22 abril 2012

Alcafozes...

Realizou-se, na noite do dia 20 de Abril, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, a apresentação do Livro "Um Sonho Republicano em Terras do Rei Wamba", da autoria de Vasco dos Santos, um beirão de Alcafozes, há muito radicado em São Paulo, no Brasil.

A sala onde decorreu a Sessão...

... e o autor, momentos após a sua chegada ao Salão Nobre

Vasco Santos

Vasco dos Santos nasceu em 1933, em Alcafozes – uma aldeia do Concelho de Idanha-a-Nova revisitada na obra aqui apresentada, como uma recordação dos tempos da implantação da República em Portugal e de alguns outros episódios marcantes nos anos que imediatamente se lhe seguiram.


Postos à disposição dos presentes viam-se alguns exemplares da obra.

Na memória desse tempo, é como se um outro nome do autor se fizesse ouvir nas belas páginas da sua prosa: o Vasco dos Santos “Alentejano” – em homenagem ao seu pai. Não apenas por a recolha de grande parte dos episódios aqui narrados ter sido escutada a partir da viva voz do seu progenitor, mas sobretudo pelo superior exemplo moral retido: de uma dignidade humana incorruptível, que um humilde trabalhador rural soube com coragem afirmar num tempo e num lugar de muitas provações.
Vasco dos Santos cursou Filosofia no seminário em Portalegre e, após ter rumado ao Brasil em finais dos anos 50, aí concluiu a sua formação em Direito pela Universidade de São Paulo (USP). É autor de uma vastíssima obra literária, em prosa e em verso, na qual ganha uma especial notoriedade a sua condição de cidadão luso-brasileiro, por exemplo, através de sucessivas e muito originais abordagens ao tema da miscigenação. Apenas alguns desses títulos que aqui se destacam: romances – Pé de Boi, Pata de Homem (2002), João Ramalho – O Cristo do Braço Quebrado (1987), Memórias de um Povoador (2003), O Mameluco (2005), O Solitário da Montanha (2005); contos - O Menino e a Rosa (1986), Os Filhos da Rua (1996); poesia – O Silêncio do Mar Salgado (2004), Carmen (2005), O Achamento do Brasil (2006).
Na obra agora dada à estampa, Um Sonho Republicano em Terras do Rei Wamba, são outras as raízes exploradas pelo autor, mais rentes estas à sua infância, e situadas lá pelos longínquos anos da implantação da República em Portugal. O sonho do Velho Republicano Benjamim coloca diante de nós o retrato vivo de um (certo) País em contra-mão com esse tempo (e o seu tempo): nos descaminhos do progresso, da justiça e do esclarecimento.
Nesta narrativa é também a voz impressiva da experiência pessoal do autor que se faz ouvir, e nos sussurra os motivos de uma partida, alguns anos mais tarde, para terras distantes na busca da realização de outros sonhos – que eram já aqueles que, noutros tempos, tinham iluminado o Velho Republicano de Alcafozes, ou os que ainda hoje este Portugal de olhos postos no futuro não desiste de perseguir. (in, Op.cit.)


Quero agradecer ao meu amigo Benjamim, que há muitos anos aqui vive também em Setúbal e é neto do "Velho Republicano Benjamim", que fez chegar até mim a notícia deste evento. Desejo também que o livro agora apresentado tenho o êxito que o seu autor ambiciona.

Sem comentários: