15 junho 2014

Eugénio de Andrade escreveu...

...este poema a que chamou:
"Fim de Outono em Manhattan".
. 
Eugénio de Andrade
.

"Começo este poema em Manhattan
mas é das oliveiras de Virgílio
e da Póvoa da Atalaia que vou falar.
É à sombra das suas folhas
que os meus dias
cantam ainda ao sol.
A sua canção vem do mar,
mas é com as cigarras e o trigo
maduro que aprendem a morrer.
O ar debaixo dos seus ramos dança,
alheio à luz suja de Manhattan.
.
Eugénio de Andrade
in. "Ofício de paciência"1994

Sem comentários: