16 dezembro 2011

A adolescente...

Um poema de
António Gedeão

António Gedeão

A adolescente
.
Sábia, funcional, eficiente
Como os modelos didácticos despojados de enfeite,
Passa na rua a adolescente
Cheirando a leite.
.
Caminha soberana e enfática como as aves egípcias
Disfarçando no andar a lava que referve.
Vai orgulhosa por transportar no peito duas cristas reptícias,
e do resto, que pressente, mas ainda não sabe ao certo para que serve.
.
Contraídos os lábios na insinuação da sede,
o olhar inquieto e duro ressumando violência,
as narinas fremindo como as guelras dos peixes apanhados na rede.
.
Eis a mimosa flor da adolescência.

António Gedeão
In. Linhas de Força/1967

Sem comentários: