29 março 2017

E outros sem ser por nada...

...num poema que
Fernando Pessoa
intitulou de 
No combóio descendente.
.
Fernando Pessoa
.
No comboio descendente
Vinha tudo à gargalhada.
Uns por verem rir os outros
E outros sem ser por nada
No comboio descendente
De Queluz à Cruz Quebrada...

No comboio descendente
Vinham todos à janela
Uns calados para os outros
E outros a dar-lhes trela
No comboio descendente
De Cruz Quebrada a Palmela...

No comboio descendente
Mas que grande reinação!
Uns dormindo, outros com sono,
E outros nem sim nem não
No comboio descendente
De Palmela a Portimão.

.
in."Sol", 
13.11.1926

Sem comentários: