31 março 2008

Alice Vieira

A Geração do ecrã
In, “Jornal de Notícias
30.03.2008
Alice Vieira,
Escritora

Alice Vieira

Desculpem se trago hoje à baila a história da professora agredida pela aluna, numa escola do Porto, um caso de que já toda a gente falou, mas estive longe da civilização por uns dias e, diante de tudo o que agora vi e ouvi (sim, também vi o vídeo), palavra que a única coisa que acho verdadeiramente espantosa é o espanto das pessoas.
.
Só quem não tem entrado numa escola nestes últimos anos, só quem não contacta com gente desta idade, só quem não anda nas ruas nem nos transportes públicos, só quem nunca viu os "Morangos com açúcar", só quem tem andado completamente cego (e surdo) de todo é que pode ter ficado surpreendido.
.
Se isto fosse o caso isolado de uma aluna que tivesse ultrapassado todos os limites e agredido uma professora pelo mais fútil dos motivos - bem estaríamos nós! Haveria um culpado, haveria um castigo, e o caso arrumava-se.
.
Mas casos destes existem pelas escolas do país inteiro. (Só mesmo a sr.ª ministra - que não entra numa escola sem avisar - é que tem coragem de afirmar que não existe violência nas escolas)
.
Este caso só é mais importante do que outros porque apareceu em vídeo, e foi levado à televisão, e agora sim, agora sabemos finalmente que a violência existe!
.
O pior é que isto não tem apenas a ver com uma aluna, ou com uma professora, ou com uma escola, ou com um estrato social.
.
Isto tem a ver com qualquer coisa de muito mais profundo e muito mais assustador.
Isto tem a ver com a espécie de geração que estamos a criar.
.
Há anos que as nossas crianças não são educadas por pessoas. Há anos que as nossas crianças são educadas por ecrãs.
.
E o vidro não cria empatia. A empatia só se cria se, diante dos nossos olhos, tivermos outros olhos, se tivermos um rosto humano.
.
E por isso as nossas crianças crescem sem emoções, crescem frias por dentro, sem um olhar para os outros que as rodeiam.
.
Durante anos, foram criadas na ilusão de que tudo lhes era permitido.
Durante anos, foram criadas na ilusão de que a vida era uma longa avenida de prazer, sem regras, sem leis, e que nada, absolutamente nada, dava trabalho.
E durante anos os pais e os professores foram deixando que isto acontecesse.
.
A aluna que agrediu esta professora (e onde estavam as auxiliares-não-sei-de-quê, que dantes se chamavam contínuas, que não deram por aquela barulheira e nem sequer se lembraram de abrir a porta da sala para ver o que se passava?) é a mesma que empurra um velho no autocarro, ou o insulta com palavrões de carroceiro (que me perdoem os carroceiros), ou espeta um gelado na cara de uma (outra) professora, e muitas outras coisas igualmente verdadeiras que se passam todos os dias.
.
A escola, hoje, serve para tudo menos para estudar.
A casa, hoje, serve para tudo menos para dar (as mínimas) noções de comportamento.
.
E eles vão continuando a viver, desumanizados, diante de um ecrã.
.
E nós deixamos.
.
Alice Vieira

Setubalense - 1954 - Novembro

02-11-1954
Homenagem ao Dr.Mendes Dordio
A homenagem prevista é anulada.
Transcrição de carta recebida pela Comissão Organizadora:

.
"Setúbal, 29.X.954
Exmº Sr. Dr. Carlos Patrício Paúl e meu prezado amigo
Logo que tive conhecimento da preparação da homenagem, imerecida, que alguns amigos me desejam prestar, com um banquete a realizar no Clube Setubalense no dia 6 do próximo mês, ponderei demoradamente sobre a resolução que devia tomar. O meu temperamento não se coaduna com estas manifestações, porque tenho tido sempre uma vida dedicada assiduamente ao trabalho e sem exteriorização de qualquer natureza. Por esse facto peço licença para solicitar a anulação do banquete, visto que é meu desejo que não se realize."

.
06-11-1954
Homenagem ao Dr.Mendes Dordio (1ªpág. c/foto)


À hora que começa a circular hoje pelas ruas, o nosso jornal, deve estar a terminar no Liceu Nacional de Setúbal, a festa de homenagem ao antigo professor, e mais tarde Reitor desse estabelecimento de ensino, Exº Sr. Dr. Cipriano Mendes Dordio.
.
08-11-1954
Notícias Pessoais
A festa de homenagem ao Dr.Mendes Dordio (1ªpág.)
"...Num dos anfiteatros, superlotado, assistiu-se à última lição do professor, lição simbólica mas que resume toda uma vida dedicada ao ensino, de que o Dr.Mendes Dordio se desligou em Setembro passado. Na forma habitual, fez ao acaso uma "chamada à lição" recaindo a mesma na pessoa do ex-aluno Dr.José Soveral Rodrigues. O facto, por inesperado, causou certo "nervosismo" aparente no examinando e hilariedade na assistência. Sempre em tom jocoso, travou-se vivo diálogo entre o antigo Mestre e o ex-aluno, hoje distintos colegas em Medicina. Este alegava que não vinha preparado, mas logo o Professor objectou que a água... toda a gente a conhece". O aluno, tomando este tema, cita com desembaraço todas as fórmulas do composto de Hidrogénio e Oxigénio. E no quadro preto escreve-as, desde o OH2 ou H2O, como modernamente se diz, até à OH2pé que, na gíria académica quer dizer "água-pé". O Mestre faz depois sérias e profundas considerações sobre a evolução da Física e da Química até aos nossos dias, mostrando o avanço da ciência nestes sectores, tendo sido escutado muito atentamente. Terminada a aula, terminava a actividade do Dr.Mendes Dordio, no Magistério."
.
08-11-1954
A festa de homenagem ao Dr.Mendes Dordio
Sessão Solene
No Ginásio, a Mesa foi constituída pelo Dr. Mendonça e Costa, vice-Reitor, que teve a seu lado os srs. Dr. Cipriano Mendes Dordio e Major Marques de Andrade, da Direcção Geral do Ensino Secundárioe, ainda, os professores Dr.ª D. Ofélia Carvalhão e Dr.ª Elisa Arco e os professores Drs. Aires de Abreu, Joaquim Arco, Estêvão Moreira e Lacerda Ferreira, este na qualidade de ex-professor do Liceu.
Os Discursos
Em nome dos alunos falou o quintanista Jorge Paúl. Em nome das alunas falou a menina Catarina Matos Perienes. Falaram ainda os senhores Carlos Hydalgo Loureiro, condiscípulo em Évora, falou o professor Dr. António Bandeira. O aluno Rui Alves ofereceu, em nome da Academia, uma artística lembrança.
.
10-11-1954
Notícias Pessoais
Foi nomeado Vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal, o Sr. Dr. Manuel Seabra Carqueijeiro.
.
13-11-1954
Notícias Pessoais
Por convite da Sociedade de Escritores-Compositores, foi nomeado seu representante neste Concelho o Sr. José Leitão Ferreira.
.
13-11-1954
Novo Vice-presidente da Câmara
Causou geral satisfação a notícia da nomeação do nosso conterrâneo, distinto médico e um valor social da nossa terra, Sr. Dr. Manuel Seabra Carqueijeiro, cuja portaria do dia 6, foi publicada no Diário do Governo" de 12 do corrente, 2ªSérie, nº266. O acto de posse está marcado para o dia 17, quarta-feira, na sede do Governo Civil.
.
15-11-1954
Notícias Pessoais
Um aniversário (com foto na 1ªpágina)
Fez ontem anos, o nosso querido amigo e distinto médico de Setúbal sr.Dr.José Paulo Pereira Machado a quem a população da cidade muito considera e estima. . 15-11-1954
Notícias Pessoais
Faz hoje 12 anos que faleceu no Hospital de Setúbal, o Eng. Duarte Pacheco.
.


17-11-1954
Novo médico
O Sr. Dr. Fernando de Pádua começa amanhã a exercer clínica nesta cidade.
.
20-11-1954
Funcionalismo público
Pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros foi colocado na Delegação de Portugal em Nova Deli, o 3º Secretário sr.Dr.José Manuel Noronha Gamito, distinto setubalense.
.
24-11-1954
Distrito
As terras de Foros de Cabanas e Fernão Ferro, nos concelhos de Palmela e do Seixal, vão ser expropriadas e entregues, por venda, aos que as cultivam.
.
27-11-1954
A festa de homenagem ao Sr. Eng. Armando Medeiros
Realizou-se na terça-feira (23.11.54) na Sala Joaquim Ferreira de Sousa, pela passagem do seu aniversário natalício. Presidiu à sessão, sua esposa D.Maria da Assunção Medeiros. Usou da palavra o Dr. Marques dos Santos, em nome do corpo docente.
.
29-11-1954
C.M.Setúbal
Foram eleitos os diversos representantes do Conselho Municipal, que ficou assim constituído:
Eng. Fernando Porto Soares Franco
Alfredo Figueiredo da Silva
Alfredo Pereira Sequeira
António Henriques de Oliveira, pelas Freguesias.
Dr.José Soares Franco, pelas Misericórdias
Ricardo Correia e Eduardo da Conceição Mesquita, pelos sindicatos
Zófimo Encarnação Luz, pela Casa do Povo de Azeitão
Com. Laurindo Henrique dos Santos, Capitão do Porto
António Luis Esteves, pelo Grémio da Lavoura
Manuel José Goes, pelo Grémio do Comércio
Eng.António Soares Franco, pela União Vinícola
O Conselho Municipal, por sua vez, elegeu a Câmara, que terá a seguinte constituição:

.
Vereadores efectivos
Afonso Henriques Rocha
Eng.António Barroso
Eng.António Soares Franco
Dr. Eduardo Albarran
Dr. Joaquim Arco
José Narciso de Freitas

.
Vereadores substitutos
Carlos José Pinto
Dr. Henrique Chancerelle de Machete
Joaquim Rodrigues Simões
Dr.José Caldeira Areias
José Veríssimo Abrantes e
Eng. Raul Veríssimo de Mira

29 março 2008

Às vezes também diz "coisas acertadas"...

Hoje, no Correio da Manhã
in "Coisas do Circo"
com o título
'A cena do Ódio'

Emídio Rangel

Deixo aqui alguns "excertos" do artigo de Emídio Rangel:

"O que mais me impressiona naquele filme dantesco é a total desconsideração e falta de respeito de um aluno por um professor.
.
Ao longo da vida já fui ‘espectador’ forçado de actos que me pareciam absurdos, quase impossíveis, mas depois constato, na sua crueza, que estão muito para além daquilo que a minha imaginação seria capaz de inventar.

.
(...)
Talvez por isso julgo que seja devido um agradecimento ao aluno que, embora envolvido na mesma bandalheira, resolveu gravar as imagens e o som do incidente que ocorreu na Escola Carolina Micaelis, no Porto. É que, confesso, eu não conseguiria formatar na sua verdadeira dimensão aquilo que a televisão me mostrou mais tarde.

.
(…)
Aquilo ocorreu numa escola portuguesa mas é cena típica de tabernas, depois de muito álcool ingerido, ou de casas de prostitutas quando as ditas perdem as estribeiras e se envolvem em lutas ferozes, ou de bairros degradados onde as leis e o civismo não ‘funcionam’ e onde, de repente, se começa uma batalha campal ‘por dá cá aquela palha’.

.
(...)
O que mais me impressiona naquele filme dantesco é a total desconsideração e falta de respeito de um aluno por um professor.

.
(…)
Aquilo é tudo menos uma escola onde os alunos vão aprender o que quer que seja, porque a primeira coisa que se aprende na escola é a consideração e o respeito pelo professor.

.
(…)
Espero e desejo que aquela aluna, que gritava à sua professora à medida que a ia esfrangalhando, seja expulsa. Não se pode contemporizar com esta indisciplina, falta de respeito, falta de tudo... Julgo que a expulsão deve ser só a medida mínima a aplicar. Se puder ser incriminada e passar por uma casa de correcção, porque julgo que ainda é menor, é ainda uma punição leve que fica longe da violência praticada. Aquele ‘espectáculo’ mostrado ao País, logo a todos os alunos, tem de ser severamente punido para que sirva de exemplo.

.
(…)
Ontem, li declarações de um miúdo de 18 anos que se auto-intitula membro da ‘Plataforma Directores Não’

.
(…)
Afirma que há ‘bufos’ nas escolas e que neste momento qualquer aluno que se manifeste contra as medidas do Governo e do Ministério da Educação é alvo de um relatório que é entregue às direcções de Segurança e de Educação do Ministério da Educação.

.
(…)
A pergunta óbvia é: quem é que anda a destabilizar as escolas secundárias e a usar os miúdos nestas andanças, fazendo nascer movimentos para que não haja, ou não se respeite, ou não se aceite a figura do director? Desconfio que para além dos alunos ultra-indisciplinados há professores que também precisam de ser expulsos das escolas. Em Democracia não vale tudo."
.
Emídio Rangel, Jornalista

As minhas turmas... 5ºB - 1965/66

5ºAno - Turma B
em 1965- 66
.
Fui professor desta Turma
em Ciências Naturais
.

Abílio Manuel Martins Torres
Albino Fernando Rosado Barbosa
Aníbal Manuel Augusto Toucinho
António Justo de Sousa Tomaz
António Luis Claro Correia
António Luis Gomes Gonçalves
António Manuel de Jesus da Silva
Carlos Alberto Monteiro Bicas
Carlos Daniel Rodrigues da Silva




Helder Bastos Veríssimo
Helder Castanho de Moura Pereira
Hermínio Miranda Lopes
Ilídio Cardoso Pais Loureiro
Joaquim Diamantino T.Rodrigues
Jorge Manuel Cabrita dos Santos Silva
Jorge Manuel Silva Lima Duarte
José Adriano Rocha de Morais
José Alberto Simões Rocha



José António Encarnação Rodrigues
José Augusto Alves de Jesus
José Carlos Gonçalves da Clara
José Eduardo Nascimento Martins
José Joaquim Godinho Entrudo
Justo Manuel Tavares
José Luis Antunes Valente
Júlio Manuel Domingos Rei Margarido
Licínio Camões Alves Cardoso


Manuel Conde Raimundo
Manuel Francisco Alves Lisboa
Manuel Mariano Jorge da Silva
Paulo Emílio Ricardo da Costa
Ricardo Jorge Albano Viegas Godinho
Rogério Nuno Moniz de Melo
Rui Manuel Barreto Tibúrcio
Rui Manuel França d'Almada Burguete
José Francisco Montes Toscano Selão


Delfim Cabral Esteves Lopes
.
Pertenceram ainda a esta turma os alunos:
Francisco Oliveira Campos de Carvalho e
Ceita da Costa *

* Ceita da Costa foi meu aluno apenas um dia!
Escrevi na página respectiva da caderneta:
"Apareceu, cumprimentou... e foi-se!"
Foi o primeiro aluno negro que eu tive.

Parabéns!... 29 de Março

Margarida Delgado, a neta do Victor Hugo, faz hoje 8 anos.
Muitos parabéns!... e muitos beijinhos...

Margarida Feist Delgado

28 março 2008

José Miguel Júdice...

"Parquímetros e violência escolar"
é o título da "coluna" do JMJúdice,
no "Público" de hoje,
José Miguel Júdice
.
Desse texto, reproduzimos alguns excertos:
(…)
Vem tudo isto a propósito da violência sobre professores e da indisciplina reinante nas escolas. Trogloditas de várias idades, selvagenzinhos habituados a que tudo lhes seja tolerado, impunes e com sensação de impunidade, apoiados por psicólogos entontecidos e com teorias desculpabilizadoras, mal-educados e habituados à violência, fazem com que se instale nas escolas algo semelhante ao problema dos parquímetros, dos graffiti, e das ruas emporcalhadas.
(…)
Também nas escolas se pactua demasiado com esta bandalheira: a pretensa origem social dos problemas, a tese peregrina de que os problemas são "pontuais", a falta de coragem dos responsáveis, o facilitismo e a convicção de que não vale a pena tentar lutar contra isto, tudo se acumula para que o sistema esteja a degradar-se cada dia mais
(…)
E o que ocorre nas escolas é muito mais grave do que nos outros exemplos que trouxe à colação. Em cada ano que passa sem que se crie disciplina, rigor e hábitos de trabalho nas escolas, a degradação acentua-se. A desmotivação dos professores, a convicção dos jovens de que nada lhes pode ser pedido, a diminuição dos graus de exigência estão a destruir o futuro e a consolidar um ciclo vicioso de degradação.
(…)
É preciso por isso atalhar e depressa este estado de coisas. É preciso que os professores assumam as suas responsabilidades, que exijam condições para a disciplina, que denunciem a pusilanimidade que exista. É preciso que o absurdo Estatuto do Aluno seja revisto; é inadmissível que um estudante que faça o que se fez no Carolina Michaëlis (ou pior) só possa ser punido com dez dias de suspensão (…) ou deslocado para outra escola! É preciso que os alunos possam chumbar por faltas, possam chumbar por falta de preparação, sintam na pele (eles e os paizinhos) que as coisas doem e não julguem que tanto faz trabalhar como não trabalhar porque o resultado final é sempre idêntico, a promoção automática para o ano seguinte.
(…)
E os conselhos directivos também têm de mudar de vida. É inadmissível que prefiram silenciar as queixas de professores, funcionários e outros alunos, refugiando-se na estúpida teoria de que são situações pontuais, que se não pode criar alarme social, que são coisas de crianças, que o problema é da sociedade. É que esta maneira de agir desmotiva os professores e todos os que estejam dispostos a não ceder aos brutos, aos mal-educados, aos selvagens, aos que destroem a viabilidade de um ambiente que permita o desenvolvimento escolar.
(…)
O problema é geral e tem de ser enfrentado. Portugal não pode continuar a ser um território de bandalheira, de falta de rigor, sem exigência, em que se sente que não vale a pena cumprir as regras, respeitar as leis, trabalhar com dedicação.

As minhas fotos preferidas

Gaiata do Castelo Velho

Foto obtida em 3 de Maio de 1973

27 março 2008

Giovanni Bellini

Giovanni Bellini
Veneza, 1430 – 1516
Mulher nova ao espelho

.

Mulher nova ao espelho

O conceito de uma pintura cujo escopo máximo fosse a expressão de tranquilidade harmoniosa dominou a obra tardia de Bellini. Esta transfiguração foi por ele atingida nas obras da velhice. A figura humana eleva-se a uma grandeza estática. A mulher representada aparece liberta de qualquer tensão, de qualquer paixão interior. À paz de espírito corresponde a da paisagem, que resplende na luz da tarde. Também nos seus últimos anos o pintor não renunciou a aproximar-se do mundo ideal dos mestres mais jovens. O acordo entre a Natureza e o homem, que foi realizado por Giorgione, estava há longo tempo sendo preparado nas obras de Bellini. Todavia, o mestre do Quattrocento veneziano permanece sempre fiel ao seu alto conceito de grandeza humana, pelo que, nas suas criações, a figura humana reina sempre sobre a paisagem.

Cfr. Günther Heinz
In “Kunsthistorischhes”
Ed.Verbo – Dezembro/1973

As minhas turmas... 5ºA - 1965/66

5ºAno - Turma A
em 1965/66
.
Fui professor desta Turma
em Ciências Naturais

António Aurélio Dores Pestana da Silva
António Francisco Nunes Santos Teixeira
António José de Jesus Marcelino
António José Oliveira Almeida
António Manuel Severino Gonçalves
António Mário Miguens Marques Barreto
Armando Manuel Carvalheira Pedrosa
Artur José de Almeida Santos
Baltasar Manuel Caetano Mestre

Carlos Alberto Martins Costa Oliveira
Carlos Joaquim Carvalho Ganopa
Carlos Manuel da Silva Santos
Fernando Augusto Silva Barbosa
Fernando Carlos do Carmo Santos
Fernando Diogo Dias Nazário
Fernando João Guerreiro Pereira
Fernando Ziegler Raimundo
Helder Pacheco Machado


Horácio Mendonça Martins
Jean-Pierre de Portugal Trevidic
João Gabriel Fraga Loureiro Moreira
João Manuel Guerreiro Marçalo
João Manuel Pinto Figueira Curado
João Trindade Cané Pestana
José António de Pádua Marcelino
José António Romão Eusébio
José Carlos Estevinho Fronteira

José Inácio Batista Viegas
José Manuel Nunes dos Santos
José Ricardo Abreu Costa Brito
José de Sousa Martins
Júlio Carlos da Silva
Luis António Martins Marques
Luis Filipe dos Santos Rosado
Luis Manuel Rodrigues Gomes
Manuel Araújo Carqueijeiro

Marçal Teixeira Gouveia
Raul Bernardo Mourato Ramos Gouveia
Rui Manuel Cardoso dos Santos
Sebastião Sérgio Ferreira da Gama

26 março 2008

Beira Baixa - Notícias de 1955 - Ago/Dezembro

6 de Agosto
Novo Médico
Concluiu há pouco, em Coimbra, o curso de Medicina, com alta classificação, o Sr. Dr. António Branco Amaral

.
6 de Agosto
Escola de Enfermagem
Prestaram as suas provas de Exame de Estado, na corrente época, duas alunas do Curso de Enfermagem Geral e trinta do Curso de auxiliar de Enfermagem.
Do Júri fizeram parte os srs. Drs. Alberto Machado, Chorão de Aguiar, Lívio Lopes Ferreira, Ramos Proença, Manuel Lopes Louro e as Monitoras D. Madalena Teixeira e D. Branca Souchet
.
13 de Agosto
Escola Normal de Castelo Branco
Exames de Estado --- Ano de 1954-55

..
Resultados
8 alunas aprovadas com 11 valores
12 alunas aprovadas com 12 valores
24 alunas aprovadas com 13 valores
27 alunas aprovadas com 14 valores
15 alunas aprovadas com 15 valores
4 alunas aprovadas com 16 valores
Houve duas reprovações
.
20 de Agosto
Batalhão de Caçadores nº6
Realizou-se no dia 11 de Agosto, a cerimónia de posse do Cargo de Comandante, pelo Exº Sr. Tenente-Coronel José Maria Baptista Machado
..
27 de Agosto
Falecimento
Finou-se nesta idade, no passado dia 16, depois de doloroso e prolongado sofrimento, no Hospital da Santa Casa da Misericórdia, o Sr. João Vilela que foi durante muitos ano, o motorista dedicado do nosso ilustre Amigo, Sr. Dr. Alexandre de Almeida Garrett.
O finado que contava apenas 52 anos de idade, era muito estimado na cidade pelas suas excelentes qualidades de carácter, deixa viúva a Sr.ª D. Delfina Madeira Vilela e era pai da menina Maria Teresa Madeira Vilela e do menino João Caetano Madeira Vilela.
.
10 de Setembro
Doente
Desde sábado passado que se encontra retido no leito, bastante incomodado de saúde, o nosso prezado Amigo Sr. Tenente-coronel Elias Garcia.

.
17 de Setembro
Despedida
Julieta Neves e sua Mãe ao mudarem a sua residência de Castelo Branco para Lisboa, a todas as pessoas amigas apresentam os seus cumprimentos de despedida, agradecem as atenções recebidas e oferecem os seus préstimos.

.
Nota:
A DrªJulieta Neves foi uma excelente professora de Ciências Naturais e foi muito responsavel pelo meu futuro e pela minha carreira docente. Tinha uma uma má relação com os alunos... premeditadamente "má"... com a finalidadede criar em nós um espírito de reacção e contra ataque... nas adversidades que pudessem surgir na vida de cada um de nós. Poucos gostavam dela mas os resultados que obteve revelaram-se óptimos na futura vida dos seus alunos! Apesar de tudo aquilo por que passei com ela...eu lhe agradeço toda a influência que teve em mim!...
Nascida em 17 de Março de 1912, teria 40/41 anos quando foi nossa professora no 6º/7º Anos. Solteirona impenitente viveu sempre com a Mãe... e ficou conhecida, no meio estudantil de Castelo Branco, por "Tia Anica".
Esta despedida ocorreu após concurso que a colocou como Professora efectiva no Liceu Raínha D.Leonor, em Lisboa.
.
24 de Setembro
Dr.José do Carmo
É o novo Conservador do Registo Civil.
.
1 de Outubro
Dr. João Pinto da Rocha
Pelo inspector do ensino técnico Sr.Eng. Agrónomo Mário Baptista da Silva Alegria, foi dada posse na Câmara Municipal do lugar de Director da Escola Técnica de Castelo Branco, ao sr.Dr.João Luis Augusto Pinto da Rocha.

1 de Outubro
Nascimento
Com muita felicidade deu à luz , no dia 28 do passado mês, um menino, a Sr.ª D. Maria Armanda Esteves Pires da Cunha Mota, esposa do Eng. Alfredo da Cunha Mota.

1 de Outubro
Enlace Matrimonial
No passado dia 17, uniram-se pelos sagrados laços do matrimónio, na Igreja da Sé Velha em Coimbra, o Sr. Dr. Elias da Silva Tavares Dias Cravo, filho do nosso prezado amigo Sr. Eng. Elias Dias Cravo e da SrªD.Maria da Conceição Tavares Cravo, e a Srª D.Maria Irene Pequim Costa.

1 de Outubro
Vida Social
O Dr. Duque Vieira e a Esposa
Partiram na 2ªfeira, dia 26, de sua casa na Póvoa de Rio de Moinhos, a fixar residência em Lisboa, o Sr. Dr. Manuel Duque Vieira e sua esposa D. Amélia Eugénia da Fonseca Castel Branco Duque Vieira.
Ao passarem na estação de Castelo Branco receberam os esposos Duque Vieira a homenagem da cidade que ali acorreu a despedir-se e a agradecer.

.
22 de Outubro
Casamento
No passado domingo dia 10 de Outubro, celebraram o seu casamento na Igreja da Sé de Castelo Branco, a Sr.ª D. Célia Carracha Maltez, filha do Sr. Joaquim Inácio Correia Maltez e da Sr.ª D. Maria dos Anjos Pisa Carracha Correia Maltez, com o Sr. António Severino Beirão, filho do Sr. Dr. Augusto Duarte Beirão, nosso querido Director, e da Sr.ª D. Maria de La Sallette Severino Beirão.

5 de Novembro
Formatura
Com alta classificação concluiu a sua formatura em Ciências Biológicas na Universidade de Coimbra, a Sr.ª Dr.ª D. Maria Esmeralda Nisa Vaz.

12 de Novembro
Tomou posse do cargo de subdirector Regional da Mocidade Portuguesa, o Sr. Major Américo Chamiço Dias Heitor

12 de Novembro
Romagem e Romeiros da Saudade
pelo Eng. Borges de Almeida, em 25/11/1955.

.
"Lembras-te do Barão do Sal? Espírito alegre, folgazão, estatura alentada e acolhedora.
Grande cavaqueador, apreciado na roda que frequentava o seu estabelecimento e esta roda, era o escol da época, de uma época em que se cultivava a conversa e em que saber conversar era um atributo de distinção
.
Um dia, Sua Majestade o Rei D. Carlos perguntou-lhe se não desejaria ser Barão de facto e ele, curvando-se em reverência gentil, respondeu: "Não acha Vossa Majestade que é demasiada distinção para quem já o é no conceito popular?"

12 de Novembro
Declaração
Isabel Augusta Lobato Carriço Goulão, residente em Castelo Branco, vem tornar público que, por sentença de 21 de Julho de 1955, com trânsito em julgado, foi decretada a separação de pessoas e bens, na acção que havia intentado para esse fim, contra o marido João Tavares Lobato Carriço, funcionário do Instituto Geográfico Cadastral, actualmente em serviço no concelho de Mora, não se responsabilizando por quaisquer dívidas por ele contraídas.
Castelo Branco, em 3 de Novembro de 1955

19 de Novembro
Falecimento
D.Maria de Jesus Baptista Bispo da Silva Caio
Faleceu nesta cidade, quase repentinamente, na noite de 13 do corrente, a Sr.ª D.Maria de Jesus Baptista Bispo da Silva Caio, de 54 anos de idade, viúva do Capitão de Infantaria João da Silva Caio e mãe da Sr.ª D.Maria Adelaide da Silva Caio e dos Srs. Francisco Baptista Caio, João Carlos da Silva Caio e António da Silva Caio.

10 de Dezembro
Nascimento
Com muita felicidade deu à luz no dia 30, do passado mês, uma robusta criança do sexo feminino, a Sr.ª D. Manuela Pinto Marçal Grilo, esposa do Sr. José Carrega Marçal Grilo.

17 de Dezembro
Casamento
Realizaram o seu casamento no dia 10 do corrente, a Sr.ª D. Cassilda de Carvalho Namorado, professora oficial do Liceu Nacional de Castelo Branco e o sr.Dr.João Nunes da Cruz, 1ºOficial da Secretaria do Governo Civil, desta cidade.

24 de Dezembro
Casamento elegante
No dia 11 do corrente, uniram-se pelos sagrados laços do matrimónio, na Igreja do Santo Condestável, em Lisboa, o sr.Rui Nunes Blasco, empregado da Auto Mecânica da Beira, Ldª, filho do Sr. Francisco Blasco e da Sr.ª D. Isabel Nunes Pires Blasco, e a Sr.ª D. Maria Helena Vicente Leal, visitadora sanitária da Sub-Delegação do Instituto Maternal na Covilhã, filha do Sr. David Vicente e da Sr.ª D. Maria José Leal Mendes.

25 março 2008

Setúbal de outros tempos...

Construção em Setúbal - 1973

Montalvão, Quinta Alves da Silva, Bairro dos Pescadores (2ªfase) e Castelo Velho
(foto obtida em 24 Março 1973 -- fez ontem 35 anos...)

As minhas turmas... 6ºD - 1964/65

6ºAno - Turma D
em 1964/65
.
Fui professor desta turma
em Ciências Naturais


Ana Maria C .Xavier Rodrigues
Ana Maria Rocha de Oliveira
Deodália dos Santos Garcia
Elisa Maria Parreira de Carvalho
Maria Angélica Mendes Coelho
Maria Catarina Caria Tavares
Maria do Carmo Piteira Segurado
Maria da Conceição Coelho Cova
Maria Emília Barros Almeida

Maria Helena Coelho Costa Correia
Maria Isabel Eloy Silva Coelho
Maria José de Sousa Dias
Maria Laurinda Gomes Olímpio Barroso Santiago
Maria Leonor da Silva Miranda
Maria de Lurdes Afonso Barreira
Maria Manuela Torres Ferreira da Cunha
Maria Olívia Guerreiro Diogo
Maria Teresa Farréu de Sousa Rama

Maria Teresa Jorge da Silva
Maria Helena da Costa Santos
Emília Costa da Silva
Lucília Fernandes Oliveira

Vieira de Almeida...

A propósito de um apontamento que há dias aqui publiquei sobre os antigos moradores na rua dos Ferreiros, citei o Dr. Adelino Cordeiro como inquilino do 1º andar da casa com o nº 20.
Antes dele, porém, (mas disso já eu não me lembro) viveu ali também o ilustre albicastrense que foi o Prof. Vieira de Almeida
.

Prof.Doutor Vieira de Almeida

“Francisco Lopes Vieira de Almeida nasceu em Castelo Branco em 9.Ago.1888 e faleceu em Cascais, em 20.Jan.1962.
.
"Figura filosófica e cultural de grande relevo na sociedade portuguesa, durante a primeira metade do século XX, Vieira de Almeida foi, enquanto professor, autor e personalidade, um caso invulgar de rigor filosófico e atenção cívica que, embora hoje pouco lembrado, não pode ser esquecido quando se trabalha a história e a cultura portuguesas contemporâneas.” (Carlos Leone)

Não deixa de ser interessante reler o que, sobre o Prof. Vieira de Almeida, escreveu ainda Carlos Leone.
Licenciado e doutorado pela Faculdade de Letras de Lisboa em Filosofia, ingressou como docente na Universidade pelo grupo de História (em 1915). Em 1921 voltou à área de Filosofia onde ascende a catedrático em 1932, mantendo-se em actividade permanente até 1958.
Apesar de entre a sua extensa bibliografia encontrarmos poesia, romance a e teatro, bem como traduções, é a sua actividade como professor e ensaísta na área de Filosofia, e também de História, que o distingue.
Ora, Vieira de Almeida foi (…) um dos raros autores portugueses com trabalhos de relevo em Lógica (e na sua divulgação), mas nunca abdicando de um compromisso político explícito apesar dos dissabores que o regime lhe causou mesmo em idade avançada.
Monárquico, e próximo de autores como Pequito Rebelo e Hipólito Raposo nos alvores da I República, não demorou muito a cativar simpatia noutros quadrantes e não espanta, por isso, ver o seu nome entre os fundadores da Revista dos Homens Livres («Livres das Finanças e livres dos Partidos»), projecto frentista contra a degeneração da República na década de 1920.
(…)
…implantada a ditadura que estará na base do Estado Novo, Vieira de Almeida encontra-se já próximo do grupo Seara Nova, com o qual mantêm contactos, através de Câmara Reys, mesmo depois de António Sérgio se afastar da revista. Era já então uma figura intelectual de referência…
…na ressaca da campanha do General Humberto Delgado e do seu desfecho, encontramos Vieira de Almeida entre os «quatro grandes» (expressão de Mário Soares no volume de homenagem a Vieira de Almeida no centenário do seu nascimento, v. Referências bibliográficas) que se juntam a Delgado para convidar os socialistas Aneurin Bevan e Mendès-France para conferências em Portugal, em 1959.
Impedidas as conferências, e presos os quatro notáveis (além de Vieira de Almeida, Jaime Cortesão, António Sérgio e Azevedo Gomes), o regime tentou voltar à normalidade. Não o conseguindo, não impediu no entanto Vieira de Almeida de morrer em casa, lúcido e comunicativo, estimado pelos mais variados sectores da vida intelectual portuguesa.


==0==
“Em 4 de Junho de 1988, integrada na Romagem de Saudade, foi prestada uma Homenagem àquele ilustre professor de Castelo Branco
São desta data as fotografias que apresento:

O antigo aluno Carlos Alberto Álvares Vaz de Carvalho
lê o elogio do Professor Vieira de Almeida,
seu tio.

A lápide descerrada em 4 de Junho de 1988
na casa onde viveu, na rua dos Ferreiros
.
Quatro antigos alunos do Liceu na homenagem.
O Dr. Ulisses Pardal, o Afonso Ornelas, NN e o Eng.Marques Maia


O filho Vasco Vieira de Almeida e a esposa

Transcrevo um pequeno excerto de uma "conversa" que, há uns tempos atrás, Maria João Seixas teve com Vasco Vieira de Almeida, e que cai muito a propósito neste meu "apontamento", sobre o nosso ilustre conterrâneo:
.
"M.J.Seixas - Vasco, diz-me quem és.
Vasco Vieira de Almeida - Tudo aquilo que eventualmente possa ter de bom, não tenho disso qualquer dúvida, tem uma ligação directa com meu pai, que era uma pessoa extraordinária, em todos os aspectos. Talvez o homem mais inteligente e culto que conheci, com um grande sentido de humor. Era um homem de valores, extremamente simples e tinha uma forma única de comunicar as coisas que sabia e em que acreditava; não as ensinava, comunicava-as porque existia. Nem meu irmão nem eu fomos à escola. Fizémos a primária em casa. O meu pai fez uns livrinhos, um de gramática portuguesa com 16 páginas, um de francês com 20 e tal páginas e um de matemática com 30. E as lições eram dadas conversando. O que aprendi nesses quatro anos de instrução primária, o que ele me quis ensinar e tudo o que me transmitiu sem me ensinar, foi de uma riqueza excepcional.
P. - Estamos a falar dos anos 40?
R. - Sim, isto passa-se na década de 40. Esses anos marcaram-me profundamente e meu pai influenciou-me para o resto da vida. Era senhor de uma grande coragem (foi preso aos 74 anos, depois das eleições do Delgado). Com ele e com o apurado sentido de humor que tinha, aprendi a não me levar excessivamente a sério. Também foi dele que herdei o rigor de raciocínio que, ao longo do tempo e profissionalmente, me tem sido indispensável. Insistia sempre na necessidade de busca permanente de uma sólida lógica interna do pensamento que não permita pôr em causa as conclusões, a não ser que se rejeitem as premissas."

Umas breves palavras de Afonso Ornelas, ouvidas atentamente durante a cerimónia. O Dr.Ulisses Pardal, o Eng.Marques Maia, à direita, e o Domingos"Dominique"Albuquerque(?), das Sarzedas, uma "glória" do Voleibol do Instituto de Santo António, são reconhecíveis na foto.

O casal Vasco Vieira de Almeida ao lado do "antigo aluno" Eng. Manuel da Silva Castelo Branco, antigo Presidente do Município

O 1º andar do nº20, da rua dos Ferreiros

Em 15 de Março de 1998, no programa “Horizontes da Memória” que manteve na RTP 2 por essa altura, José Hermano Saraiva referia-se com grande respeito a Vieira de Almeida que foi seu professor na Faculdade de Letras, em Lisboa. E, também nessa altura, ele punha em destaque a inteligência excepcional do seu mestre... Dizia ele:

“Outro grande Professor que eu tive, daqui de Castelo Branco, era o Dr. Vieira de Almeida... E o Dr. Vieira de Almeida foi o Professor mais inteligente que eu conheci, e todos os meus colegas estão de acordo comigo (aliás já não somos muitos...) mas todos lhes ficámos profundamente gratos por aquele exemplo de inteligência ágil, aguda, penetrante e desmistificadora. Eu nunca vi ir tão longe no exame das coisas.
Eu devo dizer que o Dr. Vieira de Almeida nem sequer se pode dizer que fosse um Professor com muito método... Ele era um Professor de Filosofia, mas não tinha matéria, era só a exibição da sua prodigiosa agilidade mental, mas dar o exemplo da inteligência é uma lição que excede qualquer outra...
Nós todos devemos ao Dr. Vieira de Almeida isso... E ele mostrou-nos o que era ser muito inteligente! E acho que até mostrou neste país quanto vale um bom professor. Mas essa lição não foi seguida. Acho que os novos governantes continuam a não saber quanto vale um bom Professor...
“Estas palavras, proferidas por José Hermano Saraiva fez agora 10 anos, são de uma actualidade que impressiona…”.

==0==

Vieira de Almeida é também uma das “glórias” que tem o seu nome inscrito nas memórias do Liceu de Setúbal.
.
No primeiro Livro de Posses do nosso Liceu, com as datas de 10 de Novembro de 1915, a páginas. 29 – verso, está registada a posse, como professor do 4º Grupo (História), de Francisco Lopes Vieira de Almeida.
.
No mesmo livro, a páginas 31 – verso, e com a data de 8 de Maio de 1916, voltamos a registar a posse de Vieira de Almeida, no mesmo Liceu, como professor do mesmo Grupo (História)
.
Dr.Francisco Lopes Vieira de Almeida, pensador português, professor e escritor, nasceu em Castelo Branco, em 9 de Agosto de 1888 tendo falecido em Cascais em 20 de Janeiro de 1962.
Em 1915 foi nomeado para a secção de Filosofia de Faculdade de Letras de Lisboa e, em 1932, por concurso, ascendeu a professor catedrático da mesma cadeira.
.
Duma vastíssima cultura, e muito erudito, exerce, com as funções de lente da Faculdade de Letras, as de professor do Instituto de Orientação Profissional.
Escreveu Bucólica (Lacrimae Rerum), poesia, 1921-1934, A impensabilidade da negativa (Filosofia, 1922), Introdução à Filosofia Medieval (1926), La Tranchée de Chestov (1934) A obra de Guerra Junqueiro (1934, crítica) etc. Nova Enciclopédia Larousse
Foi ainda colaborador da Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira.

24 março 2008

Pensamentos perversos...

"Crianças no banco dianteiro podem causar acidentes. Acidentes no banco traseiro podem causar crianças."
.
Autor desconhecido

22 março 2008

Escrito na pedra...

No Público
de hoje
22.03.2008
.
"Leve é a tarefa quando muitos dividem o trabalho."
.
Homero
poeta grego
sec.9 a.c.

As minhas fotos preferidas

Poema para iludir a vida...

Foto obtida em 10 04 1969

21 março 2008

Ainda a cena do telemóvel... no Carolina Michaelis

.....Última página do
"Diário de Notícias"
.......21. Mer.2008
.
Um artigo de Opinião de
...Ferreira Fernandes

"E para quando a avaliação dos papás?"

"O Carolina Michaëlis, que já teve o belo nome de liceu, não serve os miúdos do bairro do Aleixo, no Porto. Não, aquele vídeo não mostra gente com desculpas fáceis, vindas do piorio.
Pela localização daquela escola, quem para lá vai vive às voltas da Boavista e os pais têm jantes de liga leve sem precisar de as gamar.

.
Os pais da miúda histérica que agride a professora de francês estarão nessa média. Os pais do miúdo besta que filma a cena, também.

.
Tudo isso nos remete para a questão tão badalada das avaliações. Claro que não me permito avaliar a citada professora. A essa senhora só posso agradecer a coragem. E pedir-lhe perdão por a mandar para os cornos desses pequenos cobardolas sem lhe dar as condições de preencher a sua nobre profissão. Já avaliar os referidos pais, posso: pelo visto, e apesar das jantes de liga leve, valem pouco. O vídeo mostrou-o. É que se ele foi filmado numa sala de aula, o que mostrou foi a sala de jantar daqueles miúdos…

.
Percebeu, senhora "menistra"?... ou precisa de explicador?!...

O "crise" do ensino...

...ou a incompetência da Senhora Ministra.
.
"A crise reside, acima de tudo, na falta da autoridade que foi retirada aos Professores!"
(jjmatos)
.
.Diário de Notícias
21 de Março de 2008
........Editorial
.
"…que mostra uma aluna de uma escola secundária do Porto a afrontar fisicamente a professora que lhe retirou o telemóvel, obriga-nos a reflectir muito seriamente sobre mais este aspecto negro do nosso sistema educativo. A urgente melhoria da qualidade do ensino é incompatível com a actual crise de autoridade dos professores que corrói o sistema educativo e o impede de ser mais eficiente.
.
(…)
A crise de autoridade é uma baixa colateral da democratização aberta pelo 25 de Abril que massificou o acesso ao ensino e dilatou a escolaridade obrigatória. E é também consequência de uma mudança brutal na relação de forças no interior das famílias, onde os pais passaram a girar em torno dos filhos.
.
(…)
Sem tempo e disponibilidade de espírito para educar os filhos em casa, os pais mimam-nos para os recompensarem da pouca atenção que lhes dispensam. O resultado de tudo isto é que nunca os filhos foram tão ociosos e adorados - e uma boa parte deles tão mal educados como a aluna do Carolina Michaëlis que se virou à professora.Como sobram para a escola as consequência nefastas do défice de educação que os alunos recebem em casa, é fundamental e urgente a adopção de medidas duras que ajudem a restabelecer a autoridade dos professores nas salas de aula.


Percebeu, senhora "Menistra"??!!... ou quer que lhe explique?...


Uma punição exemplar para aluna do vídeo do YouTube seria um óptimo começo."

As minhas turmas... 6ºC - 1964/65

6ºAno - Turma C
em 1964/65
.
Fui professor desta Turma
em Ciências Naturais

António Gomes Cerqueira
António Jorge dos Santos Eugénio
António Manuel Nobre Louçã
António Manuel Varão Remédio
Armando Augusto Cunha Viegas
Eduardo Augusto Madeira Lopes
Eduardo Veloso Lucas
Fernando Manuel Cabrita Guerreiro
Ferrer Lopes Asturiano

Helder Alves Menor
João Manuel Crispim da Silva Correia
João Manuel Henriques Farinha
João Paulo Rato Uva Sancho
Joaquim Manuel Fonseca Matias
Joaquim Martins da Silva
Jorge Manuel Evans Carvalho de Sousa
José António Campos Rebelo Almeida
José António Carrasco Melo Saião

José Carlos Pedroso Gonçalves Macieira
José Luis Carvalho Monarca
José Manuel Costa Dias Duque
José Manuel de Oliveira Soares
José Paulo Xavier Marques
Luis Calçada dos Santos Correia
Luis Filipe Ferreira Fernandes
Manuel Francisco Carriço Santos
Paulo José Cruz de Sousa Felix

Raul José Guerreiro
Romeu Milheiro Dias
Rui Duarte Monteiro da Cruz
Rui Manuel Neto Paixão
Vasco Manuel Charters Ribeiro Godinho
Virgílio Ruas da Conceição
Vitor Manuel Santos Oliveira
Vitorino da Costa Romão
José Manuel Rodrigues Vicente

Sexta feira santa

Procissão do Enterro
....Castelo Branco
em 17 de Abril de 1981

Gi na Praça Velha

O início da "procissão do enterro"

O esquife e o pálio - Os Bombeiros e os Irmãos da Misericórdia

Nossa Senhora das Dores, a fechar a procissão.

20 março 2008

As "garotas" de Bosch Penalva

A revista Can Can nº14
publicava na capa em
10 de Dezembro de 1959
esta "yacht woman"

Desenho de Bosch Penalva

Junto dela, um “baloonista" tótó “mandava-lhe uma “boca”
-“Se ela quisesse eu levava-a bem!...

A completar a primeira página,
uma conversa de mulheres…

Tens a certeza que o teu noivo veio lavar as mãos?!...
(num "boneco" de Don Flowers)

19 março 2008

Victor Hugo

Desejo

Victor Hugo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,

Mas se for, saiba ser sem desesperar.


Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconsequentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,


Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exacta para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.


Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.


Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.


Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.


Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.


Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.


Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.


Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga 'Isso é meu',
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.


Desejo também que nenhum de seus afectos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

17 março 2008

É bom que seja recordado...

O pensamento de António Maximiano.
.
A corrupção é o cancro da democracia"
.
Os sectores mais elevados da administração pública são os que têm mais condições para haver corrupção”.
.
"Se o investigador da corrupção depender do poder político, onde esta possa estar, é evidente que não tem possibilidades de investigar"
.
"Olhando para trás, estes anos todos, tenho uma grande reserva sobre se o poder político alguma vez teve interesse real em combater o crime organizado".

.
Cfr.Leonete Botelho
no "Público"
17.03.2008

As minhas turmas... 4ºF - 1964/65

4ºAno - Turma F
em 1964/65
.
Fui professor desta turma
em Ciências Naturais

Alda Maria da Silva Couceiro
Ana Maria Barreiros Pinto da Silva
Ana Maria Lampreia Valadas Revez
Ana Maria Pereira Fernandes
Ana Maria Vilarinho Salgado
Anabela Vaz dos Reis
Bárbara do Carmo Jorge Lopes
Clementina Banheiro Heitor Carvalho
Honória Maria Costa Rica


Ilda Maria Ramos Costa
Isabel Inácio Cordeiro
Laura Domingas de Sousa Frade
Leonilde Maria Oliveira e Melo
Maria Amália Coelho da Silva
Maria da Assunção Nunes Oliveira
Maria Beatriz Resende Picoito
Maria Carmo Espírito Santo Gonçalves
Maria Carmo Silva Nogueira Rocha


Maria Dolores Basílio Pereira
Maria Eduarda Correia Madeira
Maria Elisa Ferreira Fernandes
Maria Elisa Miranda Ramiro
Maria de Fátima Noia Pereira Alves
Maria Filomena Torrado Barroso Cruz
Maria da Graça Costa Lima Marques
Maria da Graça Silva Costa
Maria Guilhermina C. de Figueiredo


Maria Helena Oliveira Abreu Costa
Maria Irene Rosa Pacheco
Maria Laura da Costa Gonçalves
Maria Lucinda Pezinho da Silva
Maria Manuela Silva Amado Miranda
Maria Manuela Silva Lucas
Maria Manuela Vicente Rodrigues
Maria Odília Oliveira Nascimento Rocha
Maria Otília Pacheco Águas de Matos


Maria Sofia Marques Relógio
Maria Teresa Espírito Santo Caetano
Noélia Maria Sequeira Coelho
Rosália Valente Quitério Alves
Maria Amália Lourenço Vital
Maria Carolina Pena Mendes
Ana Maria Neves Primo

Beira Baixa - 1955 - Julho

2 de Julho
Escola Industrial e Comercial de Castelo Branco
Causou as melhores impressões no público, o comunicado da Câmara Municipal de Castelo Branco sobre os exames de admissão e matrícula na nova Escola Industrial e Comercial de Castelo Branco.
.
2 de Julho
Nova licenciada
Concluiu com alta classificação, na Universidade de Lisboa, a sua licenciatura em Ciências Geográficas, a Ex.ª Sr.ª Dr.ª D. Circuncisão de Castilho Monteiro.
.
9 de Julho
Maria Teresa Monteiro Trindade
Completamente restabelecida da sua doença, Maria Teresa Monteiro Trindade e seus pais vem por este meio agradecer a todas as pessoas que a visitaram e testemunharam o seu interesse.
.
9 de Julho
Nascimento
Teve o seu bom sucesso no dia 2 do corrente, dando à luz com muita felicidade uma criança do sexo masculino, a Sr.ª D.Maria Helena Vieira de Andrade Sérgio Feijão, esposa do nosso querido amigo José Sérgio Feijão.
.
9 de Julho
Falecimento
No dia 26 do passado mês, finou-se na sua casa de Sarnadas de Ródão, a Sr.ª D. Celeste de Araújo Laia Nogueira, esposa do Dr.Luis Laia Nogueira, advogado em Castelo Branco.
.
23 de Julho
Casamento
No passado dia 16 do corrente, realizou-se na Sé de Castelo Branco, a cerimónia do casamento do sr.Dr.José Pissarra Xavier Lopes Dias, médico, filho do sr.Dr.José Lopes Dias, Delegado de Saúde do nosso Distrito e de sua esposa Sr.ª D.Maria do Carmo Pissarra Xavier Lopes Dias, com a Sr.ª D.Maria de Lurdes Leite Pereira Seabra Lopes Ferreira, gentilíssima filha do Sr. Dr. Lívio Luis Ferreira, médico cirurgião e de sua Ex.ª Esposa Dr.ª D.Maria da Graça Leite Pereira de Seabra Lopes Ferreira (Já falecida).
.
23 de Julho
Promoções
Numa das últimas Ordens do Exército foi promovido a Coronel o Sr. Luis Castelo Lopes, ilustre comandante do Batalhão de Caçadores nº6.
.
23 de Julho
Jardim-Escola João de Deus
Sob a direcção da Inspectora dos Jardins Escola, srªD. Maria Eugénia Águas Cruz e das Professoras Sras. D. Maria Amália Fevereiro, D. Cremilde Pires e D. Manuela Paiva Dias realizaram-se neste estabelecimento de educação as provas de aproveitamento de Leitura, Escrita, Aritmética, Desenho e Trabalhos Manuais, relativas ao ano lectivo de 1954-55, com os resultados seguintes:
.
1ªSecção
Maria de Lurdes da Natividade dos Santos
Aníbal José de Sousa Cravo Nunes
Adelino José de Sousa Santos Almeida
António Manuel Sequeira Antunes
Filomena de Jesus Martins Adão
Francisco José Pires Nunes
Carlos Manuel Pissarra Mendes Gil
Manuel Luis Ramos da Silva Caio
Manuel Alves Rosa
Maria Leonor Salvado Dias
Maria dos Santos Marques da Ascenção Ventura
Maria Josefina Barata Monteiro
Vitor Manuel Salgueiro
Luis José Camilo
José Lourenço Gonçalves
António José Falcão Castanheira
José Gonçalo Xarez Farromba
Maria Emília Pereira Riscado
José Eduardo Garrido Nunes
Maria da Conceição Martins
Maria Manuela Cruz Matos
Maria da Graça Silveira Robalo
José Augusto Castanheira Marrocos Barata
António Luis Ferreira de Matos
……… Aprovados com Muito Bom
.
2ªsecção
Amadeu de Oliveira Peixoto de Menezes
Adelino da Silva Salvado
José Domingos Cardoso de Moura
Maria Fernanda Romão Dias Catana
José Manuel Justino
. . . . .com classificação de Muito Bom
Maria João Vaz Preto Abrunhosa
Carlos Filipe Cela Nobre Soares
Fernando António Ferreira Camejo
…………com classificação de Bom
José Armando Amaro Ribeiro
Joaquim António Pombares Vaz de Carvalho
…………Aprovados
.
3ªSecção
Américo Andrade Mota Cavalheiro
António Manuel Duarte Nunes
Cremilde do Rosário Paulo
Maria Palmira Amaro Melo Morcela
Maria Lisete Dias Vilhena
Maria Otília Sousa Santos Almeida
…………com classificação de Muito Bom
Maria do Carmo de Sousa Alves
…………com classificação de Bom
.
23 de Julho
Anúncios de Médicos:
Dr.José Afonso dos Santos
Dr. A. Peixoto de Menezes
Dr. Epifânio André
Dr. J. Pinto Elvas
Dr. J. M. Ferreira Romãozinho
Dr. Fernando Matos Pinto
Dr. Pina Gonçalves
Dr. Manuel Lopes Louro

Dr. Henrique Mendes Carvalhão