31 janeiro 2013

As "garotas" de Ward...

Humor antigo
com o traço de 
W a r d
- Queres ir ao restaurante ou preferes um copinho de leite?...

30 janeiro 2013

Uma redacção p'rá "setôra" de Português...

Este texto é da autoria de Teolinda Gersão.
Escritora, Professora Catedrática aposentada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Escreveu-o depois de ajudar os netos a estudar Português. Colocou-o no Facebook

 Teolinda Maria Sanches de Castilho Gersão Gomes Moreno

" Vou chumbar a Língua Portuguesa, quase toda a turma vai chumbar, mas a gente está tão farta que já nem se importa. As aulas de português são um massacre. A professora? Coitada, até é simpática, o que a mandam ensinar é que não se aguenta. Por exemplo, isto: No ano passado, quando se dizia “ele está em casa”, ”em casaera o complemento circunstancial de lugar. Agora é o predicativo do sujeito.”O Quim está na retrete”: “na retrete” é o predicativo do sujeito, tal e qual como se disséssemos “ela é bonita”. Bonita é uma característica dela, mas “na retrete” é característica dele? Meu Deus, a setôra também acha que não, mas passou a predicativo do sujeito, e agora o Quim que se dane, com a retrete colada ao rabo.
No ano passado havia complementos circunstanciais de tempo, modo, lugar etc., conforme se precisava. Mas agora desapareceram e só há o desgraçado de um “complemento oblíquo”. Julgávamos que era o simplex a funcionar: Pronto, é tudo “complemento oblíquo”, já está. Simples, não é? Mas qual, não há simplex nenhum, o que há é um complicómetro a complicar tudo de uma ponta a outra: há por exemplo verbos transitivos directos e indirectos, ou directos e indirectos ao mesmo tempo, há verbos de estado e verbos de evento, e os verbos de evento podem ser instantâneos ou prolongados; almoçar por exemplo é um verbo de evento prolongado (um bom almoço deve ter aperitivos, vários pratos e muitas sobremesas). E verbos epistémicos, perceptivos, psicológicos e outros, há o tema e o rema, e deve haver coerência e relevância do tema com o rema; há o determinante e o modificador, o determinante possessivo pode ocorrer no modificador apositivo e as locuções coordenativas podem ocorrer em locuções contínuas correlativas. Estão a ver? E isto é só o princípio. Se eu disser: Algumas árvores secaram, ”algumas” é um quantificativo existencial, e a progressão temática de um texto pode ocorrer pela conversão do rema em tema do enunciado seguinte e assim sucessivamente.No ano passado se disséssemos “O Zé não foi ao Porto”, era uma frase declarativa negativa. Agora a predicação apresenta um elemento de polaridade, e o enunciado é de polaridade negativa.
No ano passado, se disséssemos “A rapariga entrou em casa. Abriu a janela
”, o sujeito de “abriu a janela” era ela, subentendido. Agora o sujeito é nulo. Porquê, se sabemos que continua a ser ela? Que aconteceu à pobre da rapariga? Evaporou-se no espaço?
A professora também anda aflita
. Pelo visto, no ano passado ensinou coisas erradas, mas não foi culpa dela se agora mudaram tudo, embora a autora da gramática deste ano seja a mesma que fez a gramática do ano passado. Mas quem faz as gramáticas pode dizer ou desdizer o que quiser, quem chumba nos exames somos nós. É uma chatice. Ainda só estou no sétimo ano, sou bom aluno em tudo excepto em português, que odeio, vou ser cientista e astronauta, e tenho de gramar até ao 12º estas coisas que me recuso a aprender, porque as acho demasiado parvas. Por exemplo, o que acham de adjectivalização deverbal e deadjectival, pronomes com valor anafórico, catafórico ou deítico, classes e subclasses do modificador, signo linguístico, hiperonímia, hiponímia, holonímia, meronímia, modalidade epistémica, apreciativa e deôntica, discurso e interdiscurso, texto, cotexto, intertexto, hipotexto, metatatexto, prototexto, macroestruturas e microestruturas textuais, implicação e implicaturas conversacionais? Pois vou ter de decorar um dicionário inteirinho de palavrões assim. Palavrões por palavrões, eu sei dos bons, dos que ajudam a cuspir a raiva. Mas estes palavrões só são para esquecer, dão um trabalhão e depois não servem para nada, é sempre a mesma tralha, para não dizer outra palavra (a começar por t, com 6 letras e a acabar em “ampa”, isso mesmo, claro.)
Mas eu estou farto. Farto até de dar erros, porque me põem na frente frases cheias deles, excepto uma, para eu escolher a que está certa. Mesmo sem querer, às vezes memorizo com os olhos o que está errado, por exemplo: haviam duas flores no jardim. Ou: a gente vamos à rua. Puseram-me erros desses na frente tantas vezes que já quase me parecem certos. Deve ser por isso que os ministros também os dizem na televisão. E também já não suporto respostas de cruzinhas, parece o totoloto. Embora às vezes até se acerte ao calhas. Livros não se lê nenhum, só nos dão notícias de jornais e reportagens, ou pedaços de novelas. Estou careca de saber o que é o lead, parem de nos chatear. Nascemos curiosos e inteligentes, mas conseguem pôr-nos a detestar ler, detestar livros, detestar tudo. As redacções também são sempre sobre temas chatos, com um certo formato e um número certo de palavras. Só agora é que estou a escrever o que me apetece, porque já sei que de qualquer maneira vou ter zero.E pronto, que se lixe, acabei a redacção - agora parece que se escreve redação.O meu pai diz que é um disparate, e que o Brasil não tem culpa nenhuma, não nos quer impôr a sua norma nem tem sentimentos de superioridade em relação a nós, só porque é grande e nós somos pequenos. A culpa é toda nossa, diz o meu pai, somos muito burros e julgamos que se escrevermos ação e redação nos tornamos logo do tamanho do Brasil, como se nos puséssemos em cima de sapatos altos. Mas, como os sapatos não são nossos nem nos servem, andamos por aí aos trambolhões, a entortar os pés e a manquejar. E é bem feita, para não sermos burros.E agora é mesmo o fim. Vou deitar a gramática na retrete, e quando a setôra me perguntar: Ó João, onde está a tua gramática? Respondo: Está nula e subentendida na retrete, setôra, enfiei-a no predicativo do sujeito.

João Abelhudo, 8º ano, setôra, sem ofensa para si, que até é simpática.

.
NB. Este "apontamento" é uma oferta que vai ao gosto dos nossos professores de Português... Espero que tentem não esquecer nenhum de todos os "casteleiros" que ajudaram a fazer este monte de..."t ampa" que é o AO!!...

Joshua Bell...

 ...uma "história" que corre na net...
Joshua Bell,  um dos mais talentosos músicos do mundo.
.
Um homem sentou-se numa estação de metro de Washington DC e começou a tocar violino, era uma fria manhã de Janeiro; Ele tocou seis peças de Bach durante aproximadamente 45 minutos. Durante esse tempo, já que era hora de ponta, calcula-se que cerca de 1.100 pessoas atravessaram a estação, a sua maioria, a caminho do tabalho.

Três minutos passaram quando um homem de meia idade notou que o músico estava a tocar, abrandou o passo e parou por alguns segundos, mas continuou depois o seu percurso para não chegar atrasado.

Um minuto depois , o violinista recebeu o seu primeiro dólar, uma senhora atirou o dinheiro sem sequer parar e continuou o seu caminho.

Alguns minutos depois, alguém se encostou à parede para o ouvir, mas olhando para o relógio retomou a marcha. Estava claramente atrasado para o trabalho.

Quem prestou maior atenção foi um menino de 3 anos. A mãe trazia-o pela mão, apressada, mas a criança parou para olhar para o violinista. Finalmente, a mãe puxou-o com mais força e o miúdo continuou a andar, virando a cabeça várias vezes para ver o violinista. Esta acção foi repetida por várias outras crianças. Todos os pais, sem exceção, obrigaram as crianças a prosseguir.

Nos 45 minutos em que o músico tocou, somente 6 pessoas pararam por algum tempo. Cerca de 20 deram-lhe dinheiro mas continuaram no seu passo normal. Ele recoletou cerca de 32 dls. Quando ele parou de tocar e o silencio tomou conta do lugar, ninguém se deu conta. Ninguém aplaudiu, nem houve qualquer tipo de reconhecimento.

Ninguém sabia que este violinista era Joshua Bell, um dos mais talentosos músicos do mundo. Ele tocou algumas das peças mais elaboradas alguma vez escritas num violino de 3,5 milhões de dólares.

Dois dias antes
de tocar no metro, Joshua Bell esgotou um teatro em Boston, onde cada lugar custou em média 100 dls.Esta é uma história real, Joshua Bell tocou incógnito na estação de metro num evento organizado pelo Washington Post que fazia parte de uma experiência social sobre perceção, gostos e prioridades.O outline era: num lugar comum, numa hora inapropriada: Somos capazes de perceber a beleza? Paramos para a apreciar? Reconhecemos o talento num contexto inesperado?

Uma das possiveis conclusões que se podem sacar desta experiência podem ser: Se não temos um momento para parar e escutar  um dos melhores músicos do mundo tocar algumas das músicas mais bem escritas de sempre, quantas outras coisas estaremos perdendo?”

Fotografias de Setúbal...

Foto obtida em 23 de Junho de 2012


Uma vista geral sobre a Baixa de Setúbal
com as zonas portuária e industrial lá mais ao fundo.

29 janeiro 2013

Na morte de Jaime Neves...

in Assuntos temporários...
por Pedro Lomba
.
no "Público"
29.01.2013
Pedro Lomba
.
…a primeira coisa que tem de ser dita é pessoal. Jaime Neves foi um militar. Não foi um político. E não foi um militar transformado em político nas horas vagas. Não vou cometer a banalidade trôpega de dizer que foi um grande militar antes e depois do 25 de Novembro. Outros militares, e outros como ele, dizem que Jaime Neves foi um grande militar. Chega-me sobretudo saber que Jaime Neves sempre teve o absoluto respeito e lealdade dos homens que comandou. Homens que, na barafunda que eram as forças armadas portuguesas em 1975, na confusão de hierarquia, correntes, poderes, precisavam mesmo de contar com quem os liderasse, com quem desse o corpo por eles. Nessa altura não havia leis, coletes protectores ou planos seguros.

em política, as lealdades trocam-se e vendem-se numa fancaria infrene. Nos negócios, as lealdades são o nome usado para definir dependências. Ora, os homens do regimento de comandos da Amadora que em 1975, depois do Partido Comunista ter tomado conta do quartel e de ter saneado Jaime Neves, disseram a Otelo Saraiva de Carvalho que só admitiam ser liderados por Jaime Neves, esses homens escolheram-no naturalmente, seguiram-no e não queriam outro.
Os homens que, na fase mais agitada da confrontação do 25 de Novembro, só queriam disparar sobre a Polícia Militar e foram aplacados pela acção de Jaime Neves, evitando assim um banho de sangue, reconheciam uma autoridade. Suponho que quando dizem que Jaime Neves foi um grande militar estão a pensar nisso: alguém que soube o que era comandar homens, alguém que sabia usar e aplacar a força quando era preciso.
(…)
Jaime Neves contribuiu para que o 25 de Novembro acabasse com o PREC, restabelecesse a ordem nas diversas facções das Forças Armadas e pusesse os militares de volta nos quartéis. Com isso permitiu que nos tornássemos na democracia que somos hoje.
Hoje vai-se tornando moda dizer que o 25 de Novembro foi um movimento ofensivo e não reactivo, um golpe entre muitos, de que não havia qualquer deriva ditatorial no PREC nem esquerdas militares organizadas, gonçalvistas e basistas, ou propósitos controladores no PCP. Há construções para todos os gostos.
(…)
…num certo sentido, o 25 de Novembro, embora tivesse acabado com a Revolução, não deixou de permitir a continuação dos “revolucionários”, participantes agora em eleições que jamais tinham querido. Perguntava quem participou activamente na coisa: “Então fez-se o 25 de Novembro e estes tipos continuam?” De facto continuaram. Essa foi a grandeza irónica da data. Já os heróis como Jaime Neves regressaram ao que sabiam fazer: à discreta vida militar. Sem nunca pedir nada, sem esperar nada.
.
Jaime Alberto Gonçalves das Neves nasceu no 10.º aniversário da Revolução de 28 de Maio de 1926.
Jaime Neves entra em1953  para a Escola do Exército. Realizou uma comissão de serviço entre os anos1958 e 1960. Subsequentemente foi destacado para África, onde cumpriu quatro missões: duas em Angola e duas em Moçambique Era tenente-coronel graduado em coronel no Verão Quente de 1975  e chefiava o Regimento de Comandos.
.
Jaime Neves em Novembro de 1975

Foi agraciado a 13 de Julho de 1995, pelo então presidente da República, Mário Soares e com o posto de Coronel, com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.
Foi promovido a Major-General, por proposta do Exército e com a aprovação das chefias de todos os ramos das Forças armadas e após sugestão de António Ramalho Eanes e Vasco Rocha Vieira A promoção teve com base no seu papel durante o 25 de Novembro que colocou um fim ao Processo Revolucionário em Curso, "tendo em conta o papel muito relevante que Jaime Neves teve para evitar que Portugal caísse numa ditadura comunista ", além de "garantir que Portugal seguia no sentido do pluralismo, da democracia e da liberdade de expressão" As chefias militares consideraram que o seu "mérito e os serviços prestados à Pátria" justificam a "promoção por distinção". A promoção a Major-General foi confirmada pelo 19º  Presidente da República Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva , a 14 de Abril de 2009
 .
Major General Jaime Alberto Gonçalves das Neves

Faleceu a 27 de Janeiro de 2013, no Hospital Militar Principal, em Lisboa.
.
Cfr.Blogue "Asas nos Céus"

Nos "Livros de Despedida"...

...do Liceu Nacional de Castelo Branco.
rubricou caricaturas durante muitos ano
Robalo Cordeiro

Amândio Martins Honorato
foi finalista no ano-lectivo de 1944/45
.
O autor desta caricatura, Adelino de Amorim Robalo Cordeiro, fazia parte deste mesmo curso de finalistas e era o filho mais novo do Dr.Cordeiro, o professor de Francês que tive no primeiro ano de liceu. Licenciou-se em Direito na Universidade de Coimbra e fez carreira como Juíz de Direito. O irmão mais velho, António José, escolheu outro rumo para a sua vida e foi Prof. Catedrático na Faculdade de Medicina, da Universidade de Coimbra.
Do caricaturista apenas guardo a sua imagem quando novo e a caricatura que apresenta neste mesmo Livro de Despedida, feita pelo seu colega de turma, Fernando Lopes Correia Semedo, outro bom caricaturista que passou pelo Liceu de Castelo Branco.

Adelino de Amorim Robalo Cordeiro

28 janeiro 2013

Um poema...

...de Florbela Espanca
com o título "Se tu viesses ver-me"
.
Florbela Espanca
por Artur Bual/96
.
Se tu viesses ver-me

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...

Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...


.
in "Charneca em Flor"

27 janeiro 2013

Evaristo Guedes Vieira...

... foi um grande Professor Metodólogo que conheci no Liceu Normal de Pedro Nunes, no início dos anos 60, quando ali fiz o estágio pedagógico.
Não era professor do meu Grupo mas a existência, no 1ºCiclo, da disciplina de Ciências Geográfico-Naturais obrigava-nos à frequência das aulas dos Metodólogos de Geografia e também de Físico-Químicas.
O Dr.Evaristo Vieira era o "nosso mentor" nas Geografias...
O "mentor" na área das Físicas era outro "monstro sagrado" do ensino em Portugal... o Dr.Rómulo de Carvalho, o verdadeiro nome do enorme poeta António Gedeão.
.
À esquerda, na 2ªfila, sorridente e bem disposto,
o Dr.Evaristo Guedes Vieira
alinha com um grupo de estagiários da área das Ciências Naturais
onde podemos ver, na última fila, os quatro elementos oriundos
do Liceu Nacional de Setúbal
(Figueira de Freitas, JJMatos, Gomes Mateus e António Maurício)
.
No jornal "Público" de ontem, perdido nuns "Classificados", na página 37, dei conta de um minúsculo anúncio, encimado com o nome de Evaristo Guedes Vieira. Sem autoria directa, suponho ter sido publicado por vontade de um qualquer familiar, de um filho ou de um neto... quem sabe se de algum aluno.
.
Sempre o conheci como um Homem bom, sabedor, inteligente e de fácil compreensão... Por isso me admiro que, a tão longa distância, alguém se venha "penitenciar" pelos "remorsos" agora sentidos... 34 anos após a sua morte.
Que continue a descansar em Paz...

26 janeiro 2013

As capas do "Mundo Ri"...

O "Mundo Ri" nº 94 que saíu em
Outubro de 1959, tinha na capa
um desenho de Vilhena

Moda para o Outono
No início da temporada temos o prazer de apresentar o modelo de vestido intitulado "Televisão"

Escrito no vento...

"Os fracos dirão sempre que o nosso é o caminho errado. Não só poque é o nosso... mas porque também é muito mais difícil que o deles."
.
António Porchia

25 janeiro 2013

Actas da Câmara

Sessão de 30 de Dezembro de 1959
.
Ao trigésimo dia do mês de Dezembro de mil novecentos e cinquenta e nove, realizou-se a reunião ordinária semanal, sob a presidência do Excelentíssimo Senhor Manuel Filipe Pereira da Silva Magalhães Mexia, estando presentes os vereadores Senhores Afonso Henriques Rocha, Doutor Joaquim Arco, Joaquim Rodrigues Simões e Doutor José Caldeira Areias.
Não compareceram os senhores vereadores Engenheiro António Barroso e Engenheiro Agrónomo Raul Veríssimo de Mira.
Esteve presente o Senhor Chefe da Secretaria Dr.Aníbal de Freitas (?)

Átrio da Câmara Municipal
.
Donativo de uma empresa industrial
A Câmara tomou conhecimento da oferta de mil escudos feita pela Fábrica de Óleos Vegetais de Santa Catarina, Limitada, com sede neste concelho, com o objectivo de o Município o distribuir pelos pobres da Cidade, da forma que achasse mais aconselhável.
A Câmara deliberou aceitar e agradecer o donativo, resolvendo ainda entregá-lo integralmente ao Património dos Pobres de Setúbal, organização assistencial que melhor poderá dar satisfação aos desejos da empresa ofertante.
.
Oferta de terrenos ao Município
A Câmara tomou conhecimento de uma carta em que a D.Maria Augusta Coelho manifesta a resolução de ceder gratuitamente ao Município a faixa de terreno necessária para a conclusão dos trabalhos de abertura da rua a sul da praceta  formada na área da antiga Quinta da Tebaida com vista a permitir a  a conveniente urbanização do local.
A Câmara deliberou aceitar a oferta e agradecer a louvável atitude da doadora. Mais foi resolvido que os Serviços de Viação o Obras proceda à recolha de elementos necessários à elaboração da competente escritura.

24 janeiro 2013

Exposição de Desenho e Pintura...

...no Hotel de Santa Margarida, em Oleiros,
da autoria de
Augusto de Matos

Augusto de Matos
.
Foi numa tarde de chuva e vendaval mas, mesmo assim, o recinto da Exposição esteve repleto de Amigos... de gente interessada nestes eventos culturais.

O primeiro espaço da Exposição

 O segundo espaço da Exposição

A Jóia da Coroa
"A Igreja Matriz - no seu interior - é sem dúvida a maior relíquia de Oleiros"

No topo da rua... a "nossa casa com o quintal", em Oleiros
Quanta saudade...

A Ponte da Tojeira (?), na Torna, a poucos metros do Hotel

 " ...Além dos poços naturaes, próprios da diferente profundidade do seu leito, os açudes dos moinhos da Lameira... "

A "Rua de Baixo"
hoje rua Padre António de Andrade
"Uma rua com tradições...perdidas." - Augusto dixit...

A antiga Câmara Municipal logo seguida pela
residência de Artur Romão. Lá no alto, a casa de Augusto Fernandes  e a Igreja Matriz.

A Praça da República (a que falta já o chafariz central)
e a rua do Cimo da Vila... e a porta única da Farmácia do
Horácio Garcia Guerra, ali ao lado do primeiro toldo...

Árvore centenária, no Adro, atrás da Igreja Matriz

Ao poeta de Azeitão...

...vai ser prestada uma homenagem, no próximo Sábado.

23 janeiro 2013

Nunca fala da vida...

... uma poesia de Sebastião da Gama

Sebastião da Gama


Nunca fala da Vida

Nunca fala da Vida
sem que entristeça…

- Mas flores que morrem
nascem outra vez…

Mas pela ardentia
zunem as cigarras…

Mas aquela moça
traz no ventre um filho…

Mas das folhas secas
que há pelo Outono

(de olhá-las a gente
quase entristecia)

já ninguém se lembra
quando é Primavera…
.
In “Cabo da Boa Esperança
Ed. Ática – 1970

22 janeiro 2013

Setubalense - 1965 - Novembro

3 de Novembro     
Notícias Pessoais
Com a elevada classificação de 17 valores, terminou no pretérito sábado a defesa da tese subordinada ao título "Tumores benignos do duodeno", o novo médico Dr.Joaquim Manuel Canas Moreira.
.
3 de Novembro     
Formatura
Terminou na 6ªfeira, em Coimbra, a sua formatura em Medicina e Cirurgia, o Sr.Dr.Eduardo Bastos Albarran.
.
3 de Novembro     
Cultura
Setúbal irá ouvir uma das mais célebres Orquestras Sinfónicas do Mundo!
No dia 6 de Novembro, pelas 21h 45m
Preços de 8$00 a 30$00
(anúncio com foto da Orquestra Sinfónica de Bamberg)
.
6 de Novembro
Eleições
As mesas eleitorais das eleições de amanhã:
Freguesia de S.Sebastião (Edifício do Tribunal)
Presidente  -  Eduardo Machado Pinto
Vice Presidente  -  António Gomes Gautier
Fregtesia de Santa Maria da Graça (Escola Bocage, Bairro Salgado)
Presidente  -  Eng.Luis Novais Câmara Pestana
Vice Presidente  -  Dr.José Cardoso Ferreira
Freguesia de S.Julião (Edifício dos Paços do Concelho)
Presidente  -  Eng.Júlio Manuel Lacasta do Nascimento e Oliveira
Vice Presidente  -  Armando da Silva Correia
Freguesia da Anunciada (Casa dos Pescadores - Parque das Escolas)
Presidente  -  Adolfo Pires dos Reis
Vive Presidente  -  João Manuel da Costa Teixeira
Freguesia de S.Lourenço de Azeitão (Sede da Junta de Freguesia)
Presidente  -  Eng. António Porto Soares Franco
Vice Presidente  -  Álvaro Simões Calado
Freguesia de S.Simão de Azeitão (Escola de Vila Fresca)
Presidente  -  António Coelho Belo
Vice Presidente  -  José Rodrigo Cardoso
.
6 de Novembro
Militar
Foi nomeado Vice-Chefe do Estado Maior da Armada, o Almirante Laurindo dos Santos.
.
6 de Novembro
Casamento   
No passado sábado realizou-se o casamento da Srª D.Gracinda Maria Leal Monteiro... com o Sr.José Filipe Gusmão Gonçalves Martins.
.
6 de Novembro     
Condecoração
Um oficial setubalense foi condecorado com a Ordem Militar de Aviz
Acaba de ser condecorado com o Grau de Cavaleiro da Ordem Militar de Aviz, o Sr. Primeiro Tenente António Carlos Fuzeta da Ponte.
.
8 de Novembro
Eleições
Decorreu na maior tranquilidade e com enorme concorrência o acto eleitoral em Setúbal.
Resultados do acto eleitoral no Concelho de Setúbal:
Freguesia ::::::::::::Inscritos::::::::Votantes:::::::::::Percentagem
Anunciada............. 1361.................821..............60,2
Santa Maria............1131.................717..............63,4
S.Julião      ............1115.................645..............57,8
S.Sebastião............ 2225...............1246..............56
S.Lourenço............  401.................254..............63,5
S.Simão..................231.................148..............64,5
.
8 de Novembro
Notável concerto da Orquestra Sinfónica de Bamberg.
O magnífico concerto executado, no sábado, no Cine Teatro Luisa Todi, pela famosa Orquestra Sinfónica de Bamberg, ficará gravado na vida cultural setubalense, como um grande acontecimento artístico. Ficámo-lo devendo ao Círculo de Cultura Musical que, na extensão da sua acção, a todos os títulos notável, tem sabido persistir em contar Setúbal no número de terras portuguesas que não podem ser consideradas alheias aos valores da Arte.
Louvores lhe são devidos por essa orientação e o nosso agradecimento lhe afirmamos por tal.
Assistência não muito numerosa -- nem tanta como o acontecimento justificaria, nem quanta pudesse pela exiguidade representar índice da nossa ignorância ou da nossa indiferença -- foi esse o auditório que tiveram os já célebres sinfonistas de Bamberg.
Assistência selecta e conhecedora (sem se pretender repetir as expressões convencionais).
No lugar do público quase anónimo, muitos para quem a música constitui também grande prazer espiritual. E foi pena -- pelo que perderam -- que não tivessem sido muito mais.
Não suporta crítica -- porque apenas louvor -- a execução admirável da Orquestra Alemã, dirigida pelo maestro Heinz Wallberg, que cumpriu notavelmente o programa anunciado: Sinfonia "Linz", de Mozart, "Variações sobre temas da Haydn", de Brahams e "Sinfonia nº5" de Tchaikowsky.
Todas as peças do concerto foram demoradamente aplaudidas. No final, o público manifestou a calorosíssima homenagem do seu apreço à orquestra e ao seu ilustre maestro, que por três vezes veio ao proscénio agradecer a prolongada ovação que lhe era atribuída.
**
NB - A fraca assistência que compareceu no Cine Teatro Luisa Todi foi o resultado de duas circunstâncias ocorridas durante aquele célebre dia 6 de Novembro.
Todo o país, nomeadamente as regiões de Lisboa e de Setúbal, esteve naquele dia assolado por um temporal imenso com aguaceiros e ventos terríveis, com zonas alagadas e algumas árvores danificadas… Os membros da Orquestra de Bamberg, vindos de Lisboa, tinham de apanhar o barco cacilheiro, no Cais do Sodré (ou no Terreiro do Paço?) para atingirem a “outra banda” e apanharem o autocarro que os esperava em Cacilhas. Nestas condições, a travessia tornava-se uma autêntica “epopeia”!...
Os membros da Orquestra, ou quem os conduziu naquela viagem de Lisboa para Setúbal, enganaram-se no barco que deviam apanhar para Cacilhas e deram por si a desembarcar … no Barreiro!!...    
O autocarro teve de deslocar-se de Cacilhas para o Barreiro onde “recolheu” os pobres músicos e os trouxe para Setúbal, onde chegaram já passaria das 23h!!...
E nós à espera… Bem mais do que uma hora…
Mas valeu a pena, embora muitas pessoas se tenham recolhido a casa por não se saber ao certo a que horas chegaria a Orquestra ao Cine Teatro Luisa Todi… Ou se chegaria… É bom não nos esquecermos que em 1965 não havia telemóveis… e das notícias que iam chegando ninguém saberia a origem nem a veracidade…
E só os “teimosos” ficaram…
Devo dizer que a Orquestra, por motivos óbvios, não apresentou todos os seus 165 executantes… Aquela viagem infernal de Lisboa para Setúbal acabou por fazer as suas “vítimas”…
.
Estranho que o “crítico” de serviço não se tenha referido, no Setubalense de então, a esta odisseia por que passaram os músicos da Orquestra Sinfónica de Bamberg, na altura a melhor orquestra da Alemanha e talvez de toda a Europa.
.
8 de Novembro
O novo edifício da Caixa de Previdência
Nos terrenos da Praça da República iniciaram-se na pretérita semana, os trabalhos das fundações para a construção do edifício.
.
8 de Novembro
Faleceu ontem Chen Foo Sim, o “chinês das gravatas”, no Hospital de S.Bernardo, após três semanas de internamento.
.
10 de Novembro
O ministro da Educação, prof. Dr. Galvão Teles e o prof. Hernani Cidade deslocaram-se ontem à tarde ao atelier do escultor Joaquim Correia a fim de apreciarem o busto de Bocage que vai ser oferecido pelo Governo português ao Brasil.
.
10 de Novembro
Pedido de casamento
Para o Sr. Eng. Carlos da Silva Clérigo … foi pedida em casamento a Sr.ª D.Maria Carolina Carvalho Costa.
.
13 de Novembro
Homenagem a Bocage
A RTP dedicou ontem, no seu programa “Roteiro Poético”, dirigido por D.Maria Germana Tânger, ao Poeta Bocage, tendo actuado os alunos do Conservatório Nacional de que aquela declamadora é professora.
.
13 de Novembro
Clube Setubaense
O Sr. Cor. Ricardo Durão profere hoje uma palestra, no Clube Setubalense, comemorativa do 110º aniversário do Clube. Seguir-se-á um baile.
.
15 de Novembro
Vitória FC
Milhares de Setubalenses assistiram ontem em Évora à “ressurreição” da equipa vitoriana que se tornou famosa na última época.
                            Lusitano, 0 – Vitória, 5
NB – Assisti a este encontro mas já não vi os dois primeiros golos… Chegámos uns minutos atrasados!...
.
15 de Novembro
Reunião de Curso
Um grupo de alunos do liceu de Setúbal (então Liceu de Bocage.) que iniciou o seu curso em 1 de Outubro de 1940, entre os quais se contam os Srs. Dr. Manuel José Constantino de Goes e Prof. Domingos do Rosário, tomou a iniciativa de comemorar as bodas de prata desse curso
Tal reunião comemorativa, de confraternização, realizar-se-á no próximo domingo, dia 21, sendo o seguinte, o respectivo programa:
À 10h, missa na Capela do Bonfim;
às 11h, aula no Liceu de Setúbal, orientada pela antiga professora Sr.ª D. Josefina de Noronha Gamito;
às 13h, almoço de confraternização na Estalagem do Castelo de S.Filipe.
.
15 de Novembro
João José Marcelino Nunes, António José da Silva Gato e Marie Louise Corentine(?) Trevidic Nunes revogam o mandato conferido à CADO.
.
17 de Novembro
A RTP em Setúbal
Esteve ontem em Setúbal uma Brigada da RTP que veio preparar uma série de programas de homenagem ao Poeta setubalense Manuel Maria Barbosa du Bocage.
O início das projecções está marcado para o próximo sábado, às 19h, no “Programa Juvenil”.
.
17 de Novembro
O trânsito na Travessa da Alfândega.
Pelos Serviços de Trânsito da Câmara Municipal de Setúbal foi determinado que, na travessa da Alfândega, apenas possam circular veículos com a largura inferior a dois metros, conforme chapa indicativa que ali acaba de ser colocada.
.
20 de Novembro
O Conselho Municipal aprovou o Plano de Actividade e as bases do Orçamento da Câmara Municipal de Setúbal para 1965 (sic).
Sob a presidência do Sr. Dr. Manuel José Constantino de Goes, reuniu o Conselho Municipal, no passado dia 17, para apreciar, discutir e votar o plano de actividade e a base do orçamento ordinário para o ano de 1966.
Estiveram presentes os conselheiros Srs. Cap. de Fragata João Alves Martins, Eng. Armando Ataíde de Medeiros, João Botelho Moniz Borba, Jacob Perianes Palma, Miguel Luis Alves, Amadeu Antero Ferreira, Ricardo Correia e António de Almeida Alves.
.
20 de Novembro
Novo e importante nicho habitacional
…queremos referir-nos, como decerto o leitor já terá adivinhado, à nova urbanização do local conhecido por “Quinta do Montalvão”, à estrada dos Arcos, que se tornará, pela sua situação, quando estiver feita a Avenida projectada, que ligará a estrada de Lisboa ao Parque do Bonfim, numa elegante “sala de visitas” da nossa cidade.
.
20 de Novembro
Urbanização de Praias do Sado.
A Câmara Municipal de Setúbal convidou o Sr. Arquitecto Júlio Neupart para executar o plano de urbanização de Praias do Sado.
.
22 de Novembro
No Centenário de Bocage
Integrada nas comemorações do 2ºCentenário de Bocage, realizou-se anteontem na Escola Técnica de Castelo Branco, uma Sessão Solene a que presidiu o chefe do Distrito, Sr. Dr. Simplício Barreto e em que a professora Sr.ª D. Maria Eunice de Sousa Bento proferiu um a Conferência subordinada ao tema “Bocage e o fim de um século”
.
22 de Novembro
O Dr. Miguel Rodrigues Bastos vai receber a “Medalha de dedicação Ouro”, da Legião Portuguesa.
.
22 de Novembro
Passa hoje o aniversário natalício do Sr. Afonso H. O’Neill.
.
22 de Novembro
Edifício Municipal
A Câmara Municipal de Setúbal convidou o Sr. Arq. Júlio Neupart, a elaborar o projecto de construção de um edifício para os Serviços Municipais e Municipalizados, nos terrenos da Câmara sito entre as avenidas Alexandre Herculano e Manuel de Arriaga, pelo que vai celebrar contracto para a execução desse trabalho.
.
22 de Novembro
Falecimento
Após prolongada doença faleceu ontem, o Sr. Francisco José de Páscoa Júnior, de 62 anos. Era pai do. Sr. José Manuel Parreira e Páscoa, professor de Educação Física.
.
22 de Novembro
Reunião de Curso
Foi a Sr.ª D. Felismina Madeira quem deu a aula aos antigos alunos de 1940, cujo curso se reuniu ontem.
.
27 de Novembro
Exposição de pintura
Na Galeria Divulgação, em Lisboa, está patente ao público, uma exposição do pintor Lima de Freitas, cuja abertura coincidiu com o aparecimento, nas livrarias, do seu livro “Pintura incómoda”.
.
27 de Novembro
Na página “Mosaico”, de Eduardo Gouveia Amaral, uma biografia, com foto, de Lima de Freitas.
.
29 de Novembro
Sociedade Musical Recreativa União Setubalense
Novos Corpos Gerentes
Assembleia-Geral
Presidente: José Augusto Santana da Silva
Direcção
Presidente: Eugénio Moreira Rodrigues
Conselho Fiscal
Presidente: José Andrade