31 julho 2008

Parabéns ao Liceu de Nun' Álvares...

Parabéns, Diana!...
Nós é que estamos gratos...

Diana

Recebi esta manhã um e-mail da Diana que mais uma vez me encheu de vaidade...
Dizia assim:
.
"Obrigada pelo apoio.
Já regressei do Vietname (ontem) onde conquistei uma menção honrosa.
Posso também acrescentar que é uma honra poder representar a minha escola, a minha cidade e o meu país numas olimpíadas internacionais.
E espero que mais pessoas do Liceu se interessem por ciência e tentem participar em iniciativas do género.
Agradeço mais uma vez,
Diana Amaro"

E vai para o outro mundo...

Bocage e Pina Manique

Bocage
.
"Os amigos pagavam-lhe os cigarros e a genebra para o excitarem e ouvirem.Neste tempo, Bocage sentia-se filho da simpatia pública; a sua honradez inquebrantável os deveres fraternais que antepunha a tudo, os quadros dos seus desastres, que narrava do modo mais pitoresco, o improviso instantâneo para aproveitar uma rima feliz no meio da conversa, tudo o tornava querido. Era um homem para quem se falava, como se fosse um amigo velho embora fosse a primeira vez que passassem um pelo outro. O botequim que lhe merecia as suas visitas nocturnas ficava acreditado, tinha uma lenda, era concorrido. Logo depois que saiu da prisão claustral, Bocage frequentava especialmente o Botequim do Nicola. Infelizmente, por causa dos sucessos das guerras napoleónicas, Manique mandou espiar as conversas do botequim:
.
"Constando nesta Intendência, que numa casa de café, denominada do Nicola, no Rossio desta capital, se ajuntavam diferentes indivíduos, que levados do ócio ali se demoravam só com o fim de entreter conversações e suscitarem assuntos menos próprios, essencialmente na presente conjuntura, que uma bem regulada Polícia não deve tolerar, ordenei ao meu comissário e ministro daquele Bairro, vigiasse com particularidade as pessoas que frequentam a referida casa, e nela não consentisse se demorassem mais o que o tempo preciso, para tomarem os seus refrescos, aliás procedendo contra os transgressores e como entre aqueles indivíduos há alguns que são soldados dos regimentos Auxiliares, que se acham debaixo do comando de V.Exª, vou a prevenir do referido a V.Exª e lhe rogo queira dar-lhe o peso que as suas dilatadas luzes conhecem, e dar-lhe as providências que a este fim julgar oportunas, para que ali se não demorem mais do que o tempo de se refazerem e tomarem os seus refrescos."
("Papéis de Intendência - Contas para as Secretarias, livro VI, a fls 74."

Depois deste documento é que se compreende a bem conhecida anedota de Bocage quando, ao recolher-se para casa, a ronda do bairro o interrogou pondo-lhe a pistola ao peito:
.
"Quem é? de onde vem? para onde vai?" Ao que ele respondeu serenamente:
.
"É o poeta Bocage
Vem de casa do Nicola
E vai para o outro mundo
Se lhe dispara a pistola
."
.
Cfr. “Obras de Bocage”Lello & Irmão - Editores
Maio, 1968
.
"Bocage - Sua vida e época literária"
"Estudo biográfico e literário sobre o poeta",
por Teófilo Braga

30 julho 2008

Setubalense - 1956 - Fevereiro

01-02-1956
Nascimento
O lar do Sr. Eng.Humberto Sant'Ana Ferreira da Cunha e de sua esposa Srª. D.Maria Manuela Torres Ferreira da Cunha está de parabéns pelo nascimento, na 2ªfeira, de mais uma menina .

.
04-02-1956
Regressou da sua viagem de instrução do oriente, a bordo do "Bartolomeu Dias", o guarda marinha Sr. António Carlos Fuzeta da Ponte.
.

04-02-1956
Crónica de Cinema, assinada por Rui Costa Ferreira.
Os cinco melhores filmes apresentados em Portugal no ano findo, segundo um inquérito promovido pelo Diário de Lisboa:
1º. "A Estrada", de Fellini 45% dos votos
2º. "Belíssima", de Visconti 40% dos votos
3º. "Sementes de Violência", de R.Brocks 40% dos votos
4º. "A Morte de um Ciclista", de Barden 28% dos votos
5º. "Há lodo no Cais", de Elia Kazan 26% dos votos.
.
13-02-1956
Clube de Campismo
Novos Corpos Gerentes
Assembleia Geral
Presidente - Eduardo Gouveia Amaral
Direcção
Presidente - Álvaro Machado Semião
Vice Presidente - Arlindo Pereira
Secretário - Jorge Moreira Raposo
Conselho Fiscal
Presidente - João Seabra da Silva
.
15-02-1956
Falecimento
Adriano Teixeira de Morais
Faleceu esta madrugada, o Sr. Adriano Gonçalves de Morais, de 66 anos, agente da Citroen. Era natural da Fuzeta. Foi presidente da antiga Associação Comercial e Industrial desta cidade e vogal secretário da Junta Autónoma do Porto de Setúbal. Foi também o 1ºPresidente da Assembleia de Futebol de Setúbal. Era pai dos srs. João Adriano Teixeira de Morais e Carlos Adriano Teixeira de Morais e padrasto do Sr. Manuel Teixeira de Malheiros.
.

18-02-1956
O Comissário da PSP, Sr. Lopes da Neta foi colocado em Lisboa
.

25-02-1956
Câmara Municipal de Setúbal

Biblioteca
Com a aquisição de livros, revistas, manuscritos e outras publicações gastaram-se, em 1955, Esc.23.489,00
.

27-02-1956
Foi hoje submetido a uma operação a um dos olhos, o distinto médico Sr.Dr.José Paulo Pereira Machado.
.

27-02-1956
Cine Clube
Está a tomar grande incremento a organização do Cine Clube que conta já com cerca de 200 associados. A sessão inaugural será no próximo mês de Março, no Grande Salão de Recreio do Povo.

29 julho 2008

As minhas turmas... 6ºC - 1969/70

6ºAno - Turma C
em 1969/70
.
Fui professor desta Turma
em Ciências Naturais
(Até 8 de Abril de 1970)

Ana Maria de Sousa Marujo
Aníbal Vicente Gonçalves Caldelas
Antonino Miranda da Cruz
António Cândido Vinhas de Sousa
António Fernando Cintra do Vale
Carlos Jorge da Silva Luz
Carlos Manuel de Freitas Tavares
Dinis das Dores Baltazar
Fernanda Maria Guerreiro Viegas Barroso

João Manuel Rolão Garrochinho
Gabriela Baptista de Vasconcelos Barbosa Vicente
João Manuel Serra Brás
Jorge Manuel Sousa da Luz
Luis Filipe Pedrosa da Silva Ferreira
Luisa Maria Baltazar Rodrigues Coelho
Manuel Freitas de Lucena Ferreira
Manuel Virgílio Gonçalves Guerreiro Murta
Maria Antónia Rebeta Ramos

Maria Cristina Bigodes Madrugo
Maria Isabel Severino de Sousa
Maria Manuela Viegas Rodrigues
Maria Natália Rocha Rodrigues
Maria Odília Macedo S. Catalão
Maria Stuart Abreu Matias Angelo
Mário António da Silva Ramos
Ondina Maria Guerreiro Conceição
Victória da Conceição Vitorino Miranda

Também foram alunos desta turma
António José Fernandes Tavares
António José Bonifácio Lopes

28 julho 2008

A anedota do dia...

"O PS não recebe lições de combate à corrupção, do engenheiro João Cravinho."
Alberto Martins.
.
Hoje, no "Público"
28.07.2008
.
Ah!... Ah!... Ah!...

As minhas fotos preferidas...

Maria Alcinda da Veiga Lima

Foto obtida em 06 Setembro 1968

27 julho 2008

Uma bela turma do nosso Liceu...

No ano lectivo de 1937/1938 era Reitor do Liceu o Dr. Manuel Gamito.
.
No último ano do Curso liceal, o 6ºAno, havia duas turmas, uma das quais ficou ligada à História do Liceu por aquilo que vieram a ser muitos dos seus brilhantes alunos.
.
A Turma A, deste 6ºAno, teve como Presidente o Dr.Álvaro Sequeira Ribeiro e como Secretário, o Dr. Pina de Almeida que teriam, actualmente, os títulos de Director e Secretário de Turma.
.
A constituição dessa turma de finalistas do Liceu de Setúbal, em 1 de Outubro de 1937, era a seguinte:

.
Alberto Gonçalves Mendes
António Alves Pereira Salgado
Armando Humberto de Oliveira Jr.
Artur Lopes Sequeira
Carlos Adriano Teixeira de Morais
Emília Augusta Marques Ramos Reynaud
João Maria da Silva Duarte
Joaquim Nunes da Silva
José Francisco Duarte Ferreira
José Manuel Serrenho Pereira
José Mendes de Vasconcelos
José Vaz Pereira
Júlio Maurício Douradinho Lopes
Maria Amélia Jesus Palhão e Pinto
Maria Fernanda Alves Russo dos Reis
Maria Manuela Vieira de Abreu
Maria Helena Maia
Maria Helena Pronto
Maria Helena Ramos Esteves
Maria de Lurdes Malhador Tenório
Olímpio José Mosca Ovelha

Ricardo Jorge Correia da Fonseca
Rogério Noel Peres Claro
Sidónio Pereira Rito
Sílvia Desdémona de Barros Brito

.
O professor Alberto Gonçalves que leccionou em Setúbal, o bancário Carlos Adriano de Morais que faleceu em Beja, o Dr.João Maria Silva Duarte (média de 14 valores) médico que exerceu uma vida inteira em Setúbal, Olímpio Mosca Ovelha que ainda há pouco tempo vi quando acompanhou a última viagem do comum Amigo José Arôcha, o Dr.Ricardo Jorge Correia da Fonseca que foi funcionário superior da Misericórdia de Lisboa e a quem tive o prazer de oferecer a fotografia de um quadro (feita por mim, claro!), que existia na Câmara de Setúbal, que mostra, na Praça de Bocage, a casa onde ele nasceu. Este quadro tinha a particularidade, por certo um lapso do autor, que se esqueceu de pintar a sombra de uma das árvores ali existente, ao contrário das sombras de todas as outras árvores que o autor ali desenhou... O Dr.Rogério Peres Claro (13 valores) que foi Director da Escola Técnica e Deputado da Nação. Um político muito experimentado...

Calhou deixar para último, apenas porque o seu nome o colocou no final da pauta da turma, um dos maiores advogados portugueses de todos os tempos. o Dr. Sidónio Rito que era natural de Santiago do Cacém. Uma vida brilhante!! Brilhante em tudo, a começar pela excelente classificação que teve no final do ano. Uma média de 17 valores... que, "feita a conversão" para os tempos actuais...equivaleria certamente a um 37!!!....(numa escala de 0 a 20...). Teve um 17 em Físico-Químicas e um 19 em Português-Latim. E apesar disso matriculou-se em Direito! E deu no que deu...

Tinha um espírito cheio de humor.

Talvez por herança, o Dr.Sidónio Rito também se dedicava à exploração de porcos que vendia a várias empresas do sector. Uma das poucas vezes que o vi por perto foi exactamente na Quinta do Anjo, nas instalações da antiga Casa Frescata. Contava-se então que, posto em contacto com uma qualquer entidade ligada ao sector, se apresentou como "Sidónio Rito, Advogado"... Surpreendido pelo desconhecimento que o interlocutor mostrava no outro lado do telefone, o antigo aluno do nosso Liceu não se ralou muito... mas logo sugeriu a quem com ele falava que dissesse ao patrão que quem estava ao telefone era o "Sidónio dos porcos"! Parece que as "coisas" se resolveram depressa...

26 julho 2008

Paraísos prostituídos

"Em muitos e muitos casos a razão pela qual o litoral alentejano e o barlavento algarvio foram saqueados, sem pudor nem vergonha, tem apenas um nome: corrupção ."

Miguel de Sousa Tavares apresenta, na sua coluna do "Expresso" de hoje, um artigo de opinião sobre os atentados ambientais que se têm vindo a cometer na Costa Vicentina e no litoral algarvio. Intitulou-o de
"Paraisos prostituídos"

Paraísos...

Deixamos aqui uns breves apontamentos do texto que escreveu:
.
"(...) Porque esse Sul que chegava a parecer irreal de tão belo, esse litoral alentejano e algarvio, não é hoje mais do que uma paisagem vergonhosamente prostituída. Sim, sim, eu sei: o desenvolvimento, o turismo, a balança comercial, os legítimos anseios das populações locais, essa extraordinária conquista de Abril que é o poder local. Eu sei, escusam de me dizer outra vez, porque eu já conheço de cor todas as razões e justificações. Não impede: prostituíram tudo, sacrificaram tudo ao dinheiro, à ganância e à construção civil. E não era preciso tanto nem tão horrível.

Podiam, de facto, ter escolhido ter menos turistas em vez de quererem albergar todos os selvagens da Europa, que nem sequer justificam em receitas os danos que em seu nome foram causados. Podiam ter construído com regras e planeamento e um mínimo de bom gosto. Podiam ter percebido que a qualidade de vida e a beleza daquelas terras garantiam trezentos anos de prosperidade, em vez de trinta de lucros a qualquer preço. .
E todos os anos, por esta altura, percorrendo estas terras que guardo na memória como a mais incurável das feridas, faço-me a mesma pergunta: Porquê? Porquê tanta devastação, tanto horror, tanta construção, tanta estupidez?
(…)

...incompetência e mau gosto...

Não, não é apenas incompetência, nem mau gosto levado ao extremo, nem simples estupidez. Em muitos e muitos casos a razão pela qual o litoral alentejano e o barlavento algarvio foram saqueados sem pudor nem vergonha, tem apenas um nome: corrupção. Acuso essa exaltante conquista de Abril, que é o poder local, de ter destruído, por ganância dos seus eleitos, todo ou quase todo o litoral português.

Cfr.MSTavares
"Expresso"
26.07.2008

Nota: as fotos não fazem parte do artigo.

As "garotas" de Bernard Augesert

Humor antigo
pela "pena" de
Bernard Augesert
in "Anedota Ilustrada" nº19
Março - Abril/1962

- Tu não aparecias e eu tinha resolvido matar-me.
Porém depois reflecti melhor e... aqui estou!

24 julho 2008

Quem morava em Castelo Branco…

Na década de 40 quem morava na rua Bartolomeu da Costa e no Largo de S.João?...
.
Foi difícil a recolha de dados sobre esta rua de Castelo Branco já que alguns dos números de polícia se sobrepõem aos do Largo de S.João… Ou seja, alguns edifícios ora “estão” na rua Bartolomeu da Costa, ora pertencem ao largo de S.João.
.
As fotografias que obtive nesta área da cidade não vão suscitar dúvidas quanto à localização das famílias que ali moraram há mais de 60 anos.
.

Foi aqui viveu o Dr. Pinto Castelo Branco. Nota-se bem a lápide medieval.

No nº 61 – É neste número que tem início a rua Bartolomeu da Costa que se estende para norte até à entrada da antiga “Estrada da Mina”, logo a seguir ao Antigo Liceu (hoje Museu Tavares Proença Júnior).
Morava ali, no 1ºandar, com os pais e os irmãos o meu colega de Jardim-Escola, João Maria Pinto Castelo Branco.
A casa do Dr.Pinto Castelo Branco apresenta-se bastante mais degradada do que então, apesar de ostentar na fachada uma lápide em granito com um texto em português medievo com algum interesse histórico para a cidade.

Lápide existente na parede do edifício

Em 1945, quando entrei no Liceu, era Comandante de Bandeira da Mocidade Portuguesa, o filho mais velho de Dr. Pinto Castelo Branco, José da Fonseca Pinto Castelo Branco.

José da Fonseca Pinto Castelo Branco

Estive imenso tempo sem ver o irmão mais novo, o João Maria. Fui encontrá-lo em 1978 na Fábrica Campil do Rui Versos, próximo da Azambuja, numa sardinhada de boa memória, onde este presente o então Presidente da República António Ramalho Eanes.

O João Maria é o segundo a partir da esquerda, ao lado do Rui Versos para quem trabalhava naquela época, no escritório da Fábrica Campil.
.

Um pouco mais à frente (a norte), em duas casa que pareciam geminadas, viviam o Velho Capitão Caio, avô do Jaime Caio de Melo Cardoso que também andou no Jardim-Escola (e que, na década de 70, veio viver para Setúbal tendo falecido relativamente “jovem”) e a família Gonçalves Ribeiro cuja segunda geração, tanto quando sei, se encontra ainda em boa forma!

Mesmo à esquerda do cruzeiro podem ver-se as duas casas mencionadas. Nas varandas verdes vivia o Capitão Caio e à direita a família Gonçalves Ribeiro.

.No nº73 - 2º e 3º. morou o sr. Capitão Caio que eu ainda conheci já com muita idade. Vivia ali com o neto Jaime Caio, que era um ou dois anos mais novo do que eu, e chegou a frequentar o jardim Escola João de Deus. Muitos anos decorreram até voltar a vê-lo quando se instalou em Setúbal por motivos de trabalho numa fábrica da Mitrena.

O Jaime Caio em 23 de Maio de 1981
num almoço de Antigos Alunos, realizado na Granja. no Carregado.

. No nº 79, 2º e 3ºandares, viveu a família do Sr.José de Oliveira Ribeiro e da D.Maria Nazaré Gonçalves Martins Ribeiro com uma prole que, na altura, já tinha quatro elementos: a Maria do Carmo e o António (Toni) Ribeiro, os mais velhos, e o João Filipe e a Maria Isabel (Bébé). Creio que ainda houve um mais um casal... Seis irmãos!

No bloco à direita, com a porta da varanda aberta, o segundo andar da casa da família Gonçalves Ribeiro

A Maria do Carmo, no Livro de Despedida do 7ºAno (1949/50)

.

O Toni Ribeiro, peço desculpa, o sr.General Gonçalves Ribeiro
que foi o "Pai" dos Retornados, a partir de 1977, logo após a independência das Colónias, tal como nos é apreentado no Livro de Despedida do 7ºAno de 1949/50

Vale a pena mencionar uma notícia que encontrei com a data de 31 de Julho de 1954:

"Justo Prémio
O sr. António Gonçalves Ribeiro, filho da SrªD. Maria da Nazaré Gonçalves Martins de Oliveira Ribeiro e do sr. José de Oliveira Ribeiro, terminou o seu Curso na Escola de Guerra com alta classificação. A convite da mesma Escola deve seguir muito em breve para o Brasil em viagem de recreio, como prémio, passar os meses de Agosto e Setembro
."

A Maria do Carmo Ribeiro com a Vanda e a Maria Alexandrina, na
Capinha, em 09.06.1985, numa Romagem de Saudade.
.
Na mesma reunião na Capinha, da esquerda para a direita, o Toni Gonçalves Ribeiro, a Maria do Carmo, o jjmatos, a Benilde, a Maria Alexandrina, a Maria Amélia, a mulher do João Filipe Ribeiro, a Vanda e a Bébé Gonçalves Ribeiro.

O João Filipe Gonçalves Ribeiro e a esposa, numa foto de Junho de 1986

Uma foto que nos mostra a Maria Isabel (Bébé) e o marido, o Pinto Elvas, o meu irmão Olímpio, o João Filipe e a cunhada Tarucas Paiva Morão Gonçalves Ribeiro

.... e para terminar a série da família Gonçalves Ribeiro, a Maria do Carmo "bombeira... ou "bombista"? Pronto!... aquela que toca o bombo!...
Romagem de Saudade, em 03.Junho.1988

. No nº81 - r/c, estava instalado o Sr.Ceia, fotógrafo. O homem que me ajudou nestas coisas da fotografia e que tinha a "gentileza" de me fazer uns preços especiais quando eu lá aparecia com "rolos para revelar", com fotografias... a grupos grandes! Havia sempre mais cópias para reproduzir... mais lucros a "embolsar"... claro!
.

É curioso mostrar um anúncio da "Fotografia Ceia" que descobri num dos jornais de Castelo Branco, em Dezembro de 1954.

Anúncio em 4 de Dezembro de 1954

A "casa fotográfica" do senhor Ceia... já não existe! É "isto" que lá está agora. (Ao lado a antiga barbearia, no nº 13 r/c que já faz parte do "Largo de S.João")

.

Uma boa fotografia do Cruzeiro do S.João
.
As obras que decorrem actualmente no Largo dificultam o trabalho do fotógrafo...

No Largo de S.João, nº27 - r/c e 1ºandar vivia a família do Sr.Possidónio Grilo

Este alpendre cobre a porta principal da residência da Família Possidónio Grilo
de que já desapareceu toda a primeira e segunda gerações.

O Sr.Possidónio Grilo com o irmão José à porta do estabelecimento
que tinham em frente aos Cafés.
.
Possidónio Grilo, à esquerda, com dois amigos,
na segunda Romagem de Saudade. em 1956
(à direita, o Eng.Cavalheiro)

Manuel António Barbosa Marçal Grilo (o Ica) no Livro de Curso de 1950 era um dos filhos do Sr.Possidónio Grilo

.

O passadiço do Jardim do Paço
À esquerda. na casa que se vê atrás dos carros, viveu durante muito tempo o Sr.Florindo, velho jardineiro que trabalhava no Jardim do Paço. Hoje aquela casa parece estar abandonada depois de ali ter sido inaugurado o Museu Académico, durante a Romagem de 1979. Que é feito das peças deste Museu?!

.

A residência do Dr.Alexandre de Almeida Garrett e da D.Maria Piedade de Lencastre tinha o nº17 e estendia-se pelos três pisos.

Num apontamento vindo a público em 9 de Dezembro 1950 podia ler-se:
"No sábado passado (2 de Dezembro) festejaram as suas bodas de prata matrimonias, os Exmos.Srs. Dr.Alexandre de Proença de Almeida Garrett e D.Maria de Lencastre de Almeida Garrett, figuras distintas da nossa melhor Sociedade cuja vida constitui destacado exemplo de virtudes cristãs."

O Dr.Alexandre de Almeida Garrett desempenhou por vários períodos os cargos de Presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros Voluntários, de Presidente do Conselho Geral do Grémio da Lavoura e outros mais. Foi também um exímio criador de Pombos Correios tendo concorrido a vários concursos de Columbófilia. Rezam as crónicas que, em 9 de Junho de 1957, se classificou em 2ºlugar no Concurso de Barcelos, com 767,833 m/m (metros por minuto) logo atrás do Zé Amaral com 764,500 m/m

Numa ala do edifício, mais próximo do Jardim, no nº14 - 1ºandar, vivia o motorista da Casa Garrett, sr. João Vilela com a esposa D.Delfina Madeira Vilela e as filhas Maria Teresa, Maria de Lourdes e o filho mais novo João Caetano.
Em 10 de Março de 1951, um jornal da cidade dava a triste notícia do falecimento da Maria de Lourdes:
"Vítima de doença que não perdoa e de que há muito vinha sofrendo, faleceu nesta cidade no dia 2 do corrente, a menina Maria de Lourdes Madeira Vilela, filha da srª.D.Delfina Madeira Vilela e do sr.João Vilela, motorista do ExºSr.Dr.Alexandre Garrett.
Muito nova ainda, pois contava apenas 15 anos de idade, não resistiu à doença apesar de todos os esforços empregados pela Ciência e dos cuidados e carinhos prodigalizados por seus pais e mais família
."

Era nossa colega no Liceu de Castelo Branco.
.
A irmã mais velha, Maria Teresa Vilela, frequentou também o Liceu. Numa foto da sua turma, em 1948, ela aparece com quase totas as suas colegas.

A Teresa Vilela é a primeira à direita, no primeiro plano. Com ela encontramos aqui muitas caras conhecidas. A Maria do Carmo Severino Beirão, ao seu lado, a Maria José Castanheira, , a Maria José Salavessa, a Esmeralda Niza Vaz, a Maria de São José, a Maria Alexandrina Pereira, a Maria Estela Monteiro, a Manuela dos Santos Monteiro, a Manuela Dias Catana, a Maria Gabriela Ribeiro do Rosário e a Maria Helena "Bijoux"
.

Uns "anitos" mais tarde (57...), a Madre Teresa Vilela assistiu à Romagem de Saudade
Nesta foto, obtida em 27 de Maio de 2005, a Teresa Vilela almoça em Castelo Branco, na companhia da Maria do Carmo Severino Beirão. De novo juntas, como na fotografia anterior.

Falta apenas referir uma recordação para o nº19 - r/c,que faz esquina junto do Cruzeiro. era a tasca do Castanheira, hoje conhecida por tasca do Regedor... Por cima, no 1ºandar vivia a família Castanheira.

Setubalense - 1956 - Janeiro

02-01-1956
Foto de Fernando Gonçalo Motrena, na 1ª página
Tarde de Outono no rio Sado" - 2º Prémio no Salão de Fotografia do Montijo – 1954
.
09-01-1956
Está definitivamente assente a construção do novo Cinema Teatro
Está definitivamente assente a saída da Sociedade Musical Recreativa União Setubalense do antigo Teatro Luisa Todi, cujos proprietários a vão demolir
A empresa do velho Teatro dispõe-se a dar à União uma indemnização de 50.000 escudos.
O pano de boca do Teatro, duplamente valioso pelo assunto local e pelo Artista que o pintou, João Vaz, será oferecido à Cidade.
.

09-01-1956
Doménico Maia foi homenageado em Alcácer do Sal, em 1 de Janeiro p.p.
.
09-01-1956
Câmara Municipal de Setúbal
Mantém-se a distribuição dos pelouros com uma única excepção. A sub-secção de compras fica a cargo dos vereadores Afonso Rocha e Eng. Barroso, ficando este com a parte respeitante aos Serviços de Viação e Obras.
Foram reconduzidos como vogais do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados, os srs. Mário Ledo e Alfredo Figueiredo da Silva.
.

14-01-1956
Está de parabéns o lar do Sr. Dr. Silva Duarte e de sua esposa Sr.ª D. Maria Adelaide Pedrosa Forte Silva Duarte, pelo nascimento de uma menina.
.

16-01-1956
Chuvas e inundações
Esta manhã choveu intensamente e registaram-se inundações em vários pontos da cidade, nomeadamente na rua Luis de Camões e Cap. Ten. Carvalho Araújo, Av. Alexandre Herculano, Quinta das Pedras e Rio da Figueira.

.
16-01-1956
Câmara Municipal de Setúbal
Concurso Público para arrematação das empreitadas de construção da 1ª fase (1ªparte) da rede de esgotos da Cidade de Setúbal.
Base de licitação -- 6.540.000,00
Depósito provisório -- 163.500,00
Em 14 de Janeiro de 1956
Jorge Botelho Moniz
.

18-01-1956
Estádio do Vitória
No edifício dos Paços do Concelho, numa cerimónia simples, celebrou-se hoje a escritura de permuta de terrenos entre o Município Setubalense e o Grémio dos Industriais da Conserva de Peixe, pela qual a respectiva Câmara pode integrar 35150 metros quadrados da antiga Quinta da Palmeira, na área total que está autorizada a ceder ao Vitória F.C., para a construção do seu Estádio.
.
23-01-1956
Cine Clube de Setúbal
Prosseguem em bom ritmo os trabalhos de organização do CCS
.
25-01-1956
Plano de Urbanização
Numa das suas últimas reuniões a C.M. deliberou, por unanimidade, e segundo proposta apresentada pelo seu Presidente, Sr.Dr.Jorge Botelho Moniz, aprovar o Ante Plano Geral de Urbanização de Setúbal
.
25-01-1956
Sociedade Histórica da Independência de Portugal
No dia 20 de Janeiro realizou-se a Assembleia Geral para eleição dos Corpos Gerentes
Assembleia Geral
Presidente : Cap. Luis Vila Verde
1º Secretário: Alberto Carlos Alcobia Carriço
2º Secretário : Francisco Henriques de Jesus
Suplente : Manuel Lourenço Carqueijeiro Jr.
Direcção
Presidente : Coronel Augusto de Carvalho
Secretário : Ten. César Paz Segurado
Tesoureiro: Ten. Manuel Simões Rosa
Vogal : José Veríssimo Abrantes
Vogal : Manuel Vidigal Biscaia Alves
Suplente : Hugo Arocha Quintans
Conselho Fiscal
Presidente : Eng. Humberto Sant'Ana Ferreira da Cunha
Secretário : João Maria Mantas
Relator : Leonardo Neto Pereira
Suplente : João Manuel Costa Teixeira
.
25-01-1956
Ateneu Setubalense
Foram eleitos os Corpos Gerentes
Assembleia Geral
Presidente : Carlos Fradiano Machado
Vice Presidente : João Conceição Costa
Secretário : Rufino Pereira Coelho
Secretário : Lomelino da Costa Gil
Vice-Secretário. : José Augusto Santana da Silva
Vice-Secretário : Rui Paixão
Direcção
Presidente : António Luis Pignatelli de Figueiredo
Vice-Presidente: Marcelino Pais Cabral
Tesoureiro: Álvaro Prates Semião
Secretário : José Júlio Gandar Morenito
Conselho Fiscal
Presidente : Hermínio Silva
Secretário : Rui da Silva Pires
Relator : Joaquim Bento do Rosário
.
28-01-1956
Nuno da Mesquita Pires já é Despachante Oficial
.

30-01-1956
Falecimento
António Martins Lopes, pai do Dr.António Martins Lopes Júnior, faleceu ontem à tarde.






23 julho 2008

..."a glorificação da asneira" !

Num artigo a que deu o título “Os bonzos da estatística e a glorificação da asneira, Santana Castilho apontou de novo os canhões ao Ministério da Educação, a propósito de um relatório da Comissão Europeia.
.
Santana Castilho

Diz ele em certa altura:
“A Comissão Europeia tornou público mais um relatório, o quinto, sobre a distância que separa os sistemas educativos europeus do cumprimento das metas para 2010, estabelecidas pela Estratégia de Lisboa, em 2000.
Como Portugal não está bem na fotografia, logo o inefável Valter Lemos se apressou a desvalorizar as constatações de Ján Figel, comissário europeu da Educação, alegando que os números não traduzem a "aceleração" dos últimos tempos. São assim, estes governantes: se os números são bons, loas a eles; se os números são maus, toca a torcê-los.”
Estou farto de relatórios e dos bonzos da estatística, mas socorro-me deste para denunciar a glorificação da asneira promovida pelos pigmeus da política e para clarificar que a "aceleração" de que falam é simples manipulação de números e mistificação de resultados.”
.
Mais adiante diz Santana Castilho que:
“… o país não melhora chamando profissional a um ensino de papel e lápis, sem oficinas nem laboratórios, diminuindo exigências ao nível da fraude e diplomando o analfabetismo. Estes cursos, insidiosamente anunciados como o futuro dos nossos filhos e magicamente facilitadores duma entrada na universidade, terminarão com uma desilusão do tamanho da ilusão que vendem.
(…)
Quando os factos lhes caem em cima, julgam que os políticos mudam de ideias e corrigem as políticas? Não! Eles preferem mudar os factos.
(…)
Disse Figel, desvalorizou Valter, que um quarto dos jovens portugueses não sabe ler ou interpretar o que lê. Naturalmente que esse é o resultado da orientação do ensino para a facilidade suprema, para a despromoção do rigor e da exigência que a ministra, secretários de Estado e gurus do eduquês têm promovido. Disse-se que "os chumbos são um mecanismo retrógrado, antigo" e que "facilitismo é chumbar". Disse-se aos adultos que chegou a altura de terem "a escolaridade obrigatória sem frequentar a escola" e aos jovens que podem nem sequer lá pôr os pés que não reprovam por isso. Esperava-se que tais dislates promovessem o saber?
O milagre da Matemática e a farsa dos exames nacionais foram chocantes. A facilidade de muitas provas colheu a unanimidade dos observadores. Mas a ministra diz que são meras opiniões, não sustentadas por factos. Perguntas mal formuladas não são factos. Perguntas a tresandar a ideologia de pacotilha não são factos. Respostas erradas, mandadas considerar como certas, não são factos. Glossários e formulários indigentes fornecidos aos alunos, não são factos. Grelhas paranóicas de classificação, que reduziram a zero a autonomia dos professores, não são factos. Facto é que os 25 por cento de analfabetos funcionais, apontados pelo comissário europeu, são antes os acelerados de Valter Lemos. Luís de Matos não faria melhor!"
.
Cfr.”Público”
23.07.2008

Quem anda há muito tempo "nisto" do ensino, este apontamento de Santana Castilho não trás nenhuma novidade...
Bastava darmos conta do número de bons professores que estão a abandonar a carreira antes do tempo devido para descobrirmos a causa deste fenómeno.


Escrito na pedra...

No "Público"
de ontem
22.07.2008
.
"O arqueólogo é o melhor marido que uma mulher pode ter; quanto mais velha fica, mais interesse tem por ela."
.
Agatha Christie
escritora britânica
(1980 - 1976)

As "garotas" de Bosch Penalva

A revista Can Can nº18
publicava na primeira página
em 11 de Fevereiro de 1960
este "coup de vent"...

Desenho de Bosch Penalva

.Olhando com "descaro" para a "madame", um "pobre homem" sujeita-se às ameaças da "patroa"...

.
Ali mesmo ao lado, um "anjinho sem asas" fazia uma declaração de amor a uma "vamp...ira" com os pés bem assentes na terra...

Ele: Aceitas o meu amor?
Ela: Um momento... Deixa-me
primeiro ver a cotação das tuas acções...

22 julho 2008

National Gallery - Londres

Michelangelo Merisi
chamado Caravaggio
(1573 – 1610)
A Ceia em Emaús

A Ceia de Emaús

"Depois de tirocínio em Milão, ainda jovem, o pintor passa a Roma e lá permanece 15 anos. A sua presença na arte romana é uma presença polémica, na medida em que altera os hábitos pictóricos académicos dos tardios epígonos do Renascimento. Dele se disse que era uma figura em contínua contradição com todo o Renascimento italiano, por se reportar directamente às coisas e às figuras da Natureza. Realmente, procurou, por todas as formas, pôr em evidência os factos naturais com uma franqueza que parecia brutalidade e era, pelo contrário, mais um princípio moral do que um novo motivo pictórico. E para realizar esta sua visão, que trazia à pintura italiana a vida nas suas coisas mais quotidianas e reais, buscou, também, neste quadro, uma iluminação realista, lateral e do alto, com fortes efeitos de luz e de sombra, de modo que as figuras, a fruta, o pão e a louça da pobre mesa assumem uma evidência palpável, um relevo quase físico. Ao gosto amaneirado dos pintores romanos podia chocar esta natureza. Num quadro como este de Londres poderia chocar que Cristo aparecesse sentado a uma mesa de taberna, com o taberneiro ao lado, assim como chocaram os pés sujos dos peregrinos de Nossa Senhora dos Palafreneiros, que na realidade foi retirada do altar. Mas este retorno à simples evidência das coisas era, para Caravaggio, um retorno à verdade, um retorno ao quotidiano, porque é nele que a vida se manifesta no fogo das paixões e na força dos acontecimentos.
Uma tal lição pictórica, que foi também uma lição moral, influiu profundamente na pintura europeia do século XVII, especialmente na espanhola e na holandesa.
Este quadro foi pintado, provavelmente, em 1598 para o Marquês Ciriaco Mattei. A garrafa à esquerda, é a mesma que se vê no
Baco dos Uffizi, a cesta da fruta repete quase fielmente a Cesta da Ambrosiana e as personagens aparecem quase todas nas várias pinturas religiosas, da Vocação de S. Mateus à Morte de S. Pedro.
O quadro passou para a colecção do cardeal Scipione Boughese e permaneceu em Roma até 1798. Chegou à pinacoteca londrina em 1839, por doação de Lord Vernon".
.
Cfr. Marco Valsechi
In “Grandes Museus do Mundo
Ed. Verbo - Setembro/1973

21 julho 2008

Beira Baixa - Notícias de 1957 Março

3 de Março
Falecimento
Com a idade de 62 anos, faleceu em Lisboa, no dia 1 do corrente, o Sr. Tomás Mendes da Silva Pinto que desempenhava há longos anos as funções de Chefe da Secretaria da Junta Provincial da Beira Baixa. Era Sócio do Cine Teatro Avenida.
Era pai do Sr. José António Alves Mendes e da Srª D. Maria Emília Alves Mendes.
.
3 de Março
Nascimento
Teve o seu bom sucesso dando à luz uma robusta e linda menina, a Srª D. Maria Margarida Reis Mendes de Matos, esposa do sr.Dr.José Vasco Mendes de Matos, nosso estimado director literário.
.
10 de Março
Associação de Futebol de Castelo Branco
Novos Corpos Gerentes

.
Assembleia Geral
Presidente: Dr. Rui Galvão Videira
1º Secretário: José Domingos Baptista
2º Secretário: João Augusto Póvoa

.
Direcção
Presidente: Jorge Pinheiro Alves
Vice Presidente: José Vidal Sestay Junior
Secretário Geral: António Meireles Farias
Secretário Adjunto: José Maria Banhudo
1º Tesoureiro: Fernando Adriano Brás
Vogais: Manuel Pedro Godinho
Eng. Manuel Abreu Riscado

.
Conselho Fiscal
Presidente: Manuel do Nascimento de Oliveira Barata
Relator: Policarpo Santos Figueiredo
Secretário: Carlos Humberto de Almeida Roque

.
Comissão técnica
Presidente: José Antunes dos Reis
Vogal: João dos Santos Prata
Vogal: Rodrigo Ferreira
.
10 de Março
Desporto
Manuel Esteves do Rosário Tavares (Marzia), futebolista do Sport Benfica e Castelo Branco, tem 36 anos de idade.
.
10 de Março
Desporto
António Joaquim Manuel dos Santos (Lagarto), jogador do Sport Benfica e Castelo Branco, tem 25 anos de idade.
.
10 de Março
Falecimento
D. Margarida Fernandes de Almeida Garrett
No Solar do Tortozendo faleceu com a idade de 67 anos, no dia 6 do corrente, a senhora D. Margarida Fernandes de Almeida Garrett, extremosa esposa do Sr. Dr. Francisco de Almeida Garrett.
.
10 de Março
Nascimento
Na Casa de Saúde da Castelo Branco deu à luz com muita felicidade uma criança do sexo feminino, a Srª Drª D. Emília Ferreira Pinto esposa do Sr. Tenente Alberto Mourão da Costa Ferreira.
.
24 de Março
Casamento
No dia 19, uniram-se em Estremoz, pelos sagrados laços do matrimónio, a Srª D. Egídia Maria Delgado dos Santos, gentil filha do nosso prezado assinante Sr. Agostinho dos Santos, gerente do BNU naquela cidade alentejana e da Srª D. Alice Delgado dos Santos, com o sr.Dr.José Filipe Sepúlveda Rosado da Fonseca.
.
24 de Março
Conferência
Promovida pela Comissão organizadora do Cine Clube de Castelo Branco, realizou-se no passado dia 17, pelas 16h 30m, no Cine Teatro Avenida, a 3ªConferência do Ciclo "Palestras Culturais"
Foi conferente o Sr. Dr. Virgílio Godinho, ilustre advogado em Abrantes, que escolheu para seu tema "A Literatura e a Vida".
.
24 de Março
Doente
O Dr. Eduardo Almeida Esteves, distinto professor jubilado, do Liceu, tem passado melhor dos seus padecimentos.
.
24 de Março
Doentes
Encontra-se gravemente doente em Lisboa, o Sr. Dr. Mário Camilo Vaz Pardal
.
24 de Março
Igreja
Duas novas imagens
No passado domingo realizou-se no Clégio de Nª Srª do Rosário, numa simples mas tocante cerimónia, presidida pelo reverendíssimo João de Oliveira, digníssimo Padre Dominicano, a benção de duas novas imagens, uma de S.José e outra de Nossa Senhora do Rosário.
Da primeira imagem que foi oferecida pelo Dr.Alexandre de Almeida Garrett, foi madrinha sua gentil sobrinha, menina Maria da Piedade Lencastre e da segunda que foi oferecida pelo Dr. Alberto Franco Falcão, nosso Director, foi madrinha sua gentil filhinha menina Maria Teresa da Fonseca Franco Falcão.
.
31 de Março
Aniversário
Fez anos no dia 29 a Srª D. Eugénia Lima
.
31 de Março
Ensino
Foi desligado do Serviço por ter requerido a aposentação, o Sr. Adelino Tavares de Matos
.
31 de Março
Falecimento
Faleceu em Lisboa o sr. Mário Camilo Vaz Pardal, conceituado comerciante e proprietário nesta cidade.
.
31 de Março
Festas da Cidade
Constituição de Comissões
Comissão de Honra:
Dr. José de Carvalho - Governador Civil
Dr. Alberto Trindade – Presidente da Junta de Província
Dr. Augusto Duarte Beirão – Presidente da Câmara de Castelo Branco
Cónego Anacleto Pires da Silva Martins – Vigário da Sé
Coronel Luís Castelo Lopes – Comandante Militar
Dr. Albino Resende – Juiz Corregedor
Dr. Sebastião Morão Correia – Reitor do Liceu Nuno Álvares
Dr. João Augusto Pinto da Rocha – Director da Escola Industrial e Comercial
Dr. José Lopes Dias – Representante do Círculo de Cultura
Dr. Carlos Alberto da Costa Soares – Juiz da Comarca
Dr. Manuel Flamino dos Santos Martins – Juiz Ajudante
Cap. Manuel Domingues Carreto – Comandante da PSP
Cap. José Guardado Moreira – Comandante da GNR
Cap. Domingos André – Comandante da Guarda-Fiscal
José Vilela - Comandante dos Bombeiros
Dr. José de Sena Esteves – Director de “Reconquista”
Dr. Alberto Carlos de Figueiredo Franco Falcão – Director de “Beira-Baixa”
José de Paiva Morão – Provedor da Misericórdia
Eng. João Marçal Carrega - Presidente da Assembleia- Geral do Sport Benfica C.Branco
.
Comissão Central
Presidente - Dr. Alberto Carlos de Figueiredo Franco Falcão
Adjuntos:
José de Paiva Morão e
Domingos dos Santos Pio
Delegado da Câmara Municipal – Eng. José Maria Valente
Presidente da Comissão de Turismo – Major José António da Conceição
Secretário-Geral – Dr. José Vasco Mendes de Matos
Secretário Adjunto – Joaquim dos Santos Pires
Tesoureiro – Francisco Sampaio
Tesoureiro Adjunto – José da Gama Fazenda
.
Comissão de Actividades:
Dr. Manuel Joaquim Mendeiros Casquilho - Coordenador
Eng.º Henrique Soares Rodrigues – Representante da Agricultura
Eng. José Antunes Lourenço – Representante da Agricultura
Eng. José Pedro Cordas – Representante do Comércio
Domingos dos Santos Pio - Representante da Indústria
Dr. Moradas Ferreira – Representante da Pecuária
Cap. Rodrigo Laranjeira – Representante do Sport Benfica e Castelo Branco
.
Comissão Técnica e Artística:
Dr. Adelino Amorim Robalo Coedeiro
Eng. Alfredo Resende
Eng. António Ribeiro Russinho
Joaquim Mendonça Fernandes de Sousa
José Barroso Lúcio da Costa
José Pedro Miguens Ferrão
António Gomes de Oliveira Ribeiro
António Crugeiro Galvão Roxo
Joaquim Maria Cardoso
.
Comissão de Festas
. . . Espectáculos e Variedades:
Dr. Armindo Ramos
Eugénia Lima
Silvério Grilo
Ten. Manuel Dias Catana
Augusto Maria Russinho
Álvaro de Castro
. . . Desportos
Sport Benfica e Castelo Branco
Domingos dos Santos Pio
José de Paiva Morão
Manuel Afonso Salavisa
Francisco Pires Marques

. . . Diversões
Joaquim dos Santos Pires
António Dias Pires
José dos Reis Sanches Júnior
Silvério Grilo
. . . Comissão de Propaganda
Dr. Francisco Barata Pereira dos Santos
Joaquim Baptista Mendes
António Gomes de Oliveira Ribeiro
Amado Ramos Estriga
João Marques Graça
. . . Comissão dos Jogos Florais
Dr. Sebastião Morão Correia – Reitor do Liceu Nuno Álvares
Dr. João Augusto Pinto da Rocha – Director da Escola Industrial e Comercial
Dr. João Frade Correia – Director da Escola Normal
Dr. Francisco José Palmeiro – Director do Instituto de Santo António
António Liberato de Oliveira – Director Escolar
. . . Comissão de Obras
Eng. João Marçal Carrega,
António Afonso
José dos Reis Sanches Júnior
Eng. Elísio Nogueira Cardoso
.
Haverá uma Comissão constituída por Ilustres Senhoras e gentis meninas, cujos nomes se indicarão oportunamente.
Farão ainda parte das Comissões todas as pessoas que se dignarem colaborar e prestar o seu valioso patrocínio. Para o bom êxito das festas da nossa Cidade.
Todas as sugestões serão aceites, todos os auxílios agradecidos e toda a colaboração desejada, para que as festas que são da cidade, e portanto de todos nós, tenham o brilho digno do progresso da nossa terra e sejam a consagração dos seus valores espirituais, folclóricos e artísticos.
.
31 de Março
Dr. Adelino Robalo Cordeiro
Foi nomeado Delegado do Procurador Geral da República no concelho de Idanha a Nova, o Sr. Dr. Adelino Robalo Cordeiro

20 julho 2008

Os Ocaña Esteves

Refugiados da Guerra Civil espanhola, viveram com os pais em Castelo Branco a partir de 1936 e por ali se mantiveram alguns anos, provavelmente até ao fim da 2ªGuerra Mundial.
Estudaram na nossa cidade e começaram pelo Jardim Escola...
Se bem me recordo o "espanhol" era mais velho do que a irmã Cláudia e esta, um ano ou dois, mais velha do que eu.
Como resposta ao meu "apontamento" sobre o 100º Aniversário da D.Maria Amália, recebi hoje uma mensagem do António Ocaña com quem tinha estado em Maio, por altura da Romagem de Saudade dos Antigos Alunos do Liceu de Catelo Branco, onde ele também esteve presente.
Se bem recordo, o Ocaña vive há muitos anos em França mas vem com alguma frequência a esta "sua terra natal"... por adopção.
.
Dizia assim a mensagem que li hoje:
"Caro amigo João,
Eu também estarei no jantar aniversário dos 100 anos de nossa querida Professor Dona Maria Amalia e espero poder falar juntos um certo tempo e também com o Olimpio.
Fui aluno do Jardim Escola de 1936 a 39, com o n° 44, o Tò Lopes Dias n° 1 e o RevºPe. Victor Feitor Pinto n° 2.
No nosso antigo Festival Internacional da Caricatura de 1999, tivemos como Presidente de Honra o amigo Georges Wolinsky,vou aproveitar a ocasião e levo o catàlogo daquela edição.
A minha irmã Claudia envia cumprimentos.
Um forte abraço e até dia 8.

A. OCAÑA."
.
Cá o esperamos e seria uma ideia maravilhosa se a irmã pudesse acompanhá-lo.
Não a vejo há... 63 anos!! Mas a ideia que dela tenho corresponde à Fotografia única que tenho da Cláudia, com a data de 1946... Já ela tinha regressado a Almeria

Cláudia Ocaña Esteves
.
No verso desta fotografia, que ela fez chegar às mãos da minhã Mãe, antes do Natal de 1946, podemos ler o seguinte:

"Como prova de muita estima e cariño à minha boa mestra."
Cláudia Ocaña Esteves - Dia 24-11-946 - Almeria
.
Durante umas férias, a Cláudia aprendeu "Corte e Costura" com a minha Mãe e daí a ideia de lhe enviar uma fotografia com esta bonita dedicatória a qual veio parar às nossas mãos quando a minha Mãe se despediu de nós...
.
Gostava muito de a ver de novo...

As minhas turmas... 6ºC - 1968/69

6ºAno - Turma C
em 1968/69
.
Fui professor desta turma
em Ciências Naturais

António Alberto da Costa Pinto
António José Galhofas Marques
António Manuel Pires de Carvalho
António Manuel da Luz Piedade
Carlos de Matos Quaresma Setra
Constantino José Guerreiro Teles
Fernando Range Prates
Francisco Osório Trindade da Cunha
Francisco Pedro Domingues Rocha



João Luciano Miranda Duarte
João Manuel Pedrosa Silva Duarte
Maria Joaquina Bacalhau Preguiça
Jorge Manuel Ladeiro Santos Ruivo
José Manuel Rosado Parreira
Leonel Paulino Baptista
Luis Cândido Aranha Sousa Meneses
Luis Manuel Correia Sancho
Manuel Carlos Vaz Pereira



Manuel Pedro Guerra Alves da Silva
Maria Arlete Oliveira Horta
Maria do Carmo Trindade Santana
Maria Clotilde Tavares Dimas
Maria Conceição Pires Silvestre
Maria Eduarda Chagas da Silva Gameiro
Maria da Graça Araújo Teixeira
Maria Helena Carreira Gonçalves
Maria Isabel Gomes da Silva


Maria Manuela da Silva Pires
Nelson Tavares Mota
Pedro Manuel Henriques Cruz Bordeira
Francisco Jorge Monteiro Oliveira Silva
Helena Maria Santos do Rosário

19 julho 2008

E agora, senhora doutora?!...

"Afinal, o Museu Hermitage de São Petersburgo não está interessado em ter um polo permanente de exposição em Lisboa..."

Isabel Pires de Lima
.
Depois de um investimento nacional de mais de 1,5 milhões de euros, em 2007, na exposição-teste para o lançamento desse polo, o Director do Hermitage, Piotrovski faz um balanço negativo da colaboração com Portugal."
.
"Escusando-se a entrar em pormenores, o director do Hermitage diz apenas que houve "demasiadas discussões" e "dinheiro que não chegava", "questões que normalmente correm sem percalços"...
.
"...apesar do aval superior e dos 105 mil visitantes que a exposição-teste faria em apenas quatro meses, Isabel Pires de Lima viu-se a braços com uma das decisões mais polémicas do seu mandato, acusada de deixar moribunda a maioria dos museus da rede nacional para embarcar em estratégias de fogo-de-artifício, no que se considerou ser pouco mais que um custoso fait-divers de programação cultural",
.
Cfr.Vanessa Rato
in."Público"
19.07.2008,
.
"Sou das ministras mais populares deste governo"
Isabel Pires de Lima dixit, em 29 Dezembro 2007
.
Sobre o tema Hermitage esperamos uma palavra da Senhora Doutora...

Escrito na pedra...

No "Público"
de hoje
19.07.2008
.
"Não gosto dos que se acham com mérito por terem trabalhado penosamente. Porque se o que fizeram foi penoso, seria por certo melhor que tivessem feito outra coisa".
.
André Gide
escritor francês
(1869-1951)

D. Maria Amália - 100 Anos!...

No próximo dia 8 de Agosto, a minha primeira professora, Srª D. Maria Amália Fevereiro, vai fazer 100 anos! Deus a guarde...
.
Resolveu passar esse dia memorável em Castelo Branco, na companhia de muitos dos seus antigos alunos no Jardim Escola João de Deus.
.
Quem poderá faltar a um aniversário destes?!!!... Eu não vou deixar de estar presente neste momento tão saudoso e irrepetível. E comigo sei que vão estar em Castelo Branco muitos dos seus antigos alunos.

A D.Maria Amália, lá atrás, ladeada pela Isaura e pela Jeta.
Estávamos em Abril de 1942…

A D.Maria Luisa Vaz Pinto e a D.Cremilde fecham a fila dos mais velhinhos (3ªclasse?)
onde figuram, da esquerda para a direita, a Maria Filomena Marques Vicente, o jjmatos, a Maria José Salavessa, o João Maria Serejo Goulão, a Fátima Feytor Pinto, o Luis Salvado, a Isaura, a Julieta Chamiço Heitor, a Maria da Conceição Faria, o Carlos Augusto Guerreiro Góis, a Maria Júlia Torres Peixoto e o Leonardo Nogueira Cardoso (o único que já nos deixou).

.
Pelas outras filas podemos reconhecer muita gente nova que dignificou aquela escola:
A Menicha Paiva Morão, a Maria da Piedade Lencastre, a Maria Angélica (Gica) Salazar Antunes, a Maria José Folgado Pereira, o José Eduardo Paiva Morão, o Pedro Feytor Pinto, a Lurdinhas Ferreira (quando havia procissões ela, vestida de anjinho, era o meu par...), o Tó Caio, o João José Marques Vicente, a Maria Carolina Morão, o Cartaxinho, o José Correia Tavares e o José Moura Nunes da Cruz... entre outros.
.
Por esta altura, a D.Maria Amália Fevereiro vivia na rua do Relógio com os pais e uma irmã, num prédio que ainda se mantem com o mesmo aspecto de então... Creio que sempre ali morou.

A casa da D.Maria Amália

.
Em 20 de Junho de 1981, foi-lhe prestada, em Castelo Branco,uma homenagem no Jardim Escola que ali reuniu alguns dos seus mais antigos alunos. Ia fazer 73 anos! Provavelmente ter-se ia aposentado por essa altura...

A D.Maria Amália faz as "despesas da conversa" com o meu irmão Olímpio tendo ao lado os saudosos João Pulga e o Jorge Calrão todos eles do 1ºCurso do Jardim Escola
.
Com o António Lopes Dias, a Maria Emília Faria e o Pe.Vitor Feytor Pinto
também eles da primeira fornada de alunos daquela instituição
.

O Presidente da Câmara de Castelo Branco, dr.César Vila Franca,
entrega a medalha da cidade à nossa Professora
.

Na primeira fila muitas caras conhecidas rodeiam a D.Maria Amália: a Maria Celeste Capelo, a Maria Luisa Andrade Lopes, a Maria de Fátima Feytor Pinto e a Maria Emília Faria de Sousa estão ali presentes.

Lá para trás, estão entre outros, o Zeca Nunes da Cruz, o Tó Lopes Dias, o João Pedro Pelejão Marques, o João Pulga, o Olímpio, o poeta José Correia Tavares, o Vitor Feytor Pinto e o Vicente José Sanches Vaz Pardal.