26 julho 2014

Um silêncio musicado...

... num poema de Odete Gomes
.
Maria Odete Gomes
.

Infinito pessoal

Avistar, ao pôr-do-sol, na encosta da montanha, o esbelto recorte da figura do pastor
Contemplar planta silvestre com corola multicor...
Calcorrear, passo a passo, estes vales e estes montes
Beber cristalina água, na lágrima pura das fontes
Escutar leve gemido a chegar-nos do riacho
Que se apressa, sorrateiro, entre as fráguas, lá em baixo
Falar com as cabras que saltam do penedo p´ro silvado
Entrar em suave torpor num silêncio musicado
Habitar este ar da urze, da giesta e do pinheiro
A embriagar-nos os sentidos num sono de caminheiro...
E sonhar e sonhar bem, sem perdermos o juízo
Ao pensarmos que chegámos algures ao paraíso...
.
Maria Odete L C. Gomes
em 25 Julho 2014

Sem comentários: