28 outubro 2014

E assim me fui apagando...

... num poema de 
Pedro Homem de Melo
.
Pedro Homem de Melo
.
Prelúdio
.
Cuidei que a chuva quebrasse
Os vidros desta janela
E para lutar com ela
Encostei-me à sua face
.
E um dilúvio de água baça
Ocultou-me tanta luz
Que, por momentos, supus 
Que me ferisse a vidraça
.
Porém, tombavam, calados,
Os helicópteros da chuva!
Como dedos de uma luva
Sobre os meus lábios poisados...
.
E assim me fui apagando...
Cega a chuva não me via!
.
Minha ingénua poesia,
Serás ingénua, até quando?
.
in. "Nós portugueses somos castos"
1967

Sem comentários: