03 abril 2018

Ninguém ama a sua Pátria...

... num Poema 
de António Boto.
(1897-1959)

António Boto


Ó Pátria mil vezes Santa,
-- Meu Portugal, minha terra,
Onde vivo e onde nasci!

Na tua História me perco,
E nela tudo aprendi.

Mesmo que fosses pequena
E eu te visse pobre e nua,
-- Ninguém ama a sua Pátria por ser grande,
Mas sim por ser sua!
.
by. António Boto
in. "Baionetas da Morte" (1936)

Sem comentários: