13 janeiro 2009

Uma notícia triste...

Breve homenagem a
João Lopes Henriques da Conceição
aluno do Liceu de Nun’Álvares
onde terminou o 7ºAno
em 1957/58
.
Natural do Concelho de Oleiros (Estreito), João Henriques da Conceição era um predestinado na Arte da Caricatura e assinou mais de uma centena de páginas, com o seu traço inconfundível, nos Livros de Despedida do nosso Liceu.
Os seus colegas de ano, Judite Dória Cortesão, Manuela Conde, Regina Bártolo, Ernesto Pinto Lobo, Carlos Franco Falcão, Luís Gonzaga Silva Pereira, Ester Gil Silveira, Maria Emília Azevedo, Ângelo Vilela, Hélder Laia, Blaise Semblano foram desenhados pelo lápis do João Conceição.

João Lopes Henriques da Conceição, visto por ele próprio

Para além dos mencionados, certamente irão sentir imensas saudades suas outros tantos Amigos que lhe elogiavam o carácter e a bondade que punha em todos os seus actos. Não quero deixar de mencionar o Júlio Geirinhas, o Victor Ambrósio, a Zeca Carvalhão, a Maria Irene Proença, o Diamantino André e tantos outros que foram seus próximos e estranhavam que ele não desse notícias nos últimos tempos… e tivesse “faltado” à última reunião que, desde aqueles tempos, eles teimam fazer anualmente, em Castelo Branco…

O João faleceu no Funchal no passado dia 11 de Janeiro.
Fica aqui esta pequena Homenagem.
Dos Amigos.

Com um abraço Amigo, forte e sentido, para o irmão Armando da Conceição que me transmitiu hoje esta triste notícia.

.No Dia Mundial da Arquitectura, dia 1 de Outubro de 2007, a Delegação Regional da Madeira da Ordem dos Arquitectos, decidiu fazer uma homenagem ao arquitecto João Lopes Henriques da Conceição, pelo longo contributo que tem dado à arquitectura regional, destacando-se como o membro da nossa classe, mais antigo na Região Autónoma da Madeira.

João Lopes Henriques da Conceição, à direita, em 01.10.2007

Esta atribuição, deve-se igualmente a um exemplo de profissionalismo e dedicação à arquitectura e sua intervenção no território, que de uma forma consciente, equilibrada e responsável, tem vindo a marcar a arquitectura regional.
Com esta homenagem, pretende-se salientar o papel fundamental que o arquitecto tem no pensar e fazer o território, exigindo-nos uma grande responsabilidade e sentido profissional de querer saber e aprender com as experiências e reacções colhidas ao longo dos anos, no campo da arquitectura.

1 comentário:

Olimpio disse...

Nestas horas terríveis, porque inesperadas ou por mais esperadas que sejam,vai para o Armando da Conceição o meu abraço de amigo e antigo companheiro de grupo dos tempos de Lisboa. Que o teu Irmão descanse em paz.
Deixo ao João de Castelo Branco, meu irmão,o pedido de lhe transmitir esta mensagem.
Olímpio Mendes de Matos