e com janelas para a rua Bartolomeu da Costa, tínhamos as aulas de Canto Coral.

Constituição da turma C, do 1ºAno, em 1945/46:
1 Afonso Abrantes Cardoso Albuquerque
2 Agostinho Duarte Belo
3 Amândio de Azevedo Robalo
4 António Campos Monteiro Romão
5 António Gomes Dias
6 António Maria Azevedo Gamas
7 António Morgado
8 António Santos Ramalho Eanes
9 Armando José Rocha Ribeiro
10 Armando Lourenço Rodrigues
11 Aristides da Fonte Alpendre
12 Augusto Martins Santos Bispo
13 Avelino Manso Facada
14 Carlos Gonçalves Martins
15 Fernando Luis Antunes Milheiro
16 Francisco Pereira Martins Lino
17 Francisco dos Reis Ribeiro
18 Francisco dos Santos Leitão
19 João Esteves Lopes Rolo
20 João Luis da Silva Rêma
21 João Maria Cerejo Goulão
22 João Pires Estrela
23 João Cardoso Ribeiro
24 João Simão
25 Joaquim Belo Rafael
26 Joaquim Chito Rodrigues
27 José Amaral Branco dos Santos
28 José Geraldes Pereira Carvalho
29 José Maria Lopes
30 José Fernandes Carrilho
31 José Ribeiro dos Santos
32 Marcelo Heitor Moreira
33 Mário Fonseca Tonel
34 Mário de Oliveira Pires
35 Rui Geraldes Carrondo
36 Rui Nunes Barata

Não vejo o Afonso de Albuquerque há 61 anos! Era filho do Dr. Albuquerque, então professor de Física no Liceu, que no ano seguinte rumou a outra cidade. A figura do Afonso ficou, no entanto, gravada na minha memória… e de tal modo que, aqui há uns anos, o “redescobri”, já homem de sessenta anos, numa intervenção televisiva, onde foi chamado a “debitar conhecimentos” na área em que é Mestre. É um psiquiatra ilustre e muito respeitado.

O Amândio Robalo, do Juncal, é um Clínico emérito, creio que na área da oftalmologia.
O Tó Romão foi professor de História no Colégio Militar.
O António Morgado fez vida na área das Finanças
O António Ramalho… deu no que deu! Não se podia esperar mais…
O Aristides Alpendre é médico aqui em Setúbal.
O Armando Lourenço e o Reis Ribeiro fizeram vida em África mas já regressaram.
O Francisco Leitão, da Póvoa de Rio de Moinhos, fez carreira na Tap
O João Maria Goulão é médico no Porto (Matosinhos?)
O Chito Rodrigues também é General (esta turma deu dois!)
O Zé Amaral e o Armando Rocha foram bancários
O Mário (Ginja) Tonel, o Mário Pires e o Rui Carrondo não sei por onde param… mas não estão esquecidos.
Pode ser que possam agora comunicar e dizer-nos o que foi feito deles!

Em 3 de Maio de 1946, todos estes alunos "fizeram as malas" e mudaram da casa...

Esta foi a nossa nova moradia...
(numa fotografia da época)

25 outubro 2007

Setubalense - 1952 - Nov/Dezembro

01-11-1952
Era Secretário do Governo Civil, o Sr. Dr. Fernando Martins Pinto.


01-11-1952
Novo horário da Biblioteca Municipal
A partir do próximo dia 3 de Novembro, a nossa Biblioteca estará aberta, ininterruptamente, das 13 às 22 horas.
.
08-11-1952
Eisenhower foi eleito Presidente dos EEUU.


08-11-1952
Novo Vereador
Foi chamado à efectividade e já assumiu funções o vereador substituto Sr.José Roque Belo, representante das freguesias de Azeitão.
.
10-11-1952
Notícias Pessoais
No passado sábado, dia 8 de Novembro, o Sr. Arquitecto Luis Castro Lobo foi padrinho de casamento de sua irmã Srª D. Raquel Castro Moura Lobo.

.
10-11-1952
Casamento
No passado sábado deu-se o enlace matrimonial de D. Elisa Gargalo com o sr. Jacob Perianes Palma.
.
15-11-1952
Toma posse amanhã, como novo Pároco da Freguesia de Nª Sª da Anunciada, o Revº Padre David Lopes Paixão que substitui o Revº Padre Manuel Neves.
.
17-11-1952
Casamento
Realizou-se em Fátima. o casamento do Sr. Rogério Miguens Gonçalves, com a Srª D. Graciette da Conceição Vairinhos.
.
22-11-1952
Vitória F.C.
Actual Comissão Administrativa do Vitória Futebol Clube
Mário da Ascensão Ledo
José Viegas Alves
José Ferreira de Freitas
Ten. Ernesto Carrilho do Rosário
Joaquim Valério Machado Piteira
Rui Viegas Godinho
Aníbal Valério Rendas.
.
26-11-1952
Pedido de casamento
No passado domingo, dia 23/11/52... para o Sr. Domingos Luis da Costa Ribeiro, foi pedida a mão da Srª D. Irene Perienes.


26-11-1952
Era Provedor da Santa Casa da Misericórdia, o Sr. Eng. Armando Roovers da Costa Neves.
.
01-12-1952
Casamento
Na Igreja de S. Mamede, em Lisboa, realizou-se hoje o casamento da Srª D. Fernanda César Marques dos Santos...com o Sr. Fernando César Batalha Lopes Pedrosa.
.
09-12-1952
Era Subdelegada Regional da M.P.F., a Srª Drª Elda Quintão Lage.
Era Directora do Centro nº1 da M.P.F., a Srª Drª D.Ausenda de Carvalho Caetano.
.
11-12-1952
Notícias Pessoais
Um decreto, no Diário do Governo, confere o grau de "Grande Oficial" da Ordem Militar de Aviz, ao Coronel de Infantaria Augusto de Carvalho, Comandante Militar de Setúbal.


11-12-1952
Tribunal
Foram condenados à pena máxima e considerados delinquentes perigosos os autores do crime de morte de que foi vítima António Domingos Moutinho, guarda da noite da Estação de Serviço "Setubauto".

Foi Juíz o Meritíssimo Corregedor Barbosa Viana, coadjuvado pelos Drs.Miguel Augusto Pinheiro e José Luciano Vilhena Pereira.
Na acusação esteve o Digníssimo Juíz Ajudante, sr.Dr.Santos Vitor e, na defesa, os srs.Drs.Manuel Antunes e Afonso Miranda.
.
22-12-1952
Camara Municipal de Setúbal

Luciano dos Santos ...tem agora integrada a sua alma de fina sensibilidade e todo o talento da sua aprimorada vocação, num tríptico que emoldurará uma das paredes do Salão Nobre da Câmara Municipal. Já terá iniciado a pintura, no seu estúdio de Alcobaça.

24 outubro 2007

A Evolução...

"Estádio do Vitória
No edifício dos Paços do Concelho, numa cerimónia simples, celebrou-se hoje a escritura de permuta de terrenos entre o Município Setubalense e o Grémio dos Industriais da Conserva de Peixe, pela qual a respectiva Câmara pode integrar 35.150 metros quadrados da antiga Quinta da Palmeira, na área total que está autorizada a ceder ao Vitória F.C., para a construção do seu Estádio."
In “Setubalense”
18.01.1956

A Câmara Municipal de Setúbal oferecia um terreno ao Vitória F.C.
O Vitória F.C. adquiria património!

Hoje, 51 anos... depois:


Venda de terreno para “bomba” justifica lucro de quase um milhão
É o título de um artigo que termina com as seguintes palavras:
As contas foram aprovadas por maioria, com 7 votos contra, 35 abstenções e 42 votos a favor.”
In, “Setubalense”
24.19.2007

A Câmara Municipal de Setúbal ofereceu um terreno ao Vitória F.C.
O Vitória F.C. delapida o património…


Lê-se e não se acredita...
Metade da Assembleia não concordou com as Contas…
Sem dúvida uma “decisão democrática”… mas que sugere algumas perguntas!
Quantos sócios tem o Vitória F.C.?!
Que valor ético tem uma decisão tomada nestas condições?


Se o Senhor Mário Ledo pudesse voltar, de novo cá abaixo, vê-lo-íamos assim...
de "boca aberta"... e a dizer: "Não posso acreditar!"...

O Presidente Mário Ledo, em 15 de Agosto de 1970

Liceu de Setúbal - 1978/79

Alunos finalistas
na disciplina de
Ciências Naturais
Turma 2ºI

Alunos do 2ºI, em pose, no topo de um pavilhão
pré montado que existiu junto do Ginásio pequeno


Sentados:
Maria Vitória Aldeias de Oliveira
Célia Maria Rosa Assembleia
Maria Teresa Pires dos Reis
Cecília de Fátima Paulino Vaz
Graça Maria Dias Belo (?)
Maria José da Silva Lobo
Margarida Nascimento Oliveira


De pé:
Moisés Vinhais Rebelo
Rui Manuel Vicente Duarte Alves
Jorge Manuel Pinho Ferreira
António Jorge Maurício Pinto da Costa
Francisco José Pereira Aníbal
Fernando Eduardo de Brito
André Filipe Marques Barreto
Carlos José Cardoso dos Reis
NN
Ana Cristina Soares Ribeiro Nascimento Oliveira

(Não estão os alunos todos.
Há nove alunos que não estão presentes nesta fotografias...
Não sei o que lhes teria sucedido neste dia.)

23 outubro 2007

Museu do Prado - Las Lanças

A rendição de Breda
Diego Velásquez
1599 - 1660


A rendição de Breda

Esta grande tela também conhecida com o título “As Lanças”, é uma das obras mais importantes do genial pintor espanhol A composição da cena corresponde ao critério da máxima naturalidade. A praça forte de Breda, na Holanda, rendeu-se ao exército espanhol, em 2 de Junho de 1625, e o momento aqui representado é o da entrega das chaves da fortaleza, por parte do general holandês Justino de Nassau, ao general espanhol de origem genovesa Ambrogio Spínola, marquês de los Balbases.
Com indiscutível e inimitável talento, Velásquez caracterizou exactamente espanhóis e holandeses. Os espanhóis precipitam-se no entusiasmo do seu triunfo e, a conter-lhes o ímpeto, ergue-se como uma muralha o estupendo cavalo baio; os holandeses estão reunidos à esquerda e, com ar sério ou triste, mantêm-se mais longe da cena central. São de estatura elevada e de aspecto menos vivo do que os espanhóis. A cor é maravilhosa e toca todas as gamas dos azuis, dos verdes e dos vermelhos.

By Marco Valsecchi
In “Grandes Museus do Mundo”
Ed. Verbo – Novembro de 1973

22 outubro 2007

As "bonecas" de Peñarroya

Humor antigo
com o traço de
Peñarroya

A Pedrosa não sai da água porque o fato
de banho ainda é o do ano passado...

Beira Baixa - Notícias de 1954 - Janeiro

02.01.1954
Depois de doloroso e prolongado sofrimento faleceu nesta cidade, no passado dia 27, o Sr. João Augusto do Rego Bayam que há anos exercia as funções de chefe da Contabilidade do regimento de Cavalaria 8.
Era pai do Eng. Bayam e do Capitão Armando Bayam, do Batalhão de Caçadores 6.

02.01.1954
Dr. Augusto Duarte Beirão
Presidente da Câmara Municipal
Por portaria publicada no Diário do Governo, de 29 de Dezembro, foi reconduzido no cargo de Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, o nosso querido Amigo Sr. Dr. Augusto Duarte Beirão

16.01.1954
Corpos Directivos da Cantina Escolar


Assembleia-Geral:
Presidente: Dr. José de Carvalho, Governador Civil
1ºSecretário: António Gomes de Almeida, adjunto da Direcção Escolar
2ºSecretário: Prof. Joaquim dos Santos Boiada

Direcção
Presidente: Prof. Joaquim da Costa Salvado
Tesoureiro: Profª D. Maria do Rosário Martinho
Secretária: Profª D. Maria Marques Afonso
Vogal: Profª D. Maria da Conceição Silva
Vogal: Profª D. Maria Palmira Morcela

16.01.1954
Homenagem ao Dr. Augusto Duarte Beirão por ter sido reconduzido na Presidência da Câmara Municipal de Castelo Branco.
As inscrições para o banquete, que se encontram na Tipografia Portela Feijão e na Papelaria de José Sérgio Feijão, até ao dia 22, contam já com os seguintes nomes:
.
Dr. José de Carvalho
António Maria Pinto Castelo Branco
Dr. Alberto Trindade
Dr.Frederico da Costa Conde
Dr. José Lopes Dias
Dr. António Correia
Cap. Manuel Domingos Carreto
Dr. Fernando Ivens Lobo da Costa
Ten. Cor. Luis Castelo Lopes
Dr. Pedro Geraldes Cardoso
Eng. Alfredo Resende
Dr. Alexandre Proença de Almeida Garrett
Major José António da Conceição
Dr. Jaime Lopes Dias
Dr. António Trindade
Elísio José de Sousa
José de Paiva Morão
Domingos dos Santos Pio
Tomás Mendes da Silva Pinto
Eng. Eugénio Leite de Morais
Dr. José Pinto da Rocha
Dr. Domingos Martins Romão
Dr. José da Cunha Mota
Dr. João Frade Correia
Armindo Gonçalves Carvalhão
Francisco Serrasqueiro Pereira
José dos Santos Portela Feijão
Major António de Andrade
António Manuel da Silva
Dr. Francisco José Palmeiro
Eng. José Maria Valente
Artur Domingos Ribeiro
Fernando José Dias
Abílio Tavares
Severino Martinho
António de Andrade
Eurico Sales Viana
Cap. José Guardado Moreira
Dr. Joaquim Jaime Simões
Francisco Rodrigues Ribeiro

23.01.1954
Pró Arte - o 1º Concerto da 2ª Temporada Musical
Realiza-se em 27 de Janeiro, próxima 4ªfeira.
Este 1º Programa estará a cargo dos distintos e consagrados artistas Madalena Moreira de Sá e Costa Gomes (violoncelo) e Helena Moreira de Sá e Costa (piano)

30.01.1954
A Homenagem ao Sr. Dr. Augusto Duarte Beirão (Toda a 1ªpágina)

21 outubro 2007

Parabéns!... 21 de Outubro de 1960

A Luisa Abreu faz anos hoje!
Os meus parabéns...
com um abraço grande

Maria Luisa Duarte Gomes Abreu

20 outubro 2007

Setubalense - 1952 - Outubro/1952

01-10-1952
Liceu Bocage
Abertura das aulas, no Liceu.
Com o cerimonial do costume, realizou-se hoje a sessão solene inaugural do novo ano lectivo, no Liceu Nacional de Setúbal, a que presidiu o sr. Dr. Correia Figueira, ilustre Governador Civil, secretariado pelos srs. Dr. Miguel Rodrigues Bastos, Presidente da Câmara, Dr. Santos Vitor, pela Magistratura, Major Rocha representando o Comando Militar, Dr. Ponte Lopes, pela Liga dos Amigos do Liceu, Joaquim Covas, pelo Rotary Club de Setúbal e Capitão Vilaverde, pelo Grémio do Comércio.
Usou da palavra o Reitor Dr. Cipriano Dordio que fez comentários e considerações acerca do estudo, lembrando que os alunos deverão ser ordenados na sua vida escolar e que se não tiverem essa ordenação, que deve ser quotidiana, sofrerão os consequentes dissabores, de que resultam muitas vezes as injustificadas reclamações do final dos anos. Apelou insistentemente para a colaboração das famílias, na educação e instrução dos estudantes.
Procedeu-se em seguida à distribuição de prémios aos alunos mais classificados do ano de 1951- 1952, pela seguinte ordem:
Prémio "Bocage" - Carlos Fuzeta da Ponte 15 valores. 2ºciclo
Prémio "Amigos do Liceu" - Jorge Fernando Castro Patrício Paúl 15 valores. 1ºciclo

Prémio "Rotary" - Rui Manuel Costa Ferreira 17 valores em História
Prémios "Grémio do Comércio" -

1º ano:
Maria Catarina Matos Perienes - 14 valores
Maria Odete Santos - 14 valores
Fernanda Antónia da Silva Valido - 14 valores
2º ano:
Maria Madalena Botelho - 15 valores
Rui Manuel Chancerelle de Machete - 15 valores


Por último, S.Exª o Sr. Governador Civil encerrou a sessão, declarando aberto o novo ano lectivo.
.
11-10-1952
C.M.Setúbal
O Conselho Municipal, na sua reunião de ontem, aprovou a cedência, ao Vitória F.C., de 74.875 m2 de terreno para a construção do seu Estádio.

.
11-10-1952
C.M.Setúbal
Alfredo Figueiredo da Silva é o novo representante das Juntas de Freguesia, no Conselho Municipal.
.

11-10-1952
Desporto
Jesus Correia abandona a prática do Futebol.
Será apenas jogador de hóquei em patins, no Clube Desportivo de Paço d'Arcos.


. 13-10-1952
Novo Comandante da G.N.R.
Foi colocado no Comando da 1ªCompanhia da GNR desta cidade, o sr. Capitão Álvaro de Moura Kock Fritz.

Como 2ºComandante continua o sr. Tenente João António Alves.
.
13-10-1952
Tribunal
Era Juiz de Direito, no 2ºJuízo, o Dr. José Luciano de Vilhena Pereira.

.
18-10-1952
C.M.Setúbal
No Diário do Governo de 16 de Outubro, noticiava-se a nomeação do sr. Dr. Francisco de Paula Santana Junior, para o cargo de Vice Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, substituindo o sr. Augusto César Lopes Pedrosa, que pediu a exoneração. (Posse em 22/10/52)

.
18-10-1952
A Associação dos Bombeiros Voluntários de Setúbal comemora amanhã o 69ºaniversário da sua fundação, em 19 de Outubro de 1883.
Primeiros Corpos Gerentes eleitos em 21/10/83:


Assembleia-Geral
Augusto Grill
Venâncio Olímpio F.Torres
António Pedro Cardoso Junior
Joaquim Patrício Frixell


Direcção
Álvaro José Baptista
Joaquim José Correia
José Manuel Correia
Eduardo A. Soares Rosa
João Guilherme Pereira
João José Pereira
João José Freitas Pereira

Eram 1º e 2º Comandantes, respectivamente, Henrique Augusto Pereira e Artur Mena.


Foram antigos comandantes da Corporação, para além do Henrique Augusto Pereira, e por Ordem Cronológica, os srs.;
José Oliveira Casaca
Henrique Augusto Rosa
Cap. José de Almeida Cassar
Luis Bastos Rodrigo Santana
Cap. José Augusto de Almeida e, actualmente,
Cap. António Santana.

.
29-10-1952
Tribunal
Era Juiz de Direito, no 1º Juízo, o Dr. Miguel Augusto Pinheiro.
Era Chefe da 1ª Secção, do 1ºJuizo, o sr.António Calheiros Ferreira Cruz.
Era Juiz de Direito, no 2ºJuízo, o Dr. José Luciano de Vilhena Pereira.
Era Chefe da 2ª Secção, do 1ºJuizo, o sr. Joaquim Diogo Araújo Fráguas.

Era Chefe da 2ª Secção, do 2ºJuizo, o sr. Orlando Anselmo Valadas.

19 outubro 2007

As "bonecas" de Don Flowers

Humor Antigo
com o traço de

Don Flowers


- Mas esse homem não é o teu noivo!...
- Pois não! Mas é o homem que vende a prestações lá para casa...

Liceu Nacional de Nun'Álvares

1945/46 1ºAno - Turma B

Não há fotografias da ala nascente do edifício do antigo Liceu que entretanto foi destruída, provavelmente ainda na década de 50.
Seria natural que num livro editado pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, saída em Junho de 1966 e dedicado à Adaptação do Paço Episcopal a Museu, nos fosse mostrada alguma fotografia dessa mesma ala, onde os caloiros de 1945 tiveram as suas aulas. E se não incluíram qualquer foto do topo poente do grande pátio é porque, provavelmente, aquele sector já não existia então.


Daquela publicação retirei as duas fotografias do Portão principal, antes e depois das obras efectuadas então pelo Ministério das Obras Públicas.

A posição actual do portão, virado a norte.

Como ele era em 1945/46

Através dele se vê o telheiro que nos abrigava da chuva, encostado ao muro lateral que protegia os alunos dos ventos gelados que no Inverno sopravam de norte, dos lados da serra da Estrela.

Na publicação referida se diz que "iniciadas as obras em 1964, foram em uma 1ªfase demolidos todos os acrescentos que, quer no passado século quer no actual, lhe haviam sido adossados os quais, não interessando como necessários para o desenvolvimento do Museu, permitiam com o seu desaparecimento, uma quase integral reintegração do traçado pretendido."

E "borrifaram-se" para a História do Liceu!... Nem ao menos uma fotografia tiraram àquela ala!!... Só pensaram no Museu... Esqueceram-se da História da Cidade!... Trucidaram de algum modo a História do nosso Liceu que depende agora da memória e da recordação de alguns milhares de Alunos que frequentaram aquela casa, enquanto Liceu de Castelo Branco e que ainda por cá andam...
.
Planta do 2ºpiso onde tiveram aulas os alunos da Turma B, no 1ºAno

Assinala-se a "Sala da Turma B"

............Segue-se a sua constituição:

1 Belarmina de Jesus Oliveira
2 Cesaltina da Conceição Araújo Antunes
3 Etelvina Jóia Afonso
4 Fernanda Oliveira Dias
5 Georgina Marques Aniceto
6 Ilda do Carmo Silva
7 Ilda Pina Guerra
8 Julieta Godinho Chamiço Heitor
9 Julieta Ribeiro Venâncio
10 Maria Alzira Vaz Lourenço
11 Manuela Manso Vaz
12 Maria Angélica Oliveira Ribeiro
13 Maria Branca Fradique de Sousa Vidal
14 Maria Helena Lourenço Dias Carreira
15 Maria Helena Marques Inácio
16 Maria Isabel Nunes de Sousa
17 Maria José Folgado Pereira
18 Maria Regina Araújo Mourão Afonso
19 Maria Júlia Ribeiro Costa
20 Maria Júlia da Silva Torres Peixoto
21 Maria de Lurdes Correia
22 Maria Luisa Grade Ribeiro
23 Maria Margarida Pereira da Silva
24 Maria Marques Araújo
25 Maria dos Santos Costa Lareia
26 Maria Rosa Dias Lopes
27 Maria do Rosário Silva
28 Maria Teresa Pequito Cravo
29 Maria Olímpia Castanheira Marques
30 Maria do Carmo Sequeira Ribeiro
31 Olga Carvalho Santos Violante
32 Otília Bispo Robalo Pereira
33 Otília Olímpia Marques
34 Teresa Brito Rodrigues
35 Maria Conceição Diogo Fevereiro

Muitas alunas desta turma andam por aí de boa saúde. Muitas delas sempre presentes na nossa memória e intervenientes em reuniões académicas…
A Ilda Guerra, a Julieta Heitor, a Branca Vidal, a Belinha Nunes de Sousa, a Zezinha da Polida são referências que vamos vendo ou de quem temos notícias com alguma regularidade.
Mais afastadas um pouco têm andado a Ilda do Carmo Silva, a Júlia Costa e a Júlia Torres Peixoto, a Guida Pereira da Silva e a Conceição Fevereiro.
Infelizmente uma ou outra já não estão connosco, como é o caso das colegas Georgina Marques Aniceto e da Maria Rosa Dias Lopes.

18 outubro 2007

Notícias da Reconquista.

Vê-se avançar o Progresso…

A nova Avenida Professor Doutor Egas Moniz, uma estrutura que liga a entrada sul da cidade à Quinta da Granja e passa pelo Fórum, vai ser inaugurada no dia 30 de Outubro, data em que também será aberto ao público o Fórum de Castelo Branco.”


Esta via constitui uma nova entrada para a cidade, como alternativa à Estrada Nacional 18” - é o Presidente Joaquim Morão quem o diz numa conversa havida com o jornalista João Carrega.
…a avenida “tem uma largura de 27,5 metros, com faixas de rodagem de cerca de 7 metros, um separador central de dois metros de largo e passeios com três metros. Além disso ficará dotada, de um dos lados, de uma ciclovia com 2,3 metros de largura.

O Futuro próximo…
Dentro de um ano, o Presidente quer ver concluída outra obra: o Lago do Centro de Lazer. É uma estrutura destinada ao recreio e ao lazer, com cerca de 26 mil metros quadrados de área.

Palavras de Joaquim Morão:
É uma obra cujo concurso público já foi lançado e que irá beneficiar toda a cidade e em particular a zona em que está inserida.

A planta do local onde vai ser construído o Lago.

“Com o Lago, é dado outro passo importante para que a Zona de Lazer comece a ganhar forma. Já temos as piscinas aquecidas, a piscina praia, os campos de futebol sintéticos e, a curto prazo, iremos lançar o concurso da Escola de Trânsito. Ou seja, progressivamente vamos dotando a Zona de Lazer de novos espaços, para que se torne um complexo de qualidade ao serviço dos Albicastrenses”.
O lago com um comprimento de 300 metros permitirá a prática da canoagem e do remo, tendo mesmo dois ancoradouros de barco.
Este complexo será ”um espaço de referência a nível nacional”
Castelo Branco está a sofrer o maior conjunto de obras de requalificação e expansão que a cidade algum dia teve. São estas requalificações e a construção de novos espaços que vão trazer mais gente até à cidade”.

Cfr. João Carrega
In. “Reconquista”
18.10.2007

No final deste apontamento, que li na Reconquista de hoje e é da autoria de João Carrega não quero deixar de fazer duas boas acções:

Um elogio ao Presidente Joaquim Morão! E o melhor elogio que lhe posso fazer é afirmar que, se vivesse em Castelo Branco…era ele quem levaria o meu voto!

Uma sugestão, à Câmara Municipal de Setúbal
“percam um bocadinho do vosso tempo e passem, quando vos der jeito, um fim de semana, na minha terra… Pode ser que aprendam alguma coisa!

E, de caminho, peçam ao Joquim Morão que vos diga como é que se lida com o...Polis!

Escrito na pedra...


"…E se alguém não tem moral para apontar o dedo seja a quem for, como é o caso de Joe Berardo – alguém a quem dificilmente se compraria um carro em segunda mão -..."

Podia estar "Escrito na pedra..."

José Manuel Fernandes

in. "Editorial" - Público
17 de Outubro de 2007

Pensamentos...

Mensagens reflexivas

Eu aprendi …
… que a melhor sala de aula do mundo está aos pés de uma pessoa mais velha
… que quanto menos tempo tenho mais coisas consigo fazer.
… que ter uma criança adormecida em seus braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo.
… que só se deve dar conselhos em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é um caso de vida ou de morte.
… que eu sempre posso rezar por alguém quando não posso ajudá-lo de alguma forma.
… que não importa quanta seriedade a vida exige de você , cada um de nós precisa de um Amigo brincalhão para se divertir junto.
… que dinheiro não compra “classe”.
… que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espectacular.
… que debaixo da “casca grossa” existe uma pessoa que deseja ser apreciada e amada e não se sabe manifestar.
… que se Deus não fez tudo num só dia, o que me faz pensar que eu possa?
… que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa.
… que eu gostaria de ter dito a minha Mãe que a amava, uma vez mais antes dela morrer.
… que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.
… que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar a sua aparência.
… que quando você planeia revoltar-se com alguém, apenas está permitindo que essa pessoa continue a magoar você

:::::::::::: Shakespeare dixit…
:::::::::::: (em inglês, claro!...)

17 outubro 2007

Kunsthistorisches Museum

Giovanni Bellini
Veneza, 1430-1516
Mulher nova ao espelho

O conceito de uma pintura cujo escopo máximo fosse a expressão de tranquilidade harmoniosa dominou a obra tardia de Bellini. Esta transfiguração foi por ele atingida nas obras da velhice. A figura humana eleva-se a uma grandeza estática. A mulher representada aparece liberta de qualquer tensão, de qualquer paixão interior. À paz do espírito corresponde a da paisagem, que resplende na luz da tarde.
(…) o mestre do Quattrocento veneziano permanece sempre fiel ao seu alto conceito de grandeza humana, pelo que, nas suas criações, a figura humana reina sempre sobre a paisagem.”

by Günther Heinz
in. “Grandes Museus do Mundo”
Ed. Verbo - Dezembro/1973

16 outubro 2007

Augusto Gil

O dilema

Se o pranto agita o teu divino seio,
Sinto um misto de pena e de receio.
É que não choras sem que um derrancado

Iago, cá por dentro, me sugira
- Que estás lavando um pecado,

- Ou regando uma mentira...


15 outubro 2007

Quem morava em Castelo Branco...

Quem morava em Castelo Branco, nos anos 40/50

No Largo da Sé não existiam apenas Serviços e Repartições Públicas.
Algumas figuras bem conhecidas em Castelo Branco também ali residiam ou trabalhavam .


No nº 8 – 1º andar, viveram durante muito tempo os professores José e João de Sena Esteves (os célebres "Mano Zé” e “Mano João” que foram ambos meus professores) antes de construírem a sua vivenda na rua Conselheiro Albuquerque.

No nº 9 – r/c, tinha a sua Papelaria e Livraria, o Sr. Carvalho (o Carvalhinho da Soalheira, um homem relativamente baixo que também alugava as "instalações sonoras" quando havia festas no Parque e por quantas aldeias houvesse nos arredores, em dias de festa…)
Este homem, muito activo, costumava dar assistência técnica sonora a uma "barraca de feira", nas Festas do Parque. Nessa barraca, as "Meninas da Assistência", costumavam sortear, através de uma tombola, vários lotes de panelas de alumínio, de vários tamanhos e encaixadas umas nas outras, que as donas de casa adoravam levar para casa, por tuta e meia... num sorteio feito a partir de uma roda de bicicleta que rodava até parar, num fundo onde estavam desenhados todos os números vendidos...

Eram também as "Meninas da Assistência", escolhidas entre as melhores Famílias de Castelo Branco, que vendiam por todo o Parque as rifas numeradas que cortavam de um livrinho que lhes era fornecido antes da cada sorteio. Depois, e antes de andar à roda, o Carvalhinho pegava no microfone e chamava-as para prestarem contas sobre as rifas vendidas e, só então, se fazia rodar a tombola... Sempre com a presença próxima da autoridade nomeada pelo Governo Civil.

Uma noite, o Parque quase vinha abaixo!!
O Carvalhinho, de microfone na mão, cheio de autoridade e segurança, anunciou, alto e bom som":
"Pedimos à Meninas Paneleiras que podem dirigir-se à barraca, para prestarem contas, porque se aproxima o momento de andar à roda para a Série nº19 do sorteio do trem que está em jogo!"
Ningém queria acreditar no acabava de ouvir... nem o Carvalhinho que, impávido e sereno, nem deu pela enormidade que acabava de proferir!

Quase em frente à papelaria do Carvalhinho, no próprio edifício do BNU, vivia no 2ºandar, o Sr. Silva Pereira que era então a primeira figura daquela Instituição Bancária.

Em frente, o edifício do BNU e, à direita, a loja do Carvalhinho

De todos os filhos do Gerente do BNU, o mais velho deixou um nome memorável como o maior jogador de Voleibol que passou pelas escolas de Castelo Branco. Chamava-se Valeriano da Silva Pereira e tornou imbatível a equipa de Volei do Instituto de Santo António enquanto foi aluno na nossa cidade. Já faleceu há uns anos.

A Equipa de Cadetes do Instituto de Santo António

Em 1º plano: sr.Russinho, Martinho Candeias, Venâncio Leão, Valeriano e Raposo e em 2º plano: Rolão Preto, Rolo, Barreto(?), Alberto Morão e Professor dirigente

No r/c e no 1ºandar deste edifício, onde moraram os Silva Pereira, situavam-se as instalações do Banco Nacional Ultramarino.

No Largo da Sé, nº11 - 1ºandar, funcionava a Secretaria dos CTT (onde o meu Pai trabalhou uma vida inteira…)

O Largo da Sé na década de 40

No rés-do-chão deste mesmo edifício, com entrada pelo nº15 situava-se a Repartição dos Correios aberta ao público, um espaço acanhado mas, provavelmente, suficiente para o movimento que então existia naquela casa… salvo nos momentos da “Última Hora” onde íamos a correr para comprar o selo de uma carta que tinha de seguir para o seu destino, momentos antes de um “estafeta” levar, à pressa, essa correspondência… à Estação da CP.

No outro lado do Largo, quase encostado à , no Edifício onde actualmente está situado o Conservatório, funcionava o Tribunal de Castelo Branco, no 1ºandar. No rés-do-chão do mesmo edifício, com entrada lateral, mostrava-se a Conservadora do Registo Civil com as figuras “memoráveis” do Sr. Penha, já por essa altura muito surdo, e o “pupilo” Mário Neves da Silva, o “Marinho” nome por que era conhecido por ser um rapaz muito baixinho,

14 outubro 2007

Leia e medite...

António Barreto dixit…

“Tarde ou cedo haverá acordo e Tratado. E quase todos estão disponíveis para evitar os referendos e proceder, assim, sem a voz dos povos, à liquidação dos parlamentos nacionais. Estes serão, de futuro, tão importantes como uma Associação de Antigos Estudantes ou como a Confraria do Besugo. Os dias que aí vêem são o princípio da morte da democracia nacional. Sem que haja uma democracia europeia que a substitua e a melhore. É pena que a presidência portuguesa seja a agência funerária. Que o primeiro-ministro português seja o mestre-de-cerimónias. E que o cangalheiro, presidente da comissão, seja também português. Triste vocação!”

In “Uma semana negra”
Retrato da Semana

Público – 14.10.2007

Beira Baixa - Notícias - Nov-Dez/1953

7 de Novembro
Comentário" de "Observer" sobre os Estudantes com capa a pedirem o Santoro!
Ainda se pedissem só a gente conhecida... (Mas que grande "cabeça"...)
.
7 de Novembro
DrªMaria José Vieira Lopes
Concluiu a sua formatura na Faculdade de Ciências de Lisboa, em Matemáticas, com elevada classificação.
.
14 de Novembro
Coronel Eduardo Braziel
Na última Ordem do Exército foi promovido ao posto de Coronel o distinto oficial superior do exército Eduardo Alberto de Abreu Braziel que continua a comandar o Regimento de Cavalaria nº8.
.
14 de Novembro
Eleições
Resultado da Eleição de Deputados à Assembleia Nacional, em Castelo Branco ( uma só lista )
Na Freguesia -- eleitores 1570
votantes 1160
No Concelho -- eleitores 7186
votantes 6079
No Distrito ..-- eleitores 40163
votantes 33653


.
21 de Novembro
Liceu Nacional de Castelo Branco
Aviso aos Encarregados de Educação sobre as horas de atendimento dos srs.Directores de Ciclo:
1º Ciclo -- Dr.João de Sena Esteves -- 2ª feira -- às 11h 35m
2º Ciclo -- Dr.João Mansinho . . . . . -- 2ª feira -- às 11h 35m
3º Ciclo -- Dr.Augusto Russo. . . . . . -- 2ª feira -- às 11h 35m
.
21 de Novembro
Pedido de Casamento
Para seu filho, sr.Artur Vicente Valente, foi pedida em casamento pelo sr. José Vicente Valente, a srªD.Maria Odete Gomes Cortes.

.
5 de Dezembro
Dr.Jorge Seabra
Recordando o passado "Várias "histórias" numa crónica só...."
.
12 de Dezembro
Dr.M.Lopes Louro
Acaba de instalar no seu consultório na Av. Marechal Carmona, 35, uma moderna e potente aparelhagem de Raios X

13 outubro 2007

o CAIMF

Clube Académico Independente
"os Milionários da Figueirinha"

No início dos anos sessenta ainda existia o CAIMF – Clube Académico Independente os Milionários da Figueirinha.
Estava já numa fase terminal…quase moribunda…
Quando o conheci, este Clube tinha a sede num rés-do-chão da Avenida 22 de Dezembro onde funcionava o escritório de uma empresa do pai do Dr. Victor Dias, na qual trabalhava o Cagica que desempenhava então o cargo de Secretário do Clube.
Num dos últimos anos da sua existência também fiz parte dos Corpos gerentes do Clube onde me lembro de ter dado alguma ajuda às figuras mais proeminentes do Grupo, cujas actividades de maior destaque se ligavam à Caça Submarina.

Nesta modalidade foram Campeões Nacionais durante várias épocas. Por essa altura, os nomes de Carlos Manafaia, Décio Gomes, Victor Dias, Cristóvão Silva, Lomelino Gil, Silveira da Cunha e outros, deram cartas nos campeonatos nacionais e internacionais de Caça Submarina.

Uma pesquisa levada a cabo há já algum tempo, revela-nos alguns pormenores curiosos da vida do Clube, quase todos situados entre os finais da década de 50 e o ano de 1962.

Um pormenor cheio de interesse, que esteve na base da organização deste “post”, diz respeito, não à actividade sub-aquática mas sim à actividade futebolística!
O CAIMF tinha também uma equipa de futebol Não sei se “uma boa equipa” ou se uma equipa que só vestia o equipamento em dias… de festa!
De qualquer modo, e porque o Clube é de Actividades Sub Aquáticas, ninguém ficaria zangado se este grupo de futebol… “metesse água” de vez em quando…
A fotografia que aqui mostro foi-me cedida por um sócio da CAIMF, o Sr. Victor Hugo Delgado, a quem fico grato por me permitir a sua publicação.

Foto tirada em Agosto de 1949


Legenda:
Em pé: Abílio Guilherme, Luís Sobrinho, Victor Hugo Delgado, Manuel Pereira, Jaime Forte Faria, Rogério Rolão
De joelhos: João Salgueiro, José Rica, Victor Dias, José Luis Nascimento, Rui Ramos Reynaud e Humberto Arocha.

Seguem-se algumas notícias sobre o CAIMF publicadas em órgãos da comunicação social de Setúbal.

10-07-1957
Desporto
Curiosidade de Caça Submarina
... na praia da Figueirinha, o Sr. Lomelino da Costa Gil,... achou no meio das algas, pedra e areia, uma aliança de ouro, de casamento, com a seguinte inscrição:" 25.12.53 -- Isabel"
O Sr. Costa Gil depositou o achado na "esplanada" de que é concessionário o Sr. Victor Hugo Delgado...

(no "local de trabalho" a sede do Clube era o restaurante "Vela Verde", lá ao fundo da praia e que era gerido pelo sócio Victor Hugo Delgado.)
.
07-04-1958
Clubes
"Os Milionários da Figueirinha"
Novos Corpos Gerentes
Assembleia Geral
Presidente. . . . : Luis Filipe Fernandes
Vice Presidente : José Fernandes Alves Cândido
Secretário. . . . : Manuel Carlos de Oliveira e Silva
Secretário:::::::: Carlos Alberto Guerreiro Costa

Direcção
Presidente. . . . : José Luis Lacasta Nascimento e Oliveira
Vice Presidente : Fernando César Batalha Lopes Pedrosa
Secretário.......: Rui Cândido
Secretário. . . . : Orlando Cerqueira de Brito
Tesoureiro. .. . : António José dos Santos Mendes

Conselho Fiscal
Presidente. .. . : João Carlos Rosa Salgueiro
Secretário . . . : José Figueiredo Pereira Rica
Relator . . . .. .: Jorge Manuel da Silva Costa



06-09-1958
Vela Verde
Está instalada na melhor área da Praia da Figueirinha uma atraente "esplanada" coberta, com esmerado serviço de bar, restaurante...

15-06-1959
Caça Submarina
Disputou-se ontem o torneio inter sócios do CAIMF na zona situada entre as Três Irmãs e a Praia do Cozinhadouro, que teve como vencedor absoluto o Dr. Victor Dias.

29-06-1959
Iº Torneio de Caça Submarina do CAIMF (em 14-06-1959)
Júri Técnico:
Director da prova: Prof. Cristóvão Silva
Secretário: António Mendes
Pesagem: João Salgueiro
Fotografia: Manuel Pereira
Assistência médica: Drs. Eduardo Soveral Rodrigues e Victor Dias
Enfermagem: Alfredo Salgueiro
Recepção: Horácio Pereira
Imprensa: A.M.
Mergulhador com escafandro autónomo: Chaves

Júri de Honra:
Delegado do Capitão do Porto
Delegado do Director da Junta Autónoma
Delegado de Saúde

Classificação Absoluta:
1º. Dr. Victor Dias
2º. Belmiro Monteiro
3º. Dr. Soveral Rodrigues
4º. Agostinho Silva
5º. Fernando Salgueiro
6º. M. Valente
7º. Carlos Costa
8º. Rui Alves
9º. José Rica

31.07.1960
Caça submarina
Décio Gomes, do CAIMF, conquistou o 1ºlugar, na 1ªjornada do Campeonato Nacional, realizado ontem em Sesimbra.
O CAIMF classificou-se em 2ºlugar por equipas.

01 08 1960
VI Campeonato Nacional de Caça Submarina
A equipa do CAIMF conquistou o 2ºlugar em Sesimbra e o 1º em Peniche.
Décio e Manafaia no campeonato mundial em Itália.
A equipa do CAIMF era constituída por Carlos Manafaia, Décio Gomes e Dr. Victor Dias.

09.08.1961
Campeonato Nacional de Caça Submarina
1ºlugar individual: Silveira da Cunha - CAIMF
1ºlugar por equipas: Equipa A, do CAIMF
Esta equipa alinhou com:
Silveira da Cunha - 1ºlugar com 84260 pontos
Décio Gomes - 2ªlugar com 77992 pontos
Carlos Manafaia - 3ºlugar com 67882 pontos

06.08.1962
Caça submarina
Carlos Manafaia e os Milionários da Figueirinha confirmaram o título de campeões nacionais.

12 outubro 2007

Liceu Nacional de Nun'Álvares - 1945/46

Entrei no Liceu de Castelo Branco em 1 de Outubro de 1945.
Este foi o último ano lectivo em que o Paço Episcopal albergou
os alunos do ensino liceal, na nossa Cidade.

Andei os dois primeiros períodos escolares, do meu 1ºAno, ainda neste belo edifício.
Em 3 de Maio de 1946 foi inaugurado o novo Liceu de Nun’Álvares. O terceiro período deste ano lectivo já foi passado na Avenida da Estação…

Para que a Memória não desapareça vou deixar aqui o nome de todos os caloiros que àquela data frequentavam comigo as quatro turmas existentes em 1945/46.
(Para não cansar muito deixarei uma turma de cada vez…)

Ao fundo, mais aquém dos ciprestes que ali vemos agora, existia a ala do edifício do antigo Liceu onde tiveram aulas as turmas daquele 1ºAno. O portão principal, voltado a norte, por onde agora se tem acesso ao edifício do actual Museu, situava-se então entre as duas colunas que vemos em primeiro plano. Era no topo oposto que se situavam as salas das turmas do 1ºAno.


A entrada principal do Liceu, tal como era em 1945 (foto cedida por JPBarata)

No primeiro andar desse bloco, que já não existe, exposto a nascente e situado à direita do edifício principal, havia um corredor relativamente largo (e cujas janelas abriam para o enorme pátio) que servia de sala de Desenho, onde o Dr. Mendonça (conhecido por Dr.Pirisca, por ser um inveterado fumador) dava as suas aulas. Era para esse corredor (Sala de Desenho) que abriam as portas de três das quatro salas (as janelas abriam para trás, para poente) onde “residiam” os alunos do 1º Ano. A outra turma (o 1ºC) tinha aulas no piso térreo, por baixo destas outras salas e tinha saída directa para o pátio grande.

1945/46

1ºAno - Turma A

.1 Esperança Piedade Antunes
.2 Evangelina Campos Nunes de Azevedo
.3 Gisela Ramos Lopes Pereira
.4 Imelda Graça Costa Calamote
.5 Isaura de Jesus Moreira
.6 Irene Jesus Oliveira Rodrigues
.7 Manuela Carvalhão Mendes
.8 Maria Adelaide Simões de Mendonça
.9 Maria dos Altos Céus Nunes de Oliveira Martins
10 Maria Amélia Matos Rascão
11 Luísa Carmona Ribeiro
12 Maria Cândida Garrido
13 Maria do Céu Antunes
14 Maria José Ventura Marques
15 Maria Conceição Marques Fonseca
16 Maria Doroteia Moreira Dias Coutinho
17 Maria Emília Lopes Esteves
18 Maria Guilhermina Pissarra Abreu
19 Maria Helena Freixo Romeira
20 Maria Helena Piedade Mateus
21 Maria Isabel S. Correia Rolão
22 Maria José Pinto Correia
23 Maria Leonor Romão Dias Carreira
24 Maria de Lurdes C. Sousa Ruivo
25 Maria de Lurdes Rosário Dias
26 Maria Luísa Torrado Goulão
27 Maria Manuela Alves Igreja
28 Maria Odete Antunes Bártolo
29 Maria Onémia Carmona Cardoso
30 Maria Rita Abreu Marques Pinheiro
31 Maria Rosa Ribeiro Ramos
32 Maria Rosário Cardoso Ribeiro
33 Maria Siborro Vicente
34 Nazaré Cardoso Carmona
35 Norlinda Jesus Pires Vinagre
36 Pilar da Conceição Neto

Perdi o rasto a muitas destas nossas colegas, mas muitas outras continuaram pela vida fora a dar sinal de si, quer em reuniões escolares em Lisboa ou Castelo Branco ou em encontros escolares "gastronómicos" ou mesmo em encontros meramente fortuitos, como a Irene Rodrigues, a Amélia Rascão, a Maria Emília, a Helena Mateus (Roseiro), a Odete Bártolo, a Maria Onémia (Mendes Jorge),a Rosita (do Pombalinho) e a Norlinda.

Algumas outras já não vejo há imensos anos mas nunca deixei de saber por onde param e de as recordar sempre que comuns amigos/as nos falam delas, como a Mimi Mendonça, a Tateia Dias Coutunho,a Maria Leonor Carreira, a Maria José (Morão) Pinto Correia e a Maria Luisa Goulão (Branco).