31 maio 2008

Romagem de Saudade 5

No dia 23 de Maio - 13 horas

O tempo continuava chuvoso... Depois da Sessão de Agradecimento na Câmara e depois da Fotografia dos Romeiros, seguiu-se um almoço na Senhora de Mércules! Uma sardinhada com feijão frade e salada de alface...

Para lá, cada um foi como quiz e entendeu...

Um belo restaurante, amplo e agradável...

Uma "frente" da mesa:
Manuel Boléo, Maria Amélia, Shirley e José Manuel Sérvulo Correia

O Rui Versos e o Eduardo Grilo aguardam o início das "hostilidades"... e a chegada das sardinhas!

Na mesa ao lado, o Maia Aguiar aguarda também, os acontecimentos…
Enquanto a Maria Irene, divertida, já se tinha “apoderado” de um troféu precioso


No momento em que tirei esta foto, prometi à Irene Proença que
ela seria a única pessoa a ver tão “comprometedora” fotografia…
Fiz uma “jura” a mim próprio, que cumpriria à risca, de não mostrar a
ninguém esta fotografia… Que “vergonha” seria!!!...
Mas ela teve mais bom senso do que eu e restituiu-me a liberdade de a publicar.
Ela aqui fica para a posteridade!
Os Romeiros da mesa ao lado também se divertiram muito.

Não resisto à tentação de ir buscar uma outra fotografia que lhes tirei há uns anos atrás … Ora vejam como este casal evoluiu…
Parabéns, António Figueiredo. Não se nota muito a passagem do tempo…
(Lá me estás tu a chamar…”mentiroso”…)


Foto de 4 de Maio de 1980

Desta vez o Pina de Carvalho apareceu como um
"cavaleiro solitário"... Uma figura "com assinatura" na Romagem!

Eduardo Marçal Grilo e Manuel Sena Boléo

30 maio 2008

Beira Baixa - Notícias de 1956 Abril

1 de Abril
2ºConcerto da Pró Arte
Com o cantor Guilherme Kjölner, em
6 de Abril de 1956
A 4ªtemporada da Delegação de Castelo Branco, interrompida com as férias da Páscoa, vai prosseguir com um concerto de grande interesse.
Pela primeira vez vem à nossa cidade o consagrado cantor Guilherme Kjölner, acompanhado da distinta pianista Maria Amélia d’Abreu.
***
O tenor Guilherme Kjölner fez os seus estudos de canto em Milão, como bolseiro do Instituto de Alta Cultura. Tem cantado nos principais teatros do país e do estrangeiro. Tem no seu reportório lírico, entre outras, as óperas “Barbeiro
de Sevilha”, “Traviata”, “Rigoleto”, “Falstaff”, “Manon”, “Werther”, “Lúcia de Lamermoor”, etc.
Cantou em sucessivas temporadas no Teatro de São Carlos de Lisboa e no Coliseu.
A 2ªparte do concerto está a cargo de Maria Amélia Abreu, pianista distintíssima, de méritos já consagrados no nosso meio musical.
.
Programa
I
Nina - Pergolesi
Dalla sua Pace (Òpera “D.João” de Mozart
Serenata – Schubert
Vaghissima Senbianza – Donaudy
….….Canto: Guilherme Kjölner
……..Piano: Maria Amélia d’Abreu
II
Improviso – Schubert
A Caça (Estudo) – Paganini-Lizst
Canto de Luar – Ivo Cruz
Allegro de Concerto – Granados
…….Piano: Maria Amélia d’Abreu
III
Num sonho todo feito de incerteza – Alberto Toscano
Aquela moça – Luis de Freitas Branco
Ária da Ópera “Inês de Castro” - Ruy Coelho
Melodia d’Amor – Ruy Coelho
…….Canto: Guilherme Kjölner
…….Piano: Maria Amélia d’Abreu
.
Bilhetes e Programas na Papelaria de José Sérgio Feijão – Tel. 112
.
1 de Abril
Romagem de Saudade
Nas reuniões realizadas ultimamente no Liceu Nacional de Castelo Branco pelos antigos alunos residentes na cidade foram tratados vários assuntos com referência à Romagem dos dias 5 e 6 de Maio próximo e ficou esboçado o seguinte programa:

.
Sábado, dia 5 de Maio
Às 10 horas – Concentração de todos os romeiros no Largo da Sé
Às 10,30 – Missa na igreja da Sé rezada por um antigo aluno (Pe.Morgadinho) sufragando a alma de todos os antigos professores e alunos
Às 11,30 – Cumprimentos à cidade na Câmara Municipal.
Às 12,15 – Cumprimentos ao Liceu, no Liceu Novo.
Às 13 – Almoço de confraternização no Parque.
Às 16 – Visita ao antigo Liceu (edifício do Paço), cumprimentos à Escola Técnica ali instalada actualmente e assistência a uma aula dada por um antigo Professor.
Às 21,30 – Sarau e baile no Cine-Teatro Avenida.
.
Domingo, dia 6 de Maio
Visitas aos locais preferidos e passeios aos arredores.
Às 18 horas – Pôr do Sol no Jardim do Paço.
Às 21 – Marcha pelas ruas principais da cidade, confraternização com todos os albicastrenses e despedida.
***
Toda a correspondência deve ser dirigida a Albertino Vaz Álvares de Carvalho e Francisco Pires Marques, respectivamente, Secretário Geral e Tesoureiro.
.
1 de Abril
Tosse convulsa
Existindo alguns casos de Tosse Convulsa nesta cidade, torna-se público que a Delegação de Saúde se prontifica a vacinar quaisquer crianças contra esta enfermidade e sem encargos para os interessados.
.
1 de Abril
António Manuel da Silva
Regressou já a sua casa nesta cidade, vindo de uma casa de saúde do Porto, onde esteve internado durante alguns meses, o nosso prezado amigo Sr. António Manuel da Silva, Chefe da Circunscrição de Exploração dos CTT da nossa terra, que se fazia acompanhar de sua esposa , Srª D. Ascensão Morais da Silva e de sua irmã Srª D. Amélia da Silva
Ao que parece, aquele nosso amigo vem sentindo sensíveis melhoras, com o que muito nos congratulamos.
(O Sr. Silva dos Correios era o Senhorio da casa onde a nossa família viveu durante muitos anos, na rua das Constituintes nº24, hoje rua dos Peleteiros; a Srª D. Amélia era uma das professoras primárias conceituadas de Castelo Branco, nas décadas de 30/40)
.
8 de Abril
Casamento
Na 2ªfeira última, celebraram o seu casamento no Santuário de Nª Sª de Mércules, o sr. Tenente Alberto Morão da Costa Ferreira, filho do sr. Capitão Alberto da Costa Ferreira e da srª Felícia Morão da Costa Ferreira, com a licenciada em Farmácia, srªD .Emília Ferreira Pinto, filha de António Ferreira Pinto já falecido e da srªD. Hermínia de Oliveira Ferreira Pinto.
.
8 de Abril
Romagem de Saudade (na primeira página)
Continua a trabalhar-se com verdadeiro entusiasmo na recepção aos antigos alunos do Liceu de Castelo Branco e na organização do programa do qual, hoje, apenas publicamos uma amostra.
.
No dia 4 de Maio
À noite a cidade apresentar-se-á com aspecto festivo, estando iluminados com luz reflectida o Castelo, a Torre da Igreja de Santa Maria, a Torre do Relógio, o Passadiço do Jardim do Paço, a Torre da Misericórdia, o Cruzeiro de S.João, a casa de residência do Sr. Dr. Ulisses Pardal (antigo Palácio Ordaz), a Domus Minicipalis, o Arco do Bispo, as Capelas do Espírito Santo e da Srª da Piedade, os edifícios do Governo Civil, Câmara Municipal, Caixa Geral de Depósitos, Hotel de Turismo e Cine-Teatro Avenida.
Estas iluminações manter-se-ão nas noites de 5 e 6.
.
No dia 5 de Maio
Às 10 horas – Concentração no Largo da Sé
Às 10,15 horas – Missa na igreja da Sé por alma dos professores e alunos falecidos, sendo celebrante o Revº Pe. Joaquim Roque Morgadinho, antigo aluno do Liceu.
Às 11 horas – Cortejo do Largo da Sé até à Câmara Municipal, onde serão apresentados cumprimentos à cidade, na pessoa do Sr.Presidente e, seguidamente, visita ao edifício do Liceu onde, no átrio serão descerradas lápides comemorativas da primeira e segunda romagens.
Às 13 horas – Almoço de confraternização no Parque da cidade.
Às 17 horas – Visita ao Paço Episcopal onde funcionou o Liceu de Castelo Branco e onde um dos antigos professores dará uma lição
Às 21,45 horas – Sarau de gala no Cine-Teatro Avenida, seguido de baile
.
No dia 6 de Maio
De manhã – Visita dos antigos professores e alunos aos lugares das suas predilecções. Excursões à Serra da Estrela e da Gardunha, Barragem de Idanha, Monsanto e Termas de Monfortinho onde o antigo aluno do Liceu, Sr. Conde da Covilhã gentilmente oferecerá um almoço de camaradagem aos excursionistas
Às 18,30 horas – “Pôr do Sol” no Jardim do Paço, com uma vistosa iluminação, orquestra, cantares de Monsanto, recitativos e fados cantados por antigos alunos
Às 22 horas – Grande Marcha do S.João (do largo de...?!), através das ruas da cidade com bandas de música, archotes e balões a que se associa todo o povo da cidade e, finalmente, despedida junto à Câmara Municipal.

.
15 de Abril
Aniversário
Teve o mau gosto de fazer 70 anos e de passar à reforma o nosso prezado amigo Dr. Domingos Martins Romão que, durante mais de quarenta anos exerceu com inteligência, saber e devoção o cargo de notário, em Idanha a Nova, Fundão e, por fim, Castelo Branco.
.
15 de Abril
Pedido de Casamento
Pelo sr. António Venâncio Leão e sua esposa srªD. Maria do Céu Riscado Leão foi pedida para seu filho sr. José Venâncio Riscado Leão, estudante da Faculdade de Direito de Lisboa, a mão da srªD. Maria Amélia Castanheira Dias Rato

As minhas turmas... 6ºD - 1966/67

6ºAno - Turma D
em 1966/67
.
Fui professor desta Turma
em Ciências Naturais
Angela Maria Ganança de Freitas
Arminda Borginho Cecílio
Cecília Bravo Pinto Cruz
Cecília Maria Lopes Pereira
Dulce Encarnação Oliveira do Carmo
Ermelinda de Moura Pais
Fernanda Maria Mansinho Batista
Isabel Inácio Cordeiro
Lucrécia Mendes Cravinho


Mabel Maria Oliveira Mota
Maria Aida Costa e Silva
Maria Antonieta Nogueira Valido
Maria Bárbara Santos Silva
Maria Beatriz Resende Picoito
Maria da Conceição Pereira Areias
Maria da Conceição Rodrigues
Maria Helena Mira António
Maria Irene Batista Neto


Maria João Bravo Dias da Silva
Maria Julieta Rosa da Silva
Maria Leonor Ferreira Xavier
Maria Luisa Rala Acabado de Sousa
Maria de Lurdes Pires Cardoso
Maria Manuela Ferreira Martins
Maria Manuela Marinho de Carvalho
Natália Maria Guerreiro Viegas Barroso

Rosa Dulce Pires Estevens

Virgínia Jesus Rufino Buchinho
Vitória Soares Tomás
Elisabete da Costa Saraiva

29 maio 2008

Não resisto à tentação...

... de transcrever esta "mensagem" acabada de chegar, via e-mail!

Trata-se de uma "Carta ao Senhor Primeiro Ministro"...
Façam o favor de se divertir!

Exmo. Sr. 1º Ministro,
Vou alterar a minha condição de funcionário público, passando à qualidade de empresa em nome individual (como os taxistas) ou de uma firma do tipo "Jumentos & Consultores Associados Lda."; e em vez de vencimento passo a receber contra factura, emitida no fim de cada mês.
Ganha o ministro, ganho eu e o país que se lixe!

Vejamos:
Ganha o ministro das Finanças porque:
- Fica com um funcionário público a menos.
- Poupa no que teria que pagar a uma empresa externa para avaliar o meu desempenho profissional.
- Ganha um trabalhador mais produtivo porque a iniciativa privada é, por definição, mais produtiva que o funcionalismo público.
- Fica com menos um trabalhador, potencial grevista e reivindicador que por muito que trabalhe será sempre considerado um mandrião.
.
E ganho eu porque:
- Deixo de pagar na totalidade todos os impostos a que um funcionário público está obrigado, e bem diga-se, pois passo a considerar o salário mínimo para efeitos fiscais e de segurança social.
- Vou comprar fraldas, champôs, papel higiénico, fairy, skip e uma infinidade de outros produtos à Makro que me emite uma factura com a designação genérica de "artigos de limpeza", pelo que contam como custos para a empresa.
- Deixo de ter subsídio de almoço, mas todas as refeições passam a ser consideradas despesa da firma.
- Já posso arranjar uma residência em Espanha para comprar carro a metade do preço ou compro um BMW em leasing em nome da firma e lanço as facturas do combustível e de manutenção na contabilidade da empresa.
- Promovo a senhora das limpezas lá de casa a auxiliar de limpeza da firma.
- E, se no fim ainda tiver que pagar impostos, não pago, porque três anos
depois o Senhor Ministro adopta um perdão fiscal; nessa ocasião vou ao banco onde tinha depositada a quantia destinada a impostos, fico com os juros e dou o resto à DGCI.

Mas ainda ganho mais:
- Em vez de pagar contribuições para a CNP, faço aplicações financeiras e obtenho benefícios fiscais se é que ainda tenho IRS para pagar.
- Se tiver filhos na universidade eles terão isenção de propinas e direito à bolsa máxima (equivalente ao salário mínimo) e se morar longe da universidade ainda podem beneficiar de um subsídio adicional para alojamento; com essas quantias compro-lhes um carro que, tal como o outro, será adquirido em nome da firma assim como manutenções e combustiveis.
- Se sofrer um divórcio litigioso as prestações familiares que o tribunal me condenar já não serão deduzidas directamente na fonte e recebo o ordenado inteiro e só pago se me apetecer...!

Como se pode ver, só teria a ganhar e já podia dizer em público o nome da minha profissão sem parecer uma palavra obscena, afinal, em Portugal ter prejuízo é uma bênção de Deus!

Está visto que ser ultra liberal é o que realmente vale a pena, e porque é que os partidos que alternam no poder têm tantos votos...?

Romagem de Saudade 4

Dia 23 de Maio - às 11 horas.
Antes e depois da Missa na Sé Catedral

Antes da partida do Cortejo para a Sé, os "Bombos de Almaceda" ensaiavam no "pátio do Liceu". Um grupo de Meninos do Jardim Escola João de Deus , não perdeu a oportunidade de "apreciar" aquela... barulheira! Uma fotografia imperdível...

Eu também fui um "menino do Jardim Escola"...
. Próximo da Sé, o cortejo ia já um pouco disperso
Ainda assim são bem visíveis o casal Sérvulo Correia, com o Rui Versos e, mais à frente, o Manuel Correia Santos Luis

.

Reencontros ao fim de muitos… muitos anos!...
A Maria José Folgado Pereira e a irmã Maria Irene “fazem-se à fotografia” ao lado do Zé Galvão e o do Olímpio Matos. Estiveram sem se ver, o meu irmão e elas, desde a Queima das Fitas, no Porto, em 1958... a fazer agora 50 anos…

.

O Manuel Sena Boléo chegou atrasado mas também quiz ficar na foto...
Eu fiz-lhe a vontade...que ele bem o merece!
Não o via desde que comemorámos, no "It'is", os 20 Anos do nosso 7ºAno, em 1973

.

Foi à saída da Missa que as manas Zezinha e Maria Irene
"reencontraram" os manos Luís e Eduardo.

.
Depois, o cortejo voltou a formar-se para se dirigir à Câmara Municipal, onde se faria a Apresentação de cumprimentos ao Presidente do Município Albicastrense.

Foi o Romeiro Rui Versos quem se encarregou de tal acto.

E fê-lo com um êxito enorme como o comprovaram as duas ou três "ovações" que ouviu, de um Salão Nobre cheio à cunha, a transbordar para a sala contígua. Depois de apresentar os cumprimentos, em nome dos Romeiros, o Rui Versos elogiou o Presidente Joaquim Morão pela obra que tem feito na cidade e, em dada altura, "incitou" o Presidente Joaquim Morão a deitar abaixo o mamarracho imenso que, em "tempos revolucionários", foi implantado, na Deveza, ali ao pé, em terrenos que foram do quartel do Regimento de Cavalaria 8. A Sala ia desabando com os aplausos...

. Até o Presidente se riu...

Depois desta sessão, no Salão Nobre, realizou-se a habitual fotografia de conjunto.

Nota-se bastante bem a "redução" que a Romagem de Saudade sofreu este ano... Não creio que a "crise" tenha muito a ver com "isto"... Nem a chuva!...

Talvez tenha algum interesse ver estas fotografias parciais que se seguem
Talvez possamos identificar um ou outro Romeiro conhecido.

Na primeira fila, a D.Maria Amélia Afonso, da Farmácia Higiene, que fez o seu 7ºAno em 1935/36, e o Artur Valente ainda cheio de "speed".
Mais atrás, o casal António Figueiredo e, um pouco mais para a direita a irmã Maria Augusta que já naquele tempo era altarica...
Lá para trás ainda identificamos o Valdemar Rodrigues Lourenço, o Fernando Jacinto Ribeiro, o Chico Lardosa, a Maria das Neves e o irmão Manuel Costa Alves, o Armindo Belo Ramos de Almeida e o "filho do Sr.Tomás Mendes do Cinema" (desculpa mas não consegui lembrar o teu nome)

Em primeiro plano, o Presidente Joaquim Morão, a Maria Irene Crespo e o Zé Romana Galvão. No segundo plano, descortinamos o Antunes Valente e a esposa Nini Ricciardelli, uma "albicastrense" mais "romeira" que muitas colegas nossas de liceu, residentes na cidade..., a Maria Celeste Capelo, a Maria José Folgado Pereira e o António Figueiredo.
Lá mais para trás podem ver-se o Hermenegildo Dias, o Olímpio Matos e o Valdemar Rodrigues Lourenço entre outros antigos alunos do Liceu Nun'Álvares.


Com o Presidente em primeiro plano e aparentando uma boa disposição, vemos aqui mais umas quantas caras conhecidas, para lá das já mencionadas anteriormente:
O ex-Presidente Manuel da Silva Castelo Branco, do 7ºAno de 1944/45, o Dr. Morais Martins, o Mendes Jorge com o Antunes Valente, o filho do antigo Reitor Dr.Catana Diogo, o Tonho Muzca, para lá da Nini e da Celeste Capelo no centro deste grupo.

A Maria Onémia com o Mendes Jorge e o Antunes Valente com a Nini Ricciardelli
.
A manhã de 6ªfeira terminou aqui. Seguiu-se o almoço na Senhora de Mércules.
Trataremos dele num próximo "post"...

28 maio 2008

Romagem de Saudade 3

Dia 23 de Maio de 2008 - 6ªFeira
. . . . . . . às 10 horas
.
Boas-Vindas aos Romeiros no antigo Liceu
(hoje Museu Dr.Francisco Tavares Proença Júnior)
Orador: Olímpio Mendes de Matos
.
Couberam quase todos na escadaria...
.
O Eng.Olímpio Matos fez um bom trabalho de pesquisa.
.
O "velho" e estimado estandarte... com uma guarda de honra
muito respeitável
.
Ao fundo existiram as salas de aula dos primeiros anos... que foram destruidas.
.
Hoje é um dia de recordações
Voltamos aos locais de vivência do passado.
Voltamos a ser felizes como naqueles tempos.
Vemos de novo o edifício que, alindado, ainda resiste, e lembramos/imaginamos a fracção destruída, onde se situavam as salas de aula em que começámos as nossas vidas de alunos do ensino secundário. (destruição que foi crime de lesa património material e crime de lesa memória colectiva, este último bem mais grave do que o primeiro).
Mas mais do que tudo, vemos, beijamos e abraçamos antigas companheiras e companheiros daqueles tempos memoráveis, no próprio cenário em que se desenrolou parte tão importante das nossas vidas de meninos.
Momentos sem medida, momentos sem par, momentos que a muitos de nós servirão de principal incentivo para encarar os 3 anos que vamos viver até ao próximo encontro.
Vamos, pois, recordar e reviver o passado comum
…”

Alguns Romeiros dos "Anos 30"... Na última fila, alguns outros bastante mais novos.


Chegou a vez de o Sr.José Banhudo ser o Porta-Estandarte.
Por tradição é sempre o mais antigo...
Atrás identificamos o Manuel Sena Boléo e o Luís Marçal Grilo,
ambos da minha turma, no 7ºAno de 1952/53. Já lá vão 55 anos!!...

Beira Baixa - Notícias de 1956 Março

3 de Março
A Câmara Municipal de Castelo Branco, na reunião de 29 de Fevereiro de 1956, tratou dos seguintes casos, entre outros:
1º -- Promover, precedendo concurso, a Aspirante da Secretaria, o escriturário sr. Adrião Nunes de Miranda
2º -- Exonerar a seu pedido por ter sido nomeado para outro cargo, o escriturário de 2ªClasse, sr. António Lopes da Silveira e atesta que exerceu as suas funções com a maior competência, zelo e assiduidade.
.
3 de Março
Dr.José Lopes Dias
Acaba de publicar o livro "Estudantes da Universidade de Coimbra naturais de Castelo Branco"
Fornece assim lúcida indicação de texto, que patenteia extensa galeria de escol, com cerca de meio milhar de teólogos, canonistas, matemáticos, legistas e médicos, segundo os registos universitários regulares de matrículas, dos actos e dos graus , com início em 1573 e fim em 1910.
.
11 de Março
A Câmara Municipal de Castelo Branco autorizou, na sua reunião de 7 de Março de 1956, a utilização, sem prejuízo do trânsito, de uma faixa de terreno junto do café Avis para ser ocupada com mesas e cadeiras até Novembro do corrente ano.
.
11 de Março
Na Casa de Saúde de S. João de Deus, foi na 4ªfeira operado de urgência, com o maior êxito, pelo cirurgião Dr. Castro Ferreira, assistido pelo Dr. Tavares Carriço, a ExªSrªD.Maria Regina Vaz de Carvalho, filha do nosso amigo sr. Albertino Vaz de Carvalho.
.
18 de Março
Bombeiros Voluntários de Castelo Branco
Foram eleitos os Corpos Sociais
Assembleia-Geral
Presidente: Dr. Alexandre de Almeida Garrett
1ºSecretário: Dr. João Lobato Carriço Goulão
2ºSecretário: Possidónio José Marçal Grilo
Direcção
Presidente: Dr. Ulisses Vaz Pardal
Vice-Presidente: José Sanches Júnior
1ºSecretário: Manuel Afonso R. Salavisa
2ºSecretário: Carlos Manuel Ferreira de Carvalho
Tesoureiro: Antero Ramos Tomaz
Conselho Fiscal
1ºMembro: Domingos dos Santos Pio
2ºMembro: A designar pela Câmara Municipal (Artº44 do Estatuto)
.Relator: João Carlos M. M. Mendanha
.
18 de Março
Na Prova de Arranque dos "100 à hora", ganhou o 2º Prémio, do 2º Grupo, o sr. José Beja e Sousa.
.
18 de Março
Falecimento
Na sua casa do Lumiar, faleceu a srª D.Maria do Carmo Ferreira da Silva Carmona, viúva do Marechal Carmona

27 maio 2008

Romagem de Saudade... 2

5ªfeira - 22 de Maio

O dia da chegada a Castelo Branco.

Fiz a viagem de Setúbal até Castelo Branco sempre debaixo de chuva!!!...
Mais forte ou mais branda… mas sempre a cair!...
Cheguei já depois da hora do almoço, instalei-me no hotel e fui para a zona das “Docas Secas”… hoje, por sinal bem molhadas!
Li um pouco, enganei a fome e passei o tempo… Os telefonemas foram chegando. Soube que o Rui Versos já tinha chegado e estava no Kalifa… na esplanada do Kalifa… um pouco resguardada da chuva pelas árvores densas que a cobrem... Mas tal como Rabindranath Tagore também nós sabemos que “chove duas vezes na floresta”!
Foi ali que nos encontrámos e fomos aguardando os amigos que a cada passo nos ligavam para dizer que já vinham perto.
Não nos aguentámos ali por muito tempo. Quando o Luis Grilo e o Zé Galvão chegaram estávamos nós a ver chover… dentro do “bólide” do Versos. Depois chegaram a Maria Amélia mais o pai, o Sr. Rascão e os seus 102 anos. O meu irmão também ali foi ter e ainda o Eduardo ali "poisou" pouco depois.
O tempo não deixou que fizéssemos qualquer passeata pela cidade da nossa juventude e resolvemos ir recordar "histórias do nosso tempo”, na sala de jantar do Restaurante Kalifa.
Seguiu-se um lanche ajantarado que precedeu o… jantar!

Foi no "Zé dos cachopos" que abancámos para o jantar. Ficava ali a dois passos do local onde iria decorrer a "Serenata sem luar"...

A "ala esquerda" da mesa:
Rui Versos, José Galvão, Júlio Galvão e Olímpio Matos


O Rui Versos e o Zé Galvão


O Arq. Luís Marçal Grilo
.
e o "mano caçula"


Prof.Eduardo Marçal Grilo


Rui Versos


O Eng. Olímpio Mendes de Matos


Esperando que fosse servido o jantar...



O Júlio Romana Galvão que veio de Braga
e a quem eu já não via há mais de 40 anos.

O José João Romana Galvão
que nunca perdi de vista...

e...

a "ala direita" da mesa:
Eduardo e Luís Marçal Grilo, Maria Améla com o pai Sr.Rascão
e onde se sentou também o "fotógrafo de serviço"...


Cento e dois anos aqui à esquerda!
Quem é que lhos dá??!!...
Vamos lá, Sr.Rascão... ensine à gente como se chega assim a essa bonita idade!
.
Decorreu com uma animação, que foi crescendo à medida que as recordações de outros tempos iam surgindo, este jantar que iniciámos cedo por termos de estar presentes na "Serenata" que se iria realizar ali bem perto... Já tinha sido decidida a mudança de local por imposição de uma meteorologia que não colaborou.

Mas porém a que cuidados?

Luís Vaz de Camões

"Camões e as Ninfas"
pintado por Columano Bordalo Pinheiro
no Museu Militar de Lisboa

.
A D. Francisca de Aragão, que lhe mandou glosar este verso:
. . . . . . . . "Mas porém a que cuidados?"

Primeira glosa

Tanto maiores tormentos
Foram sempre os que sofri,
Daquilo que cabe em mi,
Que não sei que pensamentos
São os pêra que nasci.
Quando vejo este meu peito
A perigos arriscados
Inclinado, bem suspeito
Que a cuidados sou sujeito.
Mas porém a que cuidados?
.
Segunda glosa

Que vindes em mim buscar,
Cuidados, pois sou cativo?
Eu não tenho que vos dar.
Se vindes a me matar.
Já há muito que não vivo,
Se vindes porque me dais
Tormentos desesperados,
Eu, que sempre sofri mais,
Não digo que não venhais.
Mas porém a quê, cuidados?
.
Terceira glosa

Se as penas que Amor me deu
Vêm por tão suaves meios,
Não há que temer receios,
Que vale um cuidado meu
Por mil descansos alheios.
Ter nuns olhos tão fermosos
Os sentidos enlevados,
Bem sei que em baixos estados
São cuidados perigosos.
Mas porém, oh! que cuidados!

26 maio 2008

Romagem de Saudade

Terminaram já na madrugada de domingo dia 25 de Maio
os festejos da reunião dos Antigos alunos de Castelo Branco
que constituiram a
XVII Romagem de Saudade

Capa do "dossier" da Romagem

Romagem de Saudade de 2008
23 de Maio
Esta "fotografia de conjunto" foi obtida em 23 de Maio, após a "Apresentação de cumprimentos ao Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco"
que teve a gentileza de integrar o grupo de Romeiros, nesta foto.

O dossier mostrava no seu interior uma fotografia "recordando uma Romagem do Antigamente"... Nem é assim tão antiga como isso. Trata-se dos Romeiros de 1988!
Vinta anos apenas que dão, no entanto, para fazer comparações...

Romagem de Saudade de 1988
3 de Junho

Esta fotografia foi tirado na mesma altura da anterior.
Ocupa o "lugar de honra" o Bispo de Angra D.Aurélio Granada Escudeiro que, para todos nós, continuará a ser o "Senhor Padre Aurélio",
professor de Moral do nosso 7ºAno, em 1952/53.

O Senhor Padre Aurélio enquadrado pelos ex-alunos jjmatos e Maria Amélia na Romagem de 1988

Há, na verdade, uma diferença abissal no número de participantes nas duas Romagens...
Não sei se teria sido uma boa ideia terem publicado agora aquela fotografia... pois ela parece provar um desinteresse crescente desde que alguém teve a ideia de transformar a Associação dos Antigos Alunos do Liceu de Castelo Branco em Associação dos Antigos Estudantes de Castelo Branco...
.
No primeiro dia das festividades realizou-se a tradicional Serenata que deveria ter-se realizado como sempre nas escadarias da Domus Municipalis, na Praça Velha...
Este ano, S.Pedro não alinhou connosco... apesar dos esforços e das "cunhas" do Dr.Manuel Costa Alves! Nem este nosso colega de há muito, um "manda-chuva" de profissão, conseguiu demover o "homem das Chaves"... E a chuva caíu toda a noite, copiosa e sem remédio!
Teve, a Organização, de lançar mão do "Plano 2" e deslocar o "palco" da Serenata para o novo edifício da Biblioteca Municipal. Na verdade, a Serenata esteve, desde
sempre, ligada às "coisas da Cultura"... sempre junto da Biblioteca!
.
Foi o Grupo "Guitarra e canto de Coimbra" que, mais uma vez desempenhou o papel de arranque dos festejos.
Depois de um jantar, repartido pelos Romeiros em vários dos restaurantes albicastrenses, fez-se a concentração, e o primeiro encontro, no novo edifício da Biblioteca, com acesso pela antiga "porta de armas" do antigo Quartel do Regimento de Cavalaria 8.

E o espectáculo foi surpreendente! Para melhor...
Talvez porque as vozes, ao ar livre, perdem qualidade... talvez porque em sala fechada os ouvinte não falam tanto dos tempos que já lá vão, ao mesmo tempo que se canta... talvez ainda porque a captação de som é mais eficaz...

Fiquei de tal modo impressionado que cheguei a perguntar ao Sebastião se se tratava de uma nova equipa diferente daquela que aqui trouxe há três anos! Mas, não... não era... Era a mesma que cá tem vindo nas últimas Romagens!


O Grupo de Santarém, momentos antes do início do espectáculo.
Afinam-se as vozes, afinam-se as violas e guitarras...

Da esquerda para a direita:
Na 1ª fila - Arq. Elias Rodrigues (viola), Dr. João luís Madeira Lopes (guitarra), Dr. Fernando Martinho (guitarra) e José Mota (viola);

Na 2ªfila – Eng. Luís Malha Valente, o “eterno estudante” João Moreira, Juiz Dr. Raul Melo Santos, Dr. Sebastião Louro, Eng. Octávio Feio e Dr. Vitor Casimiro.

Mesmo com a garganta afectada, o Sebastião Louro é sempre o Sebastião!
E, desta vez, ninguém gritou:"Força Çabastião! És o Maior..." Não por causa da rouquidão que lhe atingiu as cordas vocais... mas por respeito àquela "casa de cultura"!

Foi muito boa a actuação de todos os executantes e também a do Dr.Malha Valente