28 junho 2012

Dr.Aníbal Cunha...

É hoje, dia 28 de Junho, que a Reitoria da Universidade do Porto (Praça Gomes Teixeira) acolhe a abertura da homenagem a Aníbal Cunha, figura ímpar na história da instituição e do ensino da Farmácia em Portugal, e Figura Eminente da U.Porto em 2012:

Prof.Aníbal Cunha

A abertura solene da homenagem, marcada para as 18 horas, será assinalada com a conferência "Um exemplo de excelência da Acção em Tempos de Mutação Crísica", a cargo do General António Ramalho Eanes. Após a cerimónia de abertura, é inaugurada a exposição "A Farmácia no tempo de Aníbal Cunha", no Átrio de Química da Reitoria da U.Porto.
São três dezenas de artigos em exposição, todos com uma história diferente e que acompanham tanto a história de Aníbal Cunha como a própria história da Farmácia na Cidade do Porto. Será possível ver instrumentos de trabalho, tal como encapsuladores em bronze, alambiques de cobre e ferro, frascos, boiões e potes de farmácia ou curiosidades tais como o diploma do curso de Medicina de Sir Arthur Conan Doyle, o criador do mítico detetive Sherlock Holmes, ou anúncios publicitários à Pasta Medicinal Couto.
Em exposição, vão estar ainda objectos que marcam eventos que marcaram o rumo das ciências no século XX: uma das placas de Petri em que Fleming descobriu a penicilina ou uma cópia assinada de "Molecular Structure of Nucleic Acids: A Structure for Deoxyribose Nucleic Acid", ou o artigo em que James Dewey Watson e Francis Crick propõem uma estrutura em dupla-hélix para o DNA.
Paralelamente a esta exposição, comissariada por Carlos Afonso, vai decorrer um ciclo de conferências sobre temáticas diversas, relacionadas com Aníbal Cunha e com a evolução das Ciências Farmacêuticas. Até final do ano, o programa da homenagem inclui também um conjunto alargado de mesas redondas, atividades académicas dinamizadas por estudantes da FFUP, visitas ao Museu de Farmácia, entre outras iniciativas
.

Natural do Porto, Aníbal Cunha (1868-1931) notabilizou-se ainda pela forte intervenção social e cívica. Ainda jovem, em 1891, foi um dos membros da tentativa de revolta republicana de 31 de Janeiro, após a qual foi obrigado ao exílio em Espanha e no Brasil. Regressado a Portugal, termina os seus estudos na Escola de Farmácia, instituição fundadora da Faculdade de Farmácia, com média de 19 valores.
Em 1911, ano da fundação da U.Porto, tornou-se o 1.º assistente da escola, onde acabaria por ter um papel importante na autonomização do ensino da Farmácia, processo que culminou em 1921, com a transformação da Escola em Faculdade. Enquanto director da FFUP e vice-reitor da U.Porto, Aníbal Cunha desempenhou ainda um papel decisivo na construção do edifício que acolheu a faculdade durante 94 anos (1918-2012), papel reconhecido com o nome da rua onde se encontra o edifício.

Em 1956/58, gastei algumas "solas de sapatos" a percorrer a rua Aníbal Cunha que atravessa a rua da Torrinha e ficava a "dois passos" do Lar da JUC, na rua da Cedofeita... Agora, são só recordações!... Boas recordações...

Sem comentários: