04 junho 2018

Fora melhor dormir...

… num soneto que 
António Nobre
escreveu em Belos Ares, 1889.
.
António Nobre
.
Meus dias de rapaz, de adolescente,
Abrem a boca a bocejar, sombrios:
Deslizam vagarosos, como os Rios,
Sucedem-se uns aos outros, igualmente.
.
Nunca desperto de manhã, contente.
Pálido sempre com os lábios frios,
Ora, desafiando os meus rosários pios…
Fora melhor dormir eternamente!
.
Mas não ter eu aspirações vivazes,
E não ter, como têm os mais rapazes,
Olhos boiando em sol, lábio vermelho!
.
Quero viver, eu sinto-o, mas não posso:
E não sei, sendo assim enquanto moço,
O que serei, então, depois de velho.
.
António Nobre
in. "Só"
Ed.Livraria Tavares Martins
Porto - 1968

Sem comentários: