14 março 2012

Nem luz seria...

Um poema de Eugénio de Andrade

Eugénio de Andrade



Que diremos ainda?


Vê como de súbito o céu se fecha
sobre dunas e barcos,
e cada um de nós se volta e fixa
os olhos um no outro,
e como deles devagar escorre
a última luz sobre as areias.
.
Que diremos ainda? Serão palavras,
isto que aflora aos lábios?
Palavras, este rumor tão leve
que ouvimos o dia a desprender-se?
Palavras, ou luz ainda?
.
Palavras, não. Quem as sabia?
Foi apenas lembrança de outra luz.
Nem luz seria, apenas outro olhar.
.
Eugénio de Andrade " Antologia Breve" - 7ªEd. Maio/1999

Sem comentários: