31 maio 2012

As "garotas" de Carrillo...

Humor antigo
com o traço de
C a r r i l l o


- É bruto como uma carroça!... E fala por grunhidos... Mas gosto dele, coitadinho. O pai é tão rico...

30 maio 2012

Desmorrer...

Um artigo de Miguel Esteves Cardoso
hoje, dia 30 de Maio de 2012
in "Ainda ontem" - no Público



Miguel Esteves Cardoso


Desmorrer

Desta vez a Maria João teve sorte. Nunca tinha visto uma médica a chorar. Foi a Maria João que puxou as lágrimas, quando a Dr.ª Teresa Ferreira lhe disse que não havia mais metástases dentro dela. Ficámos os três a chorar e a olhar para os outros olhos a chorar.
A minha amada já tinha esquecido o futuro. Já não queria saber da casa nova, do tecido para forrar sofás, do Verão seguinte. Estava convencida que estava cheia de metástases. Doía-lhe o corpo todo. Tinha desanimado. Estava preparada para a morte. Só a morte é mais triste. Tinha-se preparado para ouvir o que já sabia, para não se assustar quando lhe dissessem que o cancro na mama tinha voltado e que se tinha espalhado por toda a parte.
Depois – mas não logo, porque não é de momento para o outro que se desmorre - voltou a ver vida pela frente. Reapareceu um horizonte e um caminho até lá, com passos para dar. “São tão raras as boas notícias”, disse a médica, “e é tão bom dá-las, vocês não imaginam”. Nós não imaginámos. Começámos a chorar. As lágrimas ajudam muito. As dos outros especialmente. Chorar sozinho não tem o mesmo efeito. A Maria João tem chorado por razões tristes. Desta vez estava a chorar de felicidade.
Como chora cada vez que ouve ou lê palavras doces, a dar força, a partilhar a dor, a juntar-se para que ela saiba que há muita gente a sofrer com ela, tal é a vontade delas que ela não sofra. Ou sofra pouco. Embora isso de se ficar vivo também se estranhe um bocadinho.
.
Por vezes o MEC faz-nos chorar… mas fico contente, por ele e pela sua Maria João, com aquilo que hoje nos conta…

Hotel de Turismo de Castelo Branco...

...obras finais, em Maio de 1945.
Itálico

Calcetamento dos passeios... e ainda sem nome escrito no "torreão".

29 maio 2012

As Actas da Câmara... 27 10 1959 (cont.)

Sessão de 27 de Outubro de 1959
…realizou-se a reunião ordinária semanal, sob a presidência do Excelentíssimo Senhor Manuel Filipe Pereira da Silva Magalhães Mexia, estando presentes os vereadores, Doutor Joaquim Arco, Doutor José Caldeira Areias, Eng. António Barroso, Joaquim Rodrigues Simões, Raul Veríssimo de Mira e Afonso Henriques Rocha
Assistiu à reunião o Primeiro-Oficial da Secretaria (Carlos Gentil) (?)
O átrio da Câmara Municipal

(Cont.)
Seguidamente, o Senhor Vice-Presidente disse:
“Dando plena concordância ao que o Senhor Presidente nos acaba de expor, julgo que toda a Câmara o deve acompanhar; na certeza de que não podemos ficar indiferentes sobre um assunto que tanto interesse tem para esta terra.
O valor económico-social de uma unidade fabril como aquela que se pretende instalar em Setúbal, deve merecer-nos o nosso maior entusiasmo e o nosso maior apoio, uma vez que constitui um importante valor económico, que certamente ajudará a resolver o mais grave problema desta terra.
Em 1940, em trabalho apresentado a uma Sociedade Médica, afirmava eu que, Setúbal considerada a terceira cidade de Portugal em população é essencialmente um meio industrial, sendo a sua principal indústria a fabricação de conservas de peixe, que avulta enormemente entre todas. Com a crise que de ano para ano se vem acentuando nesta indústria, os sem trabalho são cada vez em maior número, aumentando a mendicidade de forma assustadora. População depauperada, mercê de uma alimentação deficiente, não tendo nas suas casas a menos sombra de higiene, n
Mas onde existe em abundância a miséria e a promiscuidade, fácil é pensar que o meio é óptimo para o desenvolvimento das doenças infecto-contagiosas.
É pelas razões que citei que estes males existem; são de causa social e esta é bem poderosa para a difusão da doença
Não serão ainda hoje mais verdadeiras estas palavras?
Apontam-se vários inconvenientes; indicam-se consequências gravíssimas resultantes da laboração de tal indústria. Estude-se seriamente e sem paixão o problema e os técnicos em tal matéria que se pronunciem, na certeza de que se as vantagens sobrelevarem quaisquer inconvenientes que porventura sejam inerentes a esta indústria, julgo que o caminho é defender a todo o transe, a sua instalação nesta cidade.
Parece-me ser função primordial de todos nós procurar contribuir para uma melhoria económico-social da terra que amamos, a que pertencemos ou já adoptámos.
O Senhor Vereador Doutor Joaquim Arco afirmou:
No debate em curso suscitado pela instalação da Celulose, desejo frisar a circunstância de ser em Setúbal extraordinariamente baixo o número de setubalenses que frequentam o ensino secundário. A este sintoma que revela um deplorável nível económico, acresce outro não menos significativo: a ausência e indiferença pelas actividades e manifestações culturais na cidade que, sendo a terceira do país em população, deve ser a última na matéria que se está tratando. Este último facto é tanto mais de estranhar quanto é certo estar na índole do povo setubalense e nas tradições da cidade a tendência para o fenómeno artístico.
Estou convencido que tal estado de coisas deriva principalmente da estrutura económica actual que assenta em actividades decadentes e empobrecidas.
O nível intelectual e cultural só poderá desenvolver-se com o progresso económico, com a modificação da economia em termos que permita vida estável e desafogada. Está comprovado que é nos países, regiões e cidades consideravelmente industrializadas que mais floresce o desenvolvimento cultural e artístico. No nosso país é frisante o caso da cidade do Porto, cidade de chaminés, de fábricas e oficinas, mas também de poderosa vitalidade cívica, intelectual e artística.
No aspecto de turismo desejo, como pessoa interessada e ligada aos seus problemas em Setúbal, exprimir a convicção de que os seus interesses não deverão ser grandemente afectados pela instalação de uma indústria que, embora considerada incómoda, se vai situar a apreciável distância e para montante da cidade e da região de maior valor turístico.
A seguir, o Senhor Vereador Engenheiro António Barroso disse:
A propósito das palavras do Senhor Presidente manifestou-se francamente pela necessidade urgente da instalação de novas unidades fabris em Setúbal acrescentando que a sua experiência e conhecimentos adquiridos no já longínquo exercício da sua profissão de engenheiro numa grande empresa, o habilitou a afirmar que só através do trabalho certo, dentro de uma determinada especialização permite obter-se, com remuneração constante e compensadora, mão de obra eficiente, não apenas porque da prática continuada da profissão advém o aperfeiçoamento como também porque da estabilidade económica do agregado familiar resulta a despreocupação, a boa disposição e alegria de viver com evidentes reflexos no rendimento do trabalho, nas
relações sociais dos operários, no próprio equilíbrio familiar.

Por essa razão e por outras que se dispensa de enumerar entende que a Câmara, pretendendo defender efectiva e eficazmente os interesses do concelho e lutar por uma vida melhor para os seus munícipes tão duramente atingidos pelo atraso económico da região, tem o indeclinável dever de tudo tentar no sentido de que venham a instalar-se no concelho novas indústrias, particularmente indústrias que consigam trazer, como a celulosa, condições de vida estável à numerosíssima classe dos economicamente débeis.
Quanto aos inconveniente que vêm sendo apontados e que constituem compreensível receio de determinadas actividades prefere não emitir opinião, por não estar na posse de elementos suficientes; ocorre-lhe no entanto, à cerca do falado prejuízo para a exploração ostreícola, que no Tejo as ostras continuam a ser aproveitadas não obstante as grandes quantidades dos n«mais variados detritos tóxicos lançados constantemente no rio pelas indústrias químicas existentes nas duas margens, designadamente no Barreiro. Além disso, tem conhecimento de que em países, intensamente industrializados, existem unidades como a projectada, escalonadas ao longo de cursos de água juntamente com outras unidades industriais que da mesma água têm necessidade vital. O problema da poluição está estudado de modo que os efluentes das unidades a montante não prejudiquem a laboração das unidades situadas a jusante. Esse problema encontra-se pois resolvido pela técnica moderna.
Ora, uma unidade moderna como a que se projecta para Setúbal, vai certamente aproveitar do que de mais perfeito existe lá fora. (cont.)

28 maio 2012

Porque não se fazem agora...

..."coisas" destas?!...


Passou-me há dias pelas mãos, o Catálogo de uma Exposição de Fotografia que foi levada a cabo pelo Clube de Campismo, em Julho de 1972, por altura da Feira de Sant'Iago.


É um livrinho muito simples mas que, passados 40 anos, acaba por fazer história e nos faz recordar outros tempos em que, com menos verbas disponíveis, se iam realizando alguns actos culturais... independentemente da "cor" com que cada um se enfeitava... Nessa época, a dita "cor" não importava grandemente... E as coisas iam-se fazendo com a ajuda de todos!


A capa do Catálogo

Organizado pelo Clube de Campismo
e patrocinado pela Comissão de Festas da Cidade


Da Comissão Organizadora, o Álvaro Dias ainda se mantem em forma e do Júri de Admissão ao Salão Nacional de Fotografia, apenas o António Claro e eu, teimosamente,nos vamos mantendo por cá.

Nomes de muito mérito na Fotografia Nacional.
E o orgulho de termos o nome de um "setubalense enorme", na lista dos premiados:
o Sr. Fernando Gonçalo Motrena, um Amigo com quem aprendi alguma coisa e com quem dava gosto conversar. Apesar de ser um "setubalense enorme", ele não deixava de ser um Homem muito baixinho




O CCS orgulha-se de oferecer à cidade mais uma exposição de fotografia de âmbito nacional. Para a concretizar, usou da sua experiência na organização destes certames, reuniu algumas boas vontades sem as quais pouco poderia fazer e contou com o apoio da Câmara Municipal, sempre interessada em valorizar a terra e as suas festas.
A colecção de fotografias que o júri seleccionou e se apresenta ao espectador, integra muito do bom da produção nacional mais recente, a par de outras obras artisticamente mais modestas ou daquelas que já acusam o peso dos anos. Trata-se de um conjunto de trabalhos que se põe à discussão do público e que, num balanço final, se pode qualificar de interessante...
Com esta mostra, com o que ela representa de contributo para a divulgação da fotografia como obra de arte e de enriquecimento das manifestações culturais, em Setúbal, se mantém a tradição de mantermos entre nós, uma vez por ano, uma exposição deste género. Que ela se projecte na sensibilidade de cada um, eis o voto que formulamos.


Na Secção de "Fotografia a preto e branco", foram seleccionadas fotografias de 45 fotógrafos, sendo 4 fotógrafos setubalenses. entre os quais Fernando Motrena e o Joaquim Piedade.


Na Secção de "Fotografia a cores", foram seleccionadas fotos de 17 fotógrafos e apenas um setubalense, o Daniel Fryxell.


Na Secção de "Diapositivos", foram seleccionadas fotografias de 39 fotógrafos, sendo 5 de Setúbal de entre os quais se destacam o Joaquim Piedade e o Fernando Motrena.


"Preto e Branco"


1ºPrémio "Gato Preto", de Bernardino Pires, do Porto


2ºPrémio
"Esperando em vão", de Joaquim Reis Balsinha, de Lisboa

3ºPrémio

"Porto de abrigo", de Horácio José da Cruz, de Lisbo

Outras fotos:
"Retorno", de Bernardino Pires, do Porto



"Marcas do Tempo", de Ferrnando Neves, de Lisboa.

"Telhados", de José Manuel Soares Cardoso, de Lisboa



"Perfil", de Artur Andrade Fereira, de Monção


Quem ousaria hoje lançar um concurso de fotografia, aqui na "nossa" cidade?!...

Com provas em papel ou mesmo digitalizadas?!... Claro que daria muito trabalho e havendo como há muita falta de "carolice"... é capaz de ser difícil nestes tempos que correm, levar por diante tal ideia...

27 maio 2012

Como sempre...

...tudo correu bem!
Mais uma vez o Curso de 1957/58 do Liceu de Nun'Álvares, em Castelo Branco, realizou o seu encontro anual. Desta vez foi no Alentejo que festejaram o 54ºano... Perto de Ourique, no restaurante Castro da Cola.
Depois, todos eles convidados do casal Maria Alda e Carlos Barata, passaram o resto da tarde num convívio cheio de alegria e boas recordações, no "chalet" onde vivem, ali por perto...

A fotografia, para a "posteridade"... em 19 de Maio de 2012

... e sem a preocupação de alinhar os seus nomes por qualquer tipo de ordem, conseguimos identificar alguns destes "jovens antigos alunos" que eram ainda uns "miúdos" quando eu ali terminei o meu 7ºAno, em 1953.
A Maria do Carmo Pereira e o Luis Gonzaga Silva Pereira, o Diamantino André e a Maria Rosa, a Maria Irene Proença e o Manuel Maia Aguiar, o Carlos Amaro Barata e a Maria Alda, a Judite Dória Cortesão, a Guida Batista, o José Duarte Reis, a Zeca Carvalhão, a Zita Lopes Borges, o Narciso Garcia e o Luis Leão.


"Como sempre, correu tudo bem. Alegria no minibus e o almoço muito bom. Visitamos a Igreja de Nossa Senhora da Cola, pequenina, mas encantadora. Fomos ver o Castro e depois de almoçar, até à Barragem Monte da Rocha que tem uma vista muito bonita. Aí fomos recebidos no “Chalet” do casal Barata e a festa continuou..."(Parte de um "comunicado" que recebi passados uns dias. Por isso, aqui deixo um "obrigado" para a Maria Irene.)

NB - Agora, uma sugestão... Porque não tentam recordar a vossa reunião de há dois anos? Basta escrever, aqui à esquerda, no alto desta página: Reunião do Curso de 1958. Foi no dia 22 de Maio de 2010 que estivemos em Proença a Nova. Até dará para brincar ao "Veja as diferenças..."

26 maio 2012

Escrito no vento...

Passamos metade da vida à espera daqueles que amamos e a outra metade a vê-los partir.
.
Victor Hugo

25 maio 2012

A Zaida e a Odete

Para ti
Que és o sol p’ra muita gente
Para ti que também me iluminas…
todas as alegrias da vida te desejo.



...E com "isto", a Odete ofereceu à Zaida um quadro de sua autoria que esteve patente numa Exposiçao realizada no Clube dos Oficiais, na Praça de Bocage, a partir do dia 3 de Maio de 2008.As nossas colegas e Amigas Maria Odete Gomes e Maria Zaida Albuquerque numa reunião de convívio efectuada em 27 de Julho de 1983, no pátio central do Liceu de Setúbal.

"O quadro oferecido", em 12 de Julho de 2008

Porta fechada sem chaves,
escadas que já ninguém sobe...
Uma bengala sem mão
e um par de botas juntinhas!
Água fresca num cantil...
Recordações?!... Mais de mil...


A Odete e a Zaida também já deixaram a nossa Escola (o nosso Liceu!...) há alguns anos. Fazem parte de uma geração de Professores que se vai esbatendo. À medida que o tempo passa, vão sendo cada vez menos... mas os seus alunos não os vão esquecer!... Foram referências no Liceu de Setúbal.

24 maio 2012

Setubalense - 1964 - Setembro

5 de Setembro
Ensino
Escola Primária
Foi definitivamente aprovado o terreno no Largo das Areias para a construção de uma Escola Primária
.
5 de Setembro
Óbito
Falecimento do Marechal Craveiro Lopes, na 4ªfeira passada (2 Set 1964)
.
5 de Setembro
Nascimento
Teve o seu bom sucesso a Srª D.Ana Maria Moura, esposa do Dr.Mário Moura.
.
5 de Setembro
Nascimento
Foi enriquecido com o nascimento de um filhinho o lar da Srª D.Adelaide da Mesquita Pires e do Sr.Nuno da Mesquita Pires.
.
5 de Setembro
Óbitos
Carlos Alberto Babo
Realizou-se anteontem o funeral do jornalista Carlos Alberto Babo, de 44 anos, solteiro e natural de Setúbal. Era irmão do Sr. José Guilherme Babo, funcionário do Comissariado do Desemprego
.
7 de Setembro
CMS
A deficiente iluminação da cidade foi apreciada em reunião da Câmara. O Vereador José Caldeira Areias referiu-se, numa das últimas reuniões da Câmara Municipal de Setúbal, à deficiente iluminação da cidade, o que mereceu o interesse de toda a edilidade que confirmou a razão do referido reparo.
O Presidente informou que o caso estava a ser tratado pelos Serviços Municipalizados de modo a dotarem Setúbal com uma iluminação suficiente e em todas as zonas da cidade.
.
7 de Setembro
Cultura
Os grandes artistas pertencem ao património cultural de todos nós: Bocage não é deste ou daquele -- é de toda a gente" diz Romeu Correia (1ªpg)
.
7 de Setembro
Futebol
Henrique Rosa e José Contreiras são novos dirigentes dos árbitros de Setúbal
.
7 de Setembro
Câmara Municipal de Setúbal
Os vendedores do Mercado do Livramento não querem usar bata.
.
9 de Setembro
Pedido de casamento
Foi pedida a mão da Srª. D.Maria Manuela Monteiro Cabral Adão, finalista de Filologia Românica da Universidade de Lisboa,... para o Sr.Tenente António José Branco Afonso, piloto aviador em serviço no Ultramar
.
14 de Setembro
Cultura
Postal de Setembro", poema de Miguel de Castro, ladeando a fotografia de Bocage.
.
14 de Setembro
Epigrama
"A cura"
Lavrou chibante receita
um doutor com todo o esmero:
era para certa moça
que ficou sã como um pêro
"Tão cedo! É milagre!" - assente
a mão, que de gosto chora
"Minha mãe, não é milagre:
deitei o remédio fora!..." (Bocage)
.
14 de Setembro
Comemorações
Programa das Comemorações para assinalar a data do nascimento de Bocage
Às 21h - no Coreto da Avenida - Concerto pela Banda da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense.
Às 22 h - no Salão Nobre dos Paços do Concelho, conferência pelo Sr. Dr. Artur Anselmo com poesias ditas por António Manuel Couto Viana
Recital de Poesia, no Ateneu, pelo Grupo de Teatro "Ribalta".
Serão recitados poemas de Bocage, Sebastião da Gama, Cesário Verde, Camilo Pessanha, Sá Carneiro, Cesariny. Florbela Espanca, Manuel Bandeira, Miguel de Castro e Ana Cristina, ditos por Maria Clementina, Maria Alice Ferreira, Luisete Gamito, Fernando Pacheco, Alberto Paquete, Fernando Guerreiro, Carlos Pacheco, José Carlos, Carlos Rodrigues e Miguel de Castro.
.
14 de Setembro
Futebol
Manuel Luz Afonso é o novo Seleccionador Nacional de futebol.
.
16 de Setembro
PSP
O Sr.Benjamim da Silva Varanda, 1ºSub-Chefe da PSP, assumiu as funções de encarregado das Secções de Justiça e de Fiscalização da PSP, desta cidade.
.
19 de Setembro
Economia
Foram fixados os preços do arroz Carolino branco:
Ao armazenista - 6,88 escudos
Ao retalhista - 7,26 escudos
Ao público - 8,20 escudos
.
19 de Setembro
Notícias pessoais
Eng.José Francisco Faria
Regressou de Lourenço Marques onde esteve cerca de 2 anos prestando serviço militar, o Sr.Eng.José Francisco Faria, alferes miliciano.
.
19 de Setembro
Cultura
“Em louvor do Poeta", com 3 poemas
"A Bocage", de Ana Cristina
"Café Nicola", de Miguel de Castro
"Sonho", de Carlos Rodrigues
.
21 de Setembro
Guarda Fiscal
Era Comandante da Secção de Setúbal da Guarda Fiscal, o Sr.Tenente João Nunes Magro.
.
28 de Setembro
Liceu Nacional de Setúbal
Desdobramento de Horários no Liceu de Setúbal
Por ter sido superiormente aprovada a proposta da respectiva Reitoria, passa o Liceu de Setúbal a funcionar no próximo ano lectivo em regime de desdobramento, natural consequência do forte movimento ascensional da sua curva de frequência.
Conseguiu-se, no entanto, limitar esse desdobramento ao 3ºCiclo, o que trouxe efectivas vantagens:
a) No 1º e 2º Ciclos é inteiramente respeitado o plano de estudos dentro do tipo normal do horário.
b) No 3º Ciclo, apenas com supressão da Educação Física, nas alíneas b) e f), todas as aulas estão distribuídas num máximo de 4 tempos diários.
c) O desdobramento funciona entre as 14 e as 17 horas e 50 minutos, o que permita utilização dos transportes ferroviários com um mínimo de perda de tempo.
São também informados os Srs. Encarregados de Educação de que as aulas terão início no próximo dia 2 de Outubro e aconselham-se os alunos, principalmente os que frequentam pela primeira vez o Liceu, a visitá-lo no dia 1, a fim de tomarem conhecimento da respectiva sala de aula. As pautas e os horários serão afixados na 3ªfeira, dia 29.
.
30 de Setembro
Liceu Nacional de Setúbal
O Ensino Liceal no Barreiro
O Sr. Presidente da Câmara Municipal do Barreiro avistou-se hoje com o Chefe do Distrito a quem deu conhecimento da uma exposição que lhe foi entregue, com centenas de assinaturas, solicitando a criação, no Barreiro, a partir do próximo ano lectivo, de uma Secção do Liceu Nacional de Setúbal, destinada ao 1ºCiclo.

23 maio 2012

Parece ter voltado...

...o bom senso, à 5 de Outubro!

O ministro Nuno Crato

Indústria é prioritária no ensino profissional das escolas pública” é o título do artigo assinado pela Jornalista Clara Viana, no “Público” de ontem, 22 05 2012
.
Adeus aos cursos de multimédia, informática ou de animador sociocultural, que até agora tiveram forte presença na oferta do ensino profissional disponibilizada pelas escolas secundárias públicas.
A partir do próximo ano lectivo, as áreas prioritárias de formação passarão a ser metalurgia e metalomecânica, electricidade e energia electrónica e automação, tecnologia dos processos químicos, construção e reparação de veículos a motor, entre outras ligadas aos sectores de bens e serviços transaccionáveis ou geradores de emprego.
A reforma do ensino profissional para jovens será anunciada esta semana pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), mas as direcções regionais de Educação á estão a enviar às escolas as alterações previstas (Clara Viana)
.
Logo a seguir ao Abril de 1974, o “partido predominante” quis acabar com as diferenças!!!... Como o ensino liceal funcionava, na maior parte dos casos, com uma maior eficiência, e com outra finalidade, se o compararmos com o ensino técnico -- que também era bastante bom, aqui no nosso burgo -- aquele agrupamento político resolveu, e bem, “nivelar” os dois ramos do ensino que recebeu por herança, do abominável fascismo
Só errou num pormenor… num “pequeno” pormenor… Em vez de tentar nivelar “por cima” tentando modificar um pouco as características do ensino técnico, e erguê-lo ate ao nível que então tinham os cursos liceais, preferiu fazer o contrário e nivelar “por baixo”… O descalabro teve então o seu início.
Passados um ou dois anos, não havia, nas Oficinas da Escola Técnica, um só torno, uma só fresadorauma única máquina de que, até ali, os alunos se serviam para aprender o que era necessário para exercerem um ofício. Tudo foi roubado…tudo foi destruído…tudo desapareceu! O esplêndido ensino ministrado na nossa escola industrial caiu redondo!...
E no Liceu?!... Também foi ali, então, que tudo começou a “resvalar”… Uns miúdos de vinte e poucos anos (alguns dos quais ainda por aí andam, receosos hoje que alguém se recorde deles e desses tempos “heróicos e irresponsáveis” que protagonizaram e de que hoje se devem envergonhar) “assaltaram” a nossa escola e tentaram impor-se “armando-se” em professores de uma nova geração mas sem bases, sem ciência, sem conhecimentos que ultrapassassem o “catecismo” que as “novas elites” lhes tinham posto nas mãos.
.
Era costume os Directores das Escolas Técnicas serem procurados pelos Directores das empresas sediadas na região para lhes pedirem informações sobre os melhores alunos prestes a sair para o mercado de trabalho, uma mão de obra jovem, bem preparada e com um emprego estável ao seu alcance
Os bons alunos finalistas do ensino técnico eram “pescados” à saída do seu curso, pelos empresários e pelas indústrias sediadas no concelho e nas imediações. Raro aquele que não ganhava ali um emprego estável…
Feito o último exame na sua Escola Industrial os alunos estavam lançados num ofício que lhes havia sido oferecido pela própria fábrica, pela própria empresa que deles tinha necessidade! Apenas porque eram bons no ofício que a Escola lhes ensinara

Com a “mudança de 74”, os alunos da Técnica deixaram de poder aprender convenientemente porque desapareceram os aparelhos das suas oficinas e porque foram desaparecendo os óptimos mestres e os bons professores que até ali ensinavam naquela Escola.
Quanto aos alunos do ensino liceal, eles foram conduzidos também, embora com maior lentidão, aos níveis cada vez mais baixos, não só pela resistência de muitos dos professores à mudanças que se previam devastadoras, mas também porque os “assaltantes” tinham uma maior dificuldade em se instalarem, em destruírem o que bom ali havia sido feito… Os “velhos” professores, muitas vezes também com algum receio, não permitiam que os “novos” e “jovens mentores” fizessem aquilo que lhes vinha à cabeça ou que levassem para a sala dos professores as “novas ideias” adquiridas em prévias reuniões… feitas “fora” do Liceu.
Ainda me lembro de alguns rapazotes a “quererem dar ordens”. Na sala dos Professores… Alguns deles ainda sem o seu cursozinho tirado…mas com uma “empáfia” já bem desmedida…
Esses tempos foram passando ao mesmo tempo que o nível pedagógico e o nível científico deslizavam já, em grande, no plano inclinado da mediocridade….
O que era preciso era que os alunos passassem! Não importava como… Os números estatísticos é que passaram a contar. Passámos a ser o que de melhor havia na Europa!!... E, se calhar, no mundo...tal era o entender do sr. engenheiro…
.
Parece agora que o Ministro Nuno Crato quer dar uma volta nesta situação. Mas, entretanto, uma enorme fatia dos bons professores que ainda havia no ensino até há uma meia dúzia de anos atrás, antecipou a reforma e foi para casa Sentindo-se incapazes de alterar o estado de coisas que os sucessivos ministérios da Educação exigiam para atingir as metas numéricas… revoltados com situações inaceitáveis a que foram sujeitos, preferiram sair do ensino, alguns deles, muitos deles... com o desgosto de terem de abandonar uma profissão que lhes encheu a vida e de que tanto gostavam.
Estes já não podem ajudar o ministro Nuno Crato…

22 maio 2012

Está à espera de quê, Senhor Ministro??!...

Director-adjunto do "Público" confirma dois telefonemas de Relvas.
Manuel Carvalho confirma que houve pressões para condicionar publicação de trabalho de investigação e ameaças de revelação de elementos da vida privada da jornalista, que acompanha relações do Governo com ex-membro das secretas.

Miguel Relvas (ex-ministro?...)


O director-adjunto do jornal “Público” confirma a existência de dois telefonemas de Miguel Relvas, no sentido de condicionarem a investigação e de impedirem a posterior publicação de uma notícia.

Houve pressões ilegítimas por parte do senhor ministro Miguel Relvas, que foram exercidas junto de uma editora da secção de política no sentido de influenciar ou condicionar o trabalho de investigação que estava a ser feito por uma jornalista da mesma secção”, confirmou, na última noite, Manuel Carvalho em entrevista à RTPN.

Segundo o director-adjunto, o alvo das ameaças éuma jornalista que acompanha há meses todas as relações que têm sido noticiadas entre o Governo, nomeadamente entre o ministro Miguel Relvas e o ex-chefe dos Serviços Secretos, Jorge Silva Carvalho”.

“No prosseguimento dessa investigação, houve objectivamente dois telefonemas pela parte do senhor ministro”, denuncia. Nas chamadas telefónicas, Relvas terá dito “que se esse trabalho ‘pidesco’, como ele o designou, levaria a um blackout de todos os ministros do Governo ao Público, que haveria recursos à Entidade Reguladora da Comunicação Social e aos tribunais”.

Manuel Carvalho reconhece que é legítimo recorrer à ERC e à Justiça “sempre que [um cidadão] ache que o acompanhamento noticioso por parte de um órgão de comunicação não obedece às regras”, mas não deixa de sublinhar que “o que é absolutamente ilegítimo, por um lado, é o blackout do Governo a um órgão de comunicação social, como é o Público e, por outro lado, a ameaça de revelação de elementos da vida privada dessa mesma jornalista”.


Está à espera de quê, senhor Ministro?!...

A Escuderia de Castelo Branco...

...está a comemorar o seu 48ºano.

Foi em 21 de Maio de 1964 que um grupo de entusiastas pelo automobilismo resolveu fundar a Escuderia de Castelo Branco. O Quitas Pio encabeçou a lista dos 26 fundadores deste grupo dedicado ao desporto automóvel.


Desenhado então pelo Arquitecto Luis Marçal Grilo, o logótipo escolhido ainda se mantem.


Já são poucos os sócios fundadores que estão entre nós.

Tanto quanto é do meu conhecimento, ainda contamos entre nós, e oxalá que por muitos e bons anos, os sócios fundadores Luis Marçal Grilo, Porfírio Lima, Eduardo Marçal Grilo, Francisco Romãozinho e o Morgado Duarte. Também eles merecem hoje um abraço amigo.
Quanto à instituição "Escuderia de Castelo Branco"... vou fazer os possíveis por estar por cá ainda quando festejarem os 50 Anos. Sempre é uma data mais...redonda!

Amigos para sempre...

Creio que este texto surgiu no "Público" em Janeiro e é da autoria de MEC. Mas até podia ter sido escrito esta manhã... pois diz respeito a todo o tempo…

Miguel Esteves Cardoso



Os amigos cada vez mais se vêem menos. Parece que era só quando éramos novos, trabalhávamos e bebíamos juntos que nos víamos as vezes que queríamos, sempre diariamente. E, no maior luxo de todos, há muito perdido: porque não tínhamos mais nada para fazer.


Nesta semana, tenho almoçado com amigos meus grandes, que, pela primeira vez nas nossas vidas, não vejo há muitos anos. Cada um começa a falar comigo como se não tivéssemos passado um único dia sem nos vermos. Nada falha. Tudo dispara como se nos estivera - e está - na massa do sangue: a excitação de contar coisas e a alegria de partilhar ninharias; as risotas por piadas de há muito repetidas; as promessas de esperanças que estão há que décadas por realizar. Há grandes amigos que tenho a sorte de ter que insistem na importância da Presença com letra grande. Até agora nunca concordei, achando que a saudade faz pouco do tempo e que o coração é mais sensível à lembrança do que à repetição. Enganei-me. O melhor que os amigos e as amigas têm a fazer é verem-se cada vez que podem. É verdade que, mesmo tendo passado dez anos, é como se nos tivéssemos visto ontem. Mas, mesmo assim, sente-se o prazer inencontrável de reencontrar quem se pensava nunca mais encontrar. O tempo não passa pela amizade. Mas a amizade passa pelo tempo. É preciso segurá-la enquanto ela há. Somos amigos para sempre mas entre o dia de ficarmos amigos e o dia de morrermos vai uma distância tão grande como a vida.


Miguel Esteves Cardoso também tem períodos "lúcidos"... e também vai aprendendo com o tempo...

21 maio 2012

Escrito no vento...

A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas.”
.
Horácio

20 maio 2012

Já foi há dias...

... que lemos estas palavras de Camilo Lourenço:
"Até Schäuble ajuda mais do que Soares"

Camilo Lourenço
Economista

"Eu gostava de ser simpático com o Dr. Soares. Mas o Dr. Soares não ajuda. Como se vê pela sua última sugestão, de que está na hora de o PS romper com a Troika."
Eu gostava de ser simpático com o Dr. Soares. Mas o Dr. Soares não ajuda. Como se vê pela sua última sugestão, de que está na hora de o PS romper com a Troika. Porque a maré está a mudar lá fora e porque o FMI e a Comissão Europeia/BCE, os outros dois integrantes da Troika, não se entendem.É uma atitude inacreditável (Seguro esteve muito bem na resposta). Porque Portugal não pode rasgar um contrato que assinou há um ano. E porque a sugestão de Mário Soares acontece no pior momento: quando a Grécia mergulha num caos político que pode terminar com a sua saída da zona Euro. É verdade que Soares não sabe muito de Economia. Mas deve saber o bastante para perceber que se a Grécia sair, quem toma o seu lugar na linha de fogo é… Portugal. Agora compare-se a atitude de Soares com a de Wolfgang Schäuble. O ministro das Finanças do país que manda no Euro diz em entrevista que o ministro das Finanças português (a quem Soares já qualificou de "contabilista") tem qualificações para ser o próximo presidente do Eurogrupo. Precisava de o dizer? Não. Deve favores a Gaspar? Não. Então porque o disse? É irrelevante. O que interessa é que, com esse gesto, além de reconhecer a qualidade de Vítor Gaspar, mostra o apreço da Alemanha pelos dolorosos sacrifícios que estamos a fazer. E, pelo caminho, sinaliza que a Alemanha está disposta a segurar Portugal.Não conheço melhor serviço prestado à República Portuguesa do que este gesto de Schäuble: o que ele disse, no momento em que o disse, não tem preço. O que me deixa com esta conclusão amarga, de que o ministro das Finanças alemão fez mais por Portugal do que Mário Soares. Nunca pensei!
Camilo Lourenço

19 maio 2012

Amantes de Novembro...

...um poema de Alexandre O'Neill

Alexandre O'Neill


Os Amantes de Novembro


Ruas e ruas dos amantes
Sem um quarto para o amor
Amantes são sempre extravagantes
E ao frio também faz calor
Pobres amantes escorraçados
Dum tempo sem amor nenhum
Coitados tão engalfinhados
Que sendo dois parecem um
De pé imóveis transportados
Como uma estátua erguida
num Jardim votado ao abandono
De amor juncado e de outono
.
Alexandre O'Neill,
in 'No Reino da Dinamarca'

18 maio 2012

As "garotas" de Iñigo...

Humor antigo
com o traço de
I ñ i g o

- Sim, encontrei o seu cheque em branco no meu camarim.
Nunca pensei que tivesse tanto dinheiro!...

17 maio 2012

Donna Summer...

... faleceu esta manhã, na Flórida.

Donna Summer

Nascida em Boston, Donna Summer, de 63 anos, conhecida como a "Rainha da Disco" morreu hoje vítima de cancro, na Florida, Estados Unidos. A cantora tinha 37 anos de carreira e estima-se que tenha vendido mais de 130 milhões de discos.

Donna Summer, distinguida com cinco Grammy, começou a destacar-se na música disco nos anos 70, com sucessos como "Last Dance", "Hot Stuff" e "Bad Girls.

A cantora, que se casou em 1972 com o ator austríaco Helmuth Sommer - de quem adotou o apelido, alterando-o para "Summer"-, teve a sua primeira filha em 1973.

Nos anos 60, viveu em Munique, integrando o elenco de "Hair", entre outros musicais e peças de teatro encenados na Europa.

Donna Summer foi uma referência musical que brilhou nos anos 80 e 90.

Escrito no vento...

"O tempo passa e o homem não se apercebe."
.
Dante Alighieri

É já no próximo sábado, dia 19 de Maio...








A Maria Irene nunca se esquece e, por esta altura, envia-me também uma cópia do "lembrete" que remete para todos os seus colegas de 1958, não vá algum deles ser tentado a dizer que...não sabia!!...



Restaurante Castro da Cola


Este ano, o almoço será no Restaurante Castro da Cola, que está inserido no Alentejo profundo, num lugar com o mesmo nome, a sul de Ourique. E a Maria Irene Proença acrescenta que, no regresso, haverá uma passagem obrigatória pelo “CHALÉ” do simpático casal, colega e amigo Alda e Carlos, situado na Barragem do Monte da Rocha – Chada, que "nos receberão com toda a amizade e boa disposição".
Fica aqui mais este aviso... a quem já está avisado!...

16 maio 2012

Escrito no vento...

Os dias talvez sejam iguais para um relógio, mas não para um homem.”
.

Marcel Proust

Uma sessão no Salão Nobre...

... que não consegui identificar. Provavelmente uma palestra já que as atenções estão todas desviadas para um mesmo local, onde costumava situar-se a mesa do palestrante.
Da esquerda para a direita, na 1ªfila, identificámos o Governador Civil, Dr.José Cardoso Ferreira, a sua esposa D. Maria da Conceição Cardoso Ferreira, o Presidente da Câmara, Dr.Manuel José Constantino de Goes e D. Inês Goes, jjmatos, Dr.António Maurício e José Cândido.
Na 2ªfila, de perfil, o reitor do Liceu, Dr.Armindo Gonçalves e José Luis Novais (à direita);

Na fila seguinte, um casal de professores, ele era o Director Escolar Carlos Monteiro e, ao mesmo tempo, Director do semanário "O Distrito de Setúbal"
À esquerda, lá atrás, de óculos escuros e boina, parece-me estar também a figura de Zé Afonso.

15 maio 2012

Escrito no vento...

No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.”
.
Martin Luther King

Ainda no Campo dos Arcos...

...uma partida entre amigos cuja data não soubemos identificar.
(mas deve ser anterior a 1962)
Na 1ªfila: Joaquim Elias, João Salgueiro, Amilcar, Manuel Pereira, Humberto Arôcha, Álvaro Piteira, Celso Pereira, NN e Horácio Pereira.
Em pé: NN, NN (bancário), Diamantino Maldonado, Fernando Jesus, Brás Mansinho, Vitor Hugo Delgado, Domingos do Rosário, NN, Henrique da Malu, António Alves, Álvaro Semião, José Alves, Barafusta e Cláudio Rolita.

14 maio 2012

As "garotas" de Bosch Penalva...

A revista Can Can nº39
publicou na sua capa
em 29 de Dezembro de 1960
esta “foliona do Ano Novo”… Desenho de Bosch Penalva


e o "marreta de serviço" já não diz coisa com coisa!...


- Não há óculos que cheguem para ver uma coisa destas comemorar o Ano Novo!...


Para terminar a composição da página, aparece um desenho de Don Flowers, alusivo ao Carnaval que se adivinhava próximo...

- Olha, querido!... Apresento-te o senhor Padre Isidro...

13 maio 2012

Setubalense - Agosto - 1964

3 de Agosto
Função Pública
O Sr.Dr.Luís Gonzaga Machado foi nomeado médico municipal de S.Lourenço, Azeitão
.
3 de Agosto
Pedido de casamento
... para seu filho Sr.Fernando José Antunes Frasquilho, oficial da Marinha Mercante, foi pedida em casamento a SrªD.Maria Susete Reis, professora oficial.

3 de Agosto
CMS
Rescisão de contrato
Foi revogado o contrato de prestação de serviços, elaborado entre a Câmara Municipal de Setúbal e o Sr.Dr.João da Silva Cavalheiro, por se ter reconhecido que não existia justificação para a existência de um contrato permanente.
.
5 de Agosto
FNAT
O Sr.João José Pereira e Silva foi nomeado Chefe de Secretaria da Delegação da FNAT, em Setúbal.
.
14 de Agosto
Notíc.pessoais
Partiu para o País de Gales, Inglaterra, afim de frequentar um curso de professores, a Srª.D.Maria do Carmo Trindade Pires, professorado Liceu D.Filipa de Lencastre, em Lisboa.
.
14 de Agosto
Cultura
Tertúlia CCS
Realiza-se amanhã um colóquio sobre Antero de Quental, orientado pelo Sr.Francisco Sardo.
.
14 de Agosto
CGDepósitos
O Sr.Artur Teixeira de Melo é o novo agente da filial da CGD
.
17 de Agosto
Bocage

O Brasil associa-se às Comemorações do 2º Centenario de Bocage.
A Comissão que cuidará da participação do Brasil nas Comemorações do 2º Centenário do Poeta Setubalense, será presidida pelo académico Elmano Cardim e dela fazem parte Celso Kelly, presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Reis Perdigão, Paulo Tacla, Jaixa Pelma, Alves Pinheiro Filho, Albano Marques e os deputados Danilo Nunes e Magalhães Castro.
.
17 de Agosto
Casamento
Realizou-se no sábado (15.Ago.1964), na capela do Palácio de Queluz, o casamento do Sr.Eng.Carlos Blasquez Rodruguez Sanz Frigolet, com a SªDrª D. Maria Líbia Silveira Corrêa Gonçalves Pacheco.
.
17 de Agosto
Vitória FC
Vão começar os trabalhos para a construção de um muro em volta do Estádio do Bonfim..
.
19 de Agosto
Liceu Nacional de Setúbal
Dois estudantes do liceu foram distinguidos com uma viagem ao Ultramar.
Por terem obtido as primeiras classificações no 4ºCurso da Escola Nacional de Estudos Ultramarinos da Mocidade Portuguesa, seguem amanhã para Angola. e Moçambique, os alunos do Liceu de Setúbal José Luís Henrique de Jesus e António Manuel Cardoso Ferreira.
.
22 de Agosto
Efemérides
Em 1484, D.João II apunhala, em Setúbal, o Duque de Viseu, seu cunhado.
.
22 de Agosto
Vitóri FC
O major Ernesto do Rosário está a procurar ser útil ao futebol ultramarino, realizando colóquios e procurando auxiliar os dirigentes de Moçambique.
.
24 de Agosto
Notícías pessoais
De férias
No Luso: o Sr.Governador Civil Miguel Rodrigues Bastos com a esposa D.Alice Pitta Rodrigues Bastos
Num Cruzeiro no Mediterrâneo: O Sr.Dr.João Silva Duarte e esposa D.Maria Adelaide Forte Silva Duarte
Em Palma de Maiorca: o Sr.Coronel Augusto de Carvalho
Para Espanha e França: o Eng. Artur Parreira da Gama e mulher D.Maria Angela Parreira da Gama.
Na Beira Alta: O Dr.António Luís David Gomes e mulher D.Maria Manuela David Gomes
Palma de Maiorca: Dr.Estêvão Moreira e mulher D.Alice
Palma de Maiorca: Dr.Paulino Pereira e D.Ausenda
Figueira da Foz: Dr.João Cavalheiro, com a esposa D.Mariana e a filha Ana Francisca
.
26 de Agosto
Ensino
Curso de Instrutores de Educação Física, para Professores primários
Os professores primários do quadro geral, de ambos os sexos, com menos de 31 anos de idade até 30 de Setembro, poderão habilitar-se à frequência, nos anos lectivos de 1964/65 e 1965/66, do Curso de Instrutores de Educação Física, professado no INEF, na qualidade de equiparados a Bolseiros no País.
.
26 de Agosto
Tourada
Francisco Finura e El Niño (Terramoto) actuam na Espectáculo de Variedades Taurinas, no próximo sábado, na Praça "Carlos Relvas".
.
29 de Agosto
Função pública
O Sr.Dr.José Cardoso Ferreira é o Chefe da Secretaria do Grémio dos Industriais de Conservas de Peixe.
.
31 de Agosto
Turismo
A unidade hoteleira de Albarquel
Realizou-se na Direcção de Finanças de Setúbal, na 6ªfeira passada, a praça para arrematação de 1130 metros quadrados de terreno, junto à praia de Albarquel, para construção de uma unidade hoteleira.
A praça teve 7 concorrentes, sendo o terreno arrematado por 113.600,00 (escudos) à Srª.D.Márcia de Pina Manique Simões, detentora do Direito de opção, por já ter sido superiormente autorizada a construção da referida unidade hoteleira.
.
31 de Agosto
Liceu Nacional de Setúbal
Desdobramento do Liceu
de Setúbal com uma Secção no Barreiro.
Aguarda-se para breve, naquela vila, a criação de uma Secção do Liceu Nacional de Setúbal

11 maio 2012

O cabrito estonado em Oleiros...

Foi no dia 13 de Abril... há já quase um mês, que voltámos a Oleiros. Apenas para um dos nossos companheiros de viagem não foi um regresso... O Machado Pinto foi o nosso "caloiro" de serviço...

É sempre com muito gosto que cumprimentamos a anfitreã, D.Maria Afonso, no Restaurante "O Prontinho", em Oleiros. Sabemos que o seu "Cabrito estonado" tem a fama (e tem o proveito!...) de ser o melhor, num raio de... 1000 Kms!!! (espero que me desculpem o exagero...)
É num primeiro andar, na Praça do Município, fronteiro ao Jardim da Devesa.

Onde virem este reclamo... é aí mesmo!...
Na Sala, notámos umas leves alterações nos adereços que preenchiam as paredes. Está melhor?... Está pior?!... Não... Está diferente. E como não fomos ali para apreciar outra coisa que não fosse o Cabrito estonado, quase nem dávamos pela pequena alteração ali havida.
Na distribuição aleatória dos lugares à volta da mesa, calhou-me o Flórido ali ao lado.E o "caloiro" António Machado Pinto pela frente... Tudo boa companhia.

O José Flórido é uma excelente companhia.

Aqui, apenas falta o "operador de imagem", Manuel Rosa.
...mas aqui já está presente. Ao contrário do que poderão pensar
não se trata de uma mesa "à alentejana"

Uma "entrada" de maranhos... Óptimos! Servidos com esmero...

O Machado Pinto ainda nem sequer sabia o que eram "maranhos"...
Creio que ficou "sócio"...
E aos maranhos seguiu-se um "arroz de "miúdos"...Uma delícia...



Estava tão bom...
Grelos de nabiça?!... num esparregado a acompanhar tudo o resto?!!... Uma maravilha...

Até merecem um "grande plano"...
E ainda não tinha chegado o "cabrito"!...

 
A Aida "abastece-se" sob o olhar distraído da Idalina.

Aqui já estamos no início da fase seguinte: o "cabrito estonado" propriamente dito... surgiu apenas no final, após nos termos servido do "arroz de miúdos" e do esparregado.
A Isabel foi incansável... Mas ela é sempre assim... O serviço foi perfeito.


O Cabrito estonado, no seu maior "esplendor"... Um manjar do Olimpo!... De fazer inveja... Se não fosse tão longe, ia lá almoçar todos os dias...


Pedi-lhe para "posar"... e ela colaborou com o fotógrafo.

Claro que não é um "auto-retrato"... O António Machado Pinto esmerou-se mesmo......e aqui já todos "trabalhavam"... Sem grande esforço, valha a verdade... A Alina, a Aida e a Idalina representam aqui a "ala alentejana" das mulheres...
Curiosamente nenhuma delas é do Alentejo.


Enquanto aguardavam a chegada do "manjar", a Aida e a Idalina conversavam com a ala do "homenzedo"...disposta à sua frente.