28 maio 2012

Porque não se fazem agora...

..."coisas" destas?!...


Passou-me há dias pelas mãos, o Catálogo de uma Exposição de Fotografia que foi levada a cabo pelo Clube de Campismo, em Julho de 1972, por altura da Feira de Sant'Iago.


É um livrinho muito simples mas que, passados 40 anos, acaba por fazer história e nos faz recordar outros tempos em que, com menos verbas disponíveis, se iam realizando alguns actos culturais... independentemente da "cor" com que cada um se enfeitava... Nessa época, a dita "cor" não importava grandemente... E as coisas iam-se fazendo com a ajuda de todos!


A capa do Catálogo

Organizado pelo Clube de Campismo
e patrocinado pela Comissão de Festas da Cidade


Da Comissão Organizadora, o Álvaro Dias ainda se mantem em forma e do Júri de Admissão ao Salão Nacional de Fotografia, apenas o António Claro e eu, teimosamente,nos vamos mantendo por cá.

Nomes de muito mérito na Fotografia Nacional.
E o orgulho de termos o nome de um "setubalense enorme", na lista dos premiados:
o Sr. Fernando Gonçalo Motrena, um Amigo com quem aprendi alguma coisa e com quem dava gosto conversar. Apesar de ser um "setubalense enorme", ele não deixava de ser um Homem muito baixinho




O CCS orgulha-se de oferecer à cidade mais uma exposição de fotografia de âmbito nacional. Para a concretizar, usou da sua experiência na organização destes certames, reuniu algumas boas vontades sem as quais pouco poderia fazer e contou com o apoio da Câmara Municipal, sempre interessada em valorizar a terra e as suas festas.
A colecção de fotografias que o júri seleccionou e se apresenta ao espectador, integra muito do bom da produção nacional mais recente, a par de outras obras artisticamente mais modestas ou daquelas que já acusam o peso dos anos. Trata-se de um conjunto de trabalhos que se põe à discussão do público e que, num balanço final, se pode qualificar de interessante...
Com esta mostra, com o que ela representa de contributo para a divulgação da fotografia como obra de arte e de enriquecimento das manifestações culturais, em Setúbal, se mantém a tradição de mantermos entre nós, uma vez por ano, uma exposição deste género. Que ela se projecte na sensibilidade de cada um, eis o voto que formulamos.


Na Secção de "Fotografia a preto e branco", foram seleccionadas fotografias de 45 fotógrafos, sendo 4 fotógrafos setubalenses. entre os quais Fernando Motrena e o Joaquim Piedade.


Na Secção de "Fotografia a cores", foram seleccionadas fotos de 17 fotógrafos e apenas um setubalense, o Daniel Fryxell.


Na Secção de "Diapositivos", foram seleccionadas fotografias de 39 fotógrafos, sendo 5 de Setúbal de entre os quais se destacam o Joaquim Piedade e o Fernando Motrena.


"Preto e Branco"


1ºPrémio "Gato Preto", de Bernardino Pires, do Porto


2ºPrémio
"Esperando em vão", de Joaquim Reis Balsinha, de Lisboa

3ºPrémio

"Porto de abrigo", de Horácio José da Cruz, de Lisbo

Outras fotos:
"Retorno", de Bernardino Pires, do Porto



"Marcas do Tempo", de Ferrnando Neves, de Lisboa.

"Telhados", de José Manuel Soares Cardoso, de Lisboa



"Perfil", de Artur Andrade Fereira, de Monção


Quem ousaria hoje lançar um concurso de fotografia, aqui na "nossa" cidade?!...

Com provas em papel ou mesmo digitalizadas?!... Claro que daria muito trabalho e havendo como há muita falta de "carolice"... é capaz de ser difícil nestes tempos que correm, levar por diante tal ideia...

Sem comentários: